domingo, 2 de março de 2008

CARTÃO

QUANDO OUVIMOS FALAR DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO, CRESCIMENTO E OUTRAS NOTÍCIAS QUE TODOS GOSTAM DE VER E OUVIR , IMAGINAMOS LOGO TODA UMA REDE PARALELA E ACESSÓRIA QUE OS ACOMPANHAM NA SOCIEDADE. NA ÁREA DA SAÚDE, DA EDUCAÇÃO, DOS SERVIÇOS BÁSICOS ESSENCIAIS À POPULAÇÃO E POR AÍ AFORA. MAS NÃO É BEM ASSIM. A PRESSA EM NÃO PERDER OPORTUNIDADE DE LUCRAR AQUI E AGORA COSTUMA FAZER OS AFLITOS PELO DINHEIRO DESPENCAREM DE SUA GANÂNCIA COM A MESMA VELOCIDADE QUE SUBIRAM NO TOPO DA PIRÂMIDE FINANCEIRA. O DESPREPARO É UMA DAS PRINCIPAIS CAUSAS DA PÉSSIMA QUALIDADE DOS SERVIÇOS PARTICULARES PRESTADOS DO MESMO MODO QUE A FALTA DE INVESTIMENTOS PÚBLICOS REFLETE NA MÁ FORMAÇÃO, EDUCAÇÃO E VIDA SAUDÁVEL DO POVO EM GERAL.

POIS BEM, O QUE ME ACONTECEU, SE NÃO FOSSE RELATADO PODERIA IR PARA A GALERIA DAS PIADAS OU “CAUSOS” QUE ACABAM ENTRANDO PARA O ANEDOTÁRIO.

ESTAVA NUM SUPERMERCADO AQUI DE BELO HORIZONTE E FUI ABORDADO POR UM CARTAZ EM QUE SE OFERECIA CARTÃO DE CRÉDITO (DO PRÓPRIO SUPERMERCADO) PARA FACILITAR AS COMPRAS, GANHAR PRAZO DE PAGAMENTO SEM ACRÉSCIMOS E, O QUE MAIS ME ATRAIU: PODER FAZÊ-LO SEM QUALQUER TAXA, ANUIDADE OU DESPESAS ADICIONAIS. NÃO PERDI TEMPO E FUI LOGO PREENCHENDO O CADASTRO EM CUJOS TERMOS PROMETIAM ENTREGAR EM DOMICÍLIO O CARTÃO DAÍ A ALGUNS DIAS. ASSIM FOI FEITO, ASSIM FOI CUMPRIDO. CHEGOU ATÉ MESMO ANTES DO PRAZO FINAL ESTABELECIDO. NO ENVELOPE DO CARTÃO VEIO JUNTO UM CONTRATO E EU, COM ESSA MINHA TERRÍVEL MANIA DE LER AS COISAS, DESCOBRI QUE, SE USASSE O TAL CARTÃO, TERIA DE ME SUJEITAR À ANUIDADE, TAXAS DE SERVIÇO, TAXA DE BOLETO, TAXA DE NÃO UTILIZAÇÃO POR MAIS DE SEIS MESES, ETC, TAXA, ETC, TAXA...

VOLTEI LÁ E, ATENDIDO PELA MESMA FUNCIONÁRIA QUE ME VENDERA O “PRESENTE DE GREGO”, COMENTEI DA PROPAGANDA ENGANOSA QUE ME HAVIAM FEITO E QUE NÃO IRIA DESBLOQUEAR O CARTÃO PARA O USO, ESSAS COISAS DITAS NO MOMENTO DA INDIGNAÇÃO. DIÁLOGO, COM GERÚNDIO, TRAVADO A SEGUIR (SENÃO, NÃO VALE):

- POIS NÃO, SENHOR, EM QUE EU PODERIA ESTAR AJUDANDO? EXPLIQUEI O FATO E ELA DESCONCERTADA, ME DISSE - O SENHOR VAI TER QUE ESTAR LIGANDO PARA O 4004-1011, QUE É DA ADMINISTRADORA DO CARTÃO PARA ESTAR RESOLVENDO ESSE PROBLEMA. EU DISSE QUE TUDO BEM E REPETI PARA ELA O NÚMERO COMO SEMPRE FAZEMOS NESSAS OCASIÕES, NEM QUE SEJA SÓ PARA ESTENDER O PAPO. – É 4004, MIL E ONZE, NÉ?

- NÃO, SENHOR, É 4004, DEZ ONZE.

- POIS, ENTÃO, MIL E ONZE.

TODA DIDÁTICA, ELA ENSINAVA:

- SENHOR, É COMO MIL, ESCRITO AO CONTRARIO. RETRUQUEI LOGO:

-AÍ É MIL E UM. ELA ME OLHOU MAIS DETIDAMENTE, COM AQUELE JEITÃO DO TIPO: “AI, MEU DEUS, COMO TEM GENTE IGNORANTE...!” E REPETIU ENFÁTICA: - O SENHOR TEM QUE DISCAR QUATRO MIL E QUATRO DEZ ONZE. INCONFORMADO COM TAL CONFUSÃO E NÃO ACREDITANDO NA FALTA DE INTIMIDADE DELA COM OS NÚMEROS, DESAFIEI:

- POR FAVOR, ESCREVA AÍ PARA EU VER, O NÚMERO MIL E ONZE. MAIS ATRAPALHADA AINDA, TRATOU LOGO DE DAR POR ENCERRADA A CONVERSA, NUM GERÚNDIO DE DOER AINDA MAIS OS OUVIDOS:

- OLHE, SE O SENHOR NÃO ESTAR DISCANDO DEZ ONZE, NÃO VAI DAR CERTO.

DESISTI E SAÍ AGRADECIDO E RAPIDAMENTE PARA NÃO GARGALHAR ALI EM MEIO À FILA QUE JÁ SE FORMAVA ATRÁS DE MIM, ATÉ MESMO PARA QUE A MENINA NÃO SE SENTISSE OFENDIDA. SERÁ QUE IRIA ESTAR SENTINDO?

E O CARTÃO CONTINUA GUARDADO.

2 comentários:

paulo disse...

zé falando em cartão, eu quero é um cartão corporativo, não tem anuidade, taxa de administração. Arruma um pra mim! PAULINHO PATRICIO

Anônimo disse...

Acho que a burocracia para resolver as coisas aí herdamos dos Portugueses: demorou exatos 11 meses para que eu conseguisse me registar (é assim que cá se fala) na Segurança Social. Depois falam que somos de 3º mundo...
Nina- direto de "Purrtugual"

Web Statistics