domingo, 10 de outubro de 2010

FRAGMENTOS

imagens google



Juntando pedaços
Faço uma soma, afinal
sou um múltiplo incomum.
Subtraído de tantas coisas
de tantos passos vacilantes

Sem rumo, sem firmeza
Fui ao rés do chão
E fui deixando acumular os cacos
O cálculo da vida foi que exigiu por si mesmo
Por mim era para dar uma peça inteira
ao fim de tantas jornadas, de tantas mazelas.

4 comentários:

Chica disse...

Temos tantos pedaços...Lindo poema,Zé! Pena tu não estares aqui no encontro. Ontem fui até lá e estava legal(deixeinoRL).Quero ir mais,abração,chica

Zélia Guardiano disse...

Somos feitos de cacos, de pedaços, meu querido Cacá.
Ainda outro dia eu pensava: ao menos, se dos meus fragmentos eu pudesse fazer um caleidoscópio, que encantasse alguém...
Lindos, os seus versos!
Demais!
Abraço, querido amigo.
PS- Vou aproveitar este comentário(esse negócio de caleidoscópio) nuns versos... Reciclagem...rs...
Outro abraço!

CarlaPiva disse...

Pois é, meu amigo, cacos e fragmentos quem não os tem??? O que podemos fazer é tentar, quando juntamos os pedaços, formar algo ou alguém melhor, fragmentado sim, imperfeito também mas... não menos inteiro. Beleza de poema...aproveito para te convidar a visitar o meu blog que por coincidência tem o nome de Fragmentos! Beijos, com carinho da Crystall do Recanto.

Elayne C.A. disse...

Somos pedaços de sentimentos, de reações, de açoes, somos células em conjunto. Qdo multiplicam-se desordenadamente causam doenças, assim como nós, nosso pedaços devem estar sempre em equilíbrio e harmonia. Obrigada por tudo! Por ler-me, por poder ler-te, por seres simplesmente amigo! bjos!

Web Statistics