segunda-feira, 12 de julho de 2010

NA CIDADE

Quem vale mais o carro ou eu?

Eu não! Sou de pouca serventia

Mas você ai, você vale

Mais que popular, de luxo, estelar.

Eu digo é do lado de fora

Lá dentro é um rei (nem que seja) de barriga

Ou um súdito do automóvel,

mas com poder delegado

O homem faz cidade para o carro

Ruas, estradas, até passeios

São tapetes para a majestade.

Eu não xingo buzina não, viu lacaio?

Passo é lá para dentro

E fico humano

Nem que seja de carona.

10 comentários:

gorettiguerreira disse...

Querido Cacá que Deus projetou assim.
Fique é humano mesmo e diga tudo a sua maneira direta e infernallllllllllll;.
Que linda visão você tem das desigualdades meu bom mineiro.
Beijos de luz.
Goretti

Chica disse...

Genial!!Tua inspiração ficoi DEZ! abração,linda semana,chica

Celina disse...

OI CACÁ BOM DIA, E UMA SEMANA BEM LEGAL PARA VC. GOSTEI DOS VERSOS UM POUCO DE HUMOR E IRONIA FAZ BEM. UM ABRAÇO CARINHOSO, CELINA.

Mariana disse...

Deveria o ser humano valer mais, esta é a lógica, mas pelas atitudes, parece q o carro tem mais valor.
Adorei o poema.

Renata (impermeável a) disse...

ADORO andar a pé em ruas frescas das cidades. O dentro e fora, daí, não existem....

Mulher na Polícia disse...

Esse pessoal de Minas é calmo, "tranquilin" quando fica nervoso... rs rs rs

Qualquer coisa chama o guarda, Cacá.

Beijos, meu amigo!
(muito obrigada por ser esse meu grande incentivador. Te agradeço de coração).

maria olimpia alves de melo disse...

Você precisa ver lá em Amsterdã - lá quem vale mais é a bicicleta...quem não está montado em uma, salve-se, se puder.

Web Statistics