quarta-feira, 27 de outubro de 2010

ADOLESCENTES

Diz o Rubem Alves que há apenas duas regras muito simples para se lidar com os filhos adolescentes. A primeira é: “não faça nada. Tudo o que você fizer estará errado.” A segunda: “fique por perto para catar os cacos, se for possível.” (está no livro E Aí? - Cartas aos Adolescentes e aos seus Pais)

O pai ia viajar com a filha de 12 anos e a sobrinha de 11. No dia anterior ela lhe disse:
- Ô pai, eu a e Bel já somos pré-adolescentes, vê se não vai com o rádio ligado naquelas rádios de velho, tá?
- ? (esta interrogação é o olhar dele para ela). Ele ouve as melhores rádios, na sua concepção, selecionadas a muito custo em meio às emissoras que tocam música o dia inteiro; não é tarefa fácil.
- É, pai aquelas músicas esquisitas, uma coisas de séculos atrás que você gosta de ouvir...
- É música de boa qualidade, filha, musica suave, com letra e melodia para acalmar e sentir prazer. Mas eu posso colocar numa emissora que tanto eu como vocês vamos gostar.
- Ah, não, de jeito nenhum. Eu nunca vou gostar dessas músicas de velho. Você já ouviu Justin Bieber, Lady Gaga, Michel Mosso, Nx Zero, Restart...?
- Essa tal de Gagá eu ouvir dizer...
- Não é Gagá, pai, é Gága, tá ligado? Ela é polêmica, mas é fantástica!
- Polêmica? Pois eu ouvi dizer, aliás, eu li sobre uma biografia dela, que o seu sucesso começou só porque ela começou a tirar a roupa e dançar nua em bares e boates pra chamar a atenção já que pela música em si não conseguia. Esta que será a polêmica? E esse tal de Justin Biba, não é aquele que parece o sargento Escovinha da revistinha Recruta Zero?
- Biba , não! Biba, não! Biber é um menino mais lindo e talentoso que eu já vi. E saiba que ele é guerreiro, viu? Ele trabalha desde pequenininho para ajudar a mãe. Canta desde os quatro anos. E para de falar do cabelo dele que ele não é Emo.
- O que que é emo, meu Deus?
Ah, pai, deixa pra lá, já vi que de cultura você não entende é nada, nadinha!

Conseguiram um acordo depois de muita cara feia da filha por causa das ofensas que ele proferiu contra as estrelas da hora. Foram ouvindo uma radio “irada” até a metade do caminho e elas cantando alucinadas aquelas músicas incompreensíveis com o tom das vozes mais alto do que o do som do carro. Dali em diante, nem um quilômetro a mais, nem um a menos, ele mudou para a estação de sua preferência. Foi cumprido o trato. Em menos de cinco minutos olhou pelo retrovisor e viu que as duas já estavam dormindo uma no ombro da outra. Ficou conformado. Pelo menos sua música servia para ninar. Na sua concepção, na sua concepção!

16 comentários:

Neca disse...

Ahhh, a aborrescência...
Já fomos assim, lembra? rsss.
(Eu pelo menos achava que Menudo, Tremendo e Dominó eram grandes ícones da música contemporânea e merecedores do Grammy... pelo menos na minha concepção... na minha concepção...)
Smack!!!

pensandoemfamilia disse...

Oi Caca
Hoje nos sintonizamos, falamos da adolescência e vc trouxe uma execelente ilustração.
bjs

Chica disse...

Rsssssss,,,,maravilha,Cacá! Quem não passou por isso? abração,tudo de bom,chica

M. Sueli Gallacci disse...

Sabe de uma coisa Cacá?... Eu sinto uma pena danada dos adolescentes de hoje.

Perderam o rumo, o alvo, os valores, e o que é pior, perderam a capacidade de discernir.

Mas que culpa eles tem de terem nascido em plena era do besteirol?

Muito bom teu texto.

Um bjo enorme.

Zélia Guardiano disse...

Formidável, meu querido Cacá!
Ah, o conflito entre gerações...rs...
Você pintou perfeitamente o quadro: não faltou, nem sobrou tinta.
É por isso que gosto tanto de vir aqui!
Grata, querido, pela chance de boa leitura.
Enorme abraço

Tatiana disse...

Oi Cacá!
Vi o seu comentário la no blog da Norma e vim dar uma fuxicadinha ja que voce tinha comentado que justo hoje tinha postado sobre esse assunto.
Pois como ando sedenta de informação sobre esse tema, vim conferir!!
Hahahaha...nada como um post desses para levantar a moral dessa etapa tao dura, e o pior que é exatamente assim.
Tenho 2 meninos(12 e 15), graças a Deus nao se emocionam cantando aos berros no carro..rsrs...mas todo o resto comentado por voce é presente na minha vida tambem...rs!!!
Adorei esse post, parabens!!!!
Bjs.

Tati Pastorello disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkk
Ai, estou caminhando para lá. E sabe que tem horas que chamo o Bê de meu adolescente de 5 anos? Por que ele já faz umas exigências e questionamentos de adolescente. Ai, ai... Estou tendo que colocar moral! kkkk
Beijos.

Yasmine Lemos disse...

Em mãos! vou ler inteiro..dou noticias sobre o que achei.
obrigada!!! bjs

Marli Borges disse...

Ei Cacá,
Que texto irado esse, cara, rsrs!
Graças a Deus que meus filhos já passaram da adolescência. Não é brincadeira, a gente sofre sim!! Mas graças a Deus que deu tudo certo.
Pois é, mas agora minha netinha está a caminho (tem 9)! Que Deus nos ajude!! grrr, grrr!!
Bjsssssss

Diogo Didier disse...

Eu sei bem como é conturbada a vida de um adolescente. Eu mesmo dei MUITO trabalho para os meus pais rsrsrsrssrs...

Mas, estou aqui para algo além disso. Vim agradecer pelas doces palavras referentes ao meu niver!

Fico muito feliz com a sua presença no meu cantinho amigo! obg por tudo!

bjoxxxxxxxxxxxxxxxx

Toninhobira disse...

Poxa estou lendo sua cronica muito boa somente agora, coicidencia li pela manha no Blog de nossa amiga terapeuta, uma excelente tambem abordagem sobre adolescencia.Junto as duas e saio bem informado,embora ja tenha passado destas aborrecencias,kkkk.Um abraço amigo.

lis disse...

Adorei Cacá
e ri a valer! é a mais pura realidade!
de vez em quando ando a catar os cacos rs
abraços amigo
uma bela quinta feira pra voce

Beth/Lilás disse...

Ah, Cacá, já vivi tanto isso, parece até coisa aqui de casa.
E o meu 'adolescente' já tem 25 anos, mas com relação a estas coisas, principalmente música, ele impõe um bocado a dele, embora faça bem feito e gosta de misturar desde samba de raiz a raps ou funks. Fico doida às vezes, sabe! hehe
Muito bom seu texto.
bjs cariocas

Adh2bs disse...

Ah, meu bom amigo! Me identifiquei com a crônica. Lá em casa temos grandes discussões, a começar pelo conceito de música. Mas são discussões interessantes, a molecada defende seus ídolos, defendo os meus, e tudo acaba em gozação, como quando pergunto o nome de algum roqueiro ou música que estejam ouvindo e eles retrucam, "tá aderindo, tá aderindo"; e quando surpreendi um deles assobiando um sambinha do Martinho da Vila (tido até então como "tosco" ou "exótico" por eles), não perdi tempo; "tá aderindo, tá aderindo!"
É mole?
Abç,
Adh

Web Statistics