sábado, 16 de outubro de 2010

LAMENTO

Ora canção triste de minha boca
ora lamento opaco de tinta de minha pena.
Não sai palavra que não seja
alívio de alguma dor sem ensejo
dessas que invadem o peito
e não acatam  a voz
e não alcançam ouvintes.
E assim vou seguindo
também indiferente 
à dor que me rouba o encanto
Na paz que o silêncio me concede.

11 comentários:

Zélia Guardiano disse...

Beleza, Cacá!
Beleza, meu amigo!
Beleza de versos e de filosofia.
Que bom, logo cedo, esta excelente leitura que você me oferece!
Enorme abraço , neste sábado lindamente chuvoso...

Chica disse...

Seguir sempre...há lamentos e paz intercalados ...Lindo!abração ótimo dia!chica

Dan disse...

Oi Cacá,

Belo lamento.
Tudo que o silêncio nos concede...

Abraços

M. Sueli Gallacci disse...

noooooossaaaaaaa amigo, que coisa mais linda!!! Me doeu na alma o seu lamento.

Mas devo ser sincera e dizer que não condiz com esse sorriso largo, franco...

Vc poetando é tudo de bommmmmmm

Bjo gde e bom findi!

Eduardo P.L disse...

Cacá,

obrigado por participar do debate do A FAVOR & CONTRA.
Volte sempre!

Forte abraço

lis disse...

Oi Cacá
doeu em mim também rs
um lamento sentido que nos rouba o sorriso.
Poema melancólico e profundo , mas
quero reagir rs
abraços Cacá, bom domingo

Uni ver sos disse...

Triste e belo, doido como só um poeta sabe fazer,
esses momentos são tão necessários quanto os momentos de alegria,

que seu caminho seja de PAZ sempre, isto sim deve reinar em nossos corações,

meu carinho ao amigo!


"A esperança não murcha, ela não cansa, também como ela não sucumbe a crença. Vão-se os sonhos nas asas da descrença, voltam sonhos nas asas da esperança."

Augusto Cury

Neca disse...

Ai, ai...
Há tantas palavras reclusas/ocultas no vácuo deste meu silêncio.
Smackkkk

Web Statistics