segunda-feira, 22 de agosto de 2011

LER NÃO CAUSA L. E. R. * - Planeta Educação

imagem daqui:
As estatísticas nacionais quanto à leitura indicam que os brasileiros lêem muito pouco. Em média, apenas quatro brasileiros em cada 10 têm algum contato com livros em nosso país, os outros seis (para ser mais exato, 61%), têm muito pouco ou nenhum contato com livros. E mesmo os demais 39% não praticam a leitura com alguma freqüência...

Na verdade o índice de leitores regulares de nosso país é de, aproximadamente, 16% (percentual relativo à quantidade de pessoas no Brasil que possuem o equivalente a 73% de todos os livros aqui existentes e que estão em mãos de particulares).

Há no país apenas 1.500 livrarias e em cerca de 1.300 cidades do Brasil não existem bibliotecas públicas. Só a título de comparação, somente a aquisição de livros para bibliotecas públicas nos Estados Unidos supera a compra total desse artigo por brasileiros e pelas instituições aqui existentes. (Os dados aqui apresentados constam de uma pesquisa da Câmara Brasileira do Livro, realizada em 2001).

O livro é, para os brasileiros, um produto muito caro e, em virtude disso, acabou se tornando um luxo pelo qual as pessoas, especialmente as mais humildes (de menor poder aquisitivo), não se dispõem a adquirir. Impressiona também saber que os dados relativos à leitura de jornais e revistas do Brasil, quando comparados com os de países vizinhos onde a escolarização e a valorização da cultura são maiores, como é o caso da Argentina, são menores...

As políticas públicas nacionais não consideram investimentos em livros (a não ser em impressos didáticos) como merecedores de cotas maiores dos orçamentos municipais, estaduais ou federal. Nesse sentido não há registros expressivos de melhoria dos acervos das bibliotecas públicas e nem de projetos de leitura de grande envergadura.

O que vemos é a luta de alguns apaixonados pelos livros, como professores, jornalistas, profissionais liberais ou membros das alas mais cultas das cidades, manifestando-se em favor da leitura e da melhoria das bibliotecas de seus municípios (quando elas existem), mas mesmo essa mobilização é escassa e pouco produtiva...

Além dos necessários gastos com tecnologias de ponta e projetos em informática educacional, urge que os governos e a sociedade civil se mobilizem em favor dos livros, senão seremos eternamente, uma nação de pessoas incultas em sua maioria e estaremos fadados a continuar sendo apenas "burros de carga" que fazem o trabalho pesado e alimentam o desenvolvimento alheio... 

A íntegra do artigo aqui:

Autor: 
João Luís de Almeida Machado Doutor em Educação pela PUC-SP; Mestre em Educação, Arte e História da Cultura pela Universidade Presbiteriana Mackenzie (SP); Professor Universitário e Pesquisador; Autor do livro "Na Sala de Aula com a Sétima Arte – Aprendendo com o Cinema" (Editora Intersubjetiva).


* L.E.R. = Lesão por Esforço Repetitivo

17 comentários:

MARILENE disse...

Atribuo, como causa, a educação. Há pais que não estimulam os filhos e há professores que lhes impõem leituras inadequadas. Esse amor pela leitura deve começar cedo. O livro não deve ser visto como inimigo, como tarefa chata.
As crianças têm uma grande curiosidade, que pode ser explorada de forma mais positiva, levando-a à leitura.

Bjs.

✿ chica disse...

A vontade de ler depende de estímulos bons, isso quando não há a vontade própria que ocorre(aqui Neno foi assim...)

Mas vejo agora o grande aparato colocado nas escolas dos pequenos de 5 ou 6 anos(usam IPADs) e isso fará com que cada vem menos os livros sejam manuseados pelos pequenos.Posso estar errada, mas...Sinto assim! abração,chica

Jardim das poesias infantis/Magia em versos disse...

Bom dia Cacá!
Infelizmente em nosso país valoriza-se mais o que pode ser visto de fora e não o saber em si.
Uma ótima semana para ti.
abraços

Pedrita disse...

eu não acho q o problema de leitura no brasil seja pelo preço dos livros. eu pegava livros em 4 bibliotecas públicas, pegava emprestado de uma vizinha, hj empresto com minha irmã. minha secretária inclusive leva emprestado dos meus poucos livros. aprendi q pais q não leem dificilmente farão os filhos lerem. faz poucos anos q consegui comprar alguns e principalmente em sebos, mas esse intercâmbio q faço com minha irmã resolveu metade dos problemas. uma balada sai uns 50 reais em uma noite fora o dinheiro gasto com bebidas se as pessoas exagerarem. um livro em um sebo sai uns 10 reais, uma grande maioria. metade do valor do ingresso de cinema. claro q em sebos os mais antigos são mais baratos. se precisar comprar um livro aí é mais difícil. mas se é pelo prazer de ler, sempre achei bons e baratos livros pra comprar e fico sempre de olho em promoçoes em livrarias virtuais que não faltam. volte e meia recebo q vários livros estão por 10 reais e há vários títulos interessantes. acho sim q livro é caro no brasil, pra estudar e ter q comprar complica. mas aquele livro fantástico, as barbas do imperador sobre dom pedro II tem aos montes no estante virtual por ótimos preços. e eu já comprei por lá e foi ótimo. ainda prefiro percorrer sebos, gosto de pegar o livro na mão. mas quem não pode é uma ótima pedida. e vejam as bibliotecas públicas do seu bairro. no metrô paraíso tem uma biblioteca, é só fazer a carteirinha. tem uma perto da igreja do calvário na henrique schwaumann. e se pegar livro emprestado devolva sempre e bem cuidado. pq aí vão te emprestar outros. e em listas de amigo secreto peça livros. há bibliotecas em várias escolas públicas e é só fazer carteirinha. tem outra no butantã em um centro de convivência perto do shopping butantã. na galeria olido tem outra. inclusive tem aquelas bibliotecas, vou pegar o link no meu blog, eles se chamam ponto de leitura e é da prefeitura, tem vários endereços, além dos endereços no meu blog tem os links pra ir ver onde estão http://mataharie007.blogspot.com/2009/03/ponto-de-leitura-olido.html

Nice Bacchini disse...

Cacá,um artigo muito interessante quando discute a questão de leitura em nossa sociedade. Concordo com vc sobre os preços dos livros, assim como a questão das bibliotecas, em muitos lugares não encontramos uma biblioteca adequada. Existem algumas cidades que têm uma boa biblioteca, mas não são tão frequentadas, já que os jovens de hj preferem fazer uso da internet, para mim uma das causas que afastaram os jovens das leituras. Antigamente começávamos a nos interessar pela leitura, bem cedo, lendo gibis. Não vejo as crianças de hj sentirem interesses por essas historinhas, já que estas são contadas pelos os filmes de grandes produções, ou na internet. E é "aí" que nós os pais perdemos a luta. Por mais que incentivamos. Isso sem levar em conta dos resumos dos livros encontrados nela.É duro!!!
Mas a gente vai lutando.... showw.. Boa Semana.. abrços

Valéria disse...

Oi Cacá!
As estatísticas são mesmo desestimulantes! Acho que cada vez mais, apesar das tímidas campanhas a tecnologia vem ganhando este espaço. Quando a criança já tem a predisposição de um bom leitor independente de qualquer outro estímulo ela lê, mas nem todos dão atenção aos indícios e a criança perede de explorar este maravilhoso mundo da leitura. É uma pena! Um agravante é o preço dos livros, caros heim? Para nossa realidade então!

Abraço e ótima semana!

Maria disse...

Amigo Cacá não é só no Brasil que se lê pouco, penso que aqui no meu país também se vai dando cada vez menor valor à leitura. Os jovens lêm os livros obrigatórios mas leituras facultativas já é outra coisa. Talvez por haver tantos estimulos na àrea da tecnologia que os cativam de outra maneira, não sei. Eu tento estimular a leitura nos meus filhos e eles gostam de ler, mas vejo que dão preferência aos computadores.
Boa semana
beijinhos
Maria

Marcelo Pirajá Sguassábia disse...

Quanta lucidez neste texto. Realmente, o quadro não é nada alentador. Oremos, ou melhor, leiamos!!
Abraços, Cacá.

。♥ Smareis ♥。 disse...

Oi Cacá um texto que vale ouro... A leitura tem uma estatísticas ainda muito baixa no Brasil. Falta mais estímulos tanto em casa, quanto nas escolas. Antigamente a leitura era mais bem vinda nas escolas, em casa, porque não havia tanta tecnologia como agora. As bibliotecas perderam espaço pra internet.Qualquer pesquisa e tudo na internet, e tudo já vem Prontinho só mesmo o copia e cola.Acredito que a leitura precisa ser mais incentivada em lugares público, com doação de livros. Concordo que tem livros que estão mesmo caro, Por isso o governo teria que ajudar nessa parte.
Hoje uma criança prefere ficar num vídeo-game o dia todo, e reclama em ficar meia hora lendo um livro. Não podemos é desistir.A leitura de um bom livro é um diálogo incessante: o livro fala e a alma responde.Deixo um beijo grande e desejo de um ótimo começo de semana. Abraço!
Smareis

Néia Lambert disse...

Cacá é desanimadora a constatação de que a maioria das crianças e jovens de hoje gastam seu tempo com jogos eletrônicos e virtuais. O não gostar de ler traz consequências como a péssima qualidade da escrita, a redação no vestibular é uma prova disso, as pessoas estão desaprendendo o português, cada dia mais. O hábito da leitura é fundamental!

Um abraço.

C. disse...

Cacá, minha história com a leitura foi motivada pela minha própria vontade. Nao sei na sua casa como era, mas meus pais nao tinham o hábito, justamente porque o livro é caro, e nao é de hoje, existiam outras prioridades.
Hoje em dia já é diferente, em Curitiba (de onde eu sou) tem os farois do saber que é o tipo de uma biblioteca que o aluno de baixa renda acha todo tipo de livro. Acho um super incentivo esse da prefeitura.
Claro que o incentivo maior tem que vir desde que a pessoinha nem se conhece por gente ainda, um livrinho de historinha na mao sempre fará com que a criança de 2 anos, por exemplo, se interesse em ouvir historinha e assim tudo começa. Digo isso porque sempre que dou uma de baby sitter para o filho de um amigo, faco isso com a menininha e ela sempre tá com o livrinho na mochila, uma graca.

Beijos!

Misturação - Ana Karla disse...

Acho lamentável que uma prática prazerosa seja relativamente cara, deixando limitada a questão da leitura.
Sem falar na falta de orientação adequada as crianças, criando nela uma aversão a livros.
Marilene disse bem: há pais que não incentivam e professores que impõem leituras inadequadas a idade.
Boa semana Cacá.
Xeros

Rô... disse...

oi meu amigo,

uma coisa é certa,
se eu fosse professora
no nosso País,
eu estaria chorando
de desgosto,pode acreditar,
fico muito triste com essas estatísticas,
triste mesmo...
tem que ensinar a ler,
como se ensina a escovar os dentes...

beijinhos
gelados

Celina disse...

Oi Cacá, boa noite tudo de bom para vc. Parece impossível ter pessoas que não apreciam a leitura, não tem companheiro melhor que um livro, nele viajamos, conhecemos o autor os seu pensamentos, apreciamos a cultura de cada povo. Se lermos um clássico, estaremos conhecendo um pouco da historia, se moderno estaremos sendo informado. Acho que o livro nunca será superado por nenhuma invenção . abraços Celina

Leninha disse...

Cacá amigo,sempre estimulei filhos e alunos a lerem muito e com alguns consegui,com outros não...daí penso que existe em algumas pessoas algo que as conduz à leitura,independente de forças externas.Tenho um neto que lê muito e dois que nada leem...todos foram incentivados e muito.De minha parte,tive uma avó que lia para mim todas as noites e quando aprendi a ler,devorava o que visse pela frente,isto aos seis,sete anos.
Bjsssss carinhosos,
Leninha

Jaime Guimarães disse...

Já tratei sobre esse assunto no meu blog, Cacá, mas sem aprofundar muito como fez o autor;

O estímulo à leitura vem de muitos lugares. Atribuir somente e apenas à escola essa missão é um tanto injusto. Lembro que até pouco tempo atrás as HQ´s eram mal vistas dentro das escolas - eu mesmo tive um gibi "confiscado" durante a infância. E a partir das HQ´s é possível, sim, estimular o gosto e o prazer da leitura. Eu sei porque foi assim que comecei a amar a leitura. E dos gibis fui para as enciclopédias, depois para os gêneros literários diversos, etc...

O professor Affonso Romano de Sant´anna sempre trata deste assunto em algumas de suas crônicas. Vi recentemente um livro lançado por ele chamado "Ler o Mundo" ( acho que é esse o título) e já está na minha listinha deste ano rs

Abs!

Web Statistics