terça-feira, 9 de agosto de 2011

BOLSAS E CASSINOS

imagem DAQUI

Tá certo, o jogo de azar é proibido, mas pensando bem o maior cassino do mundo se chama bolsas de valores. Uma aposta em que  joga-se a sorte do mundo ali nas ações das empresas que comandam o poder no planeta. O mundo não quebra, minha gente. O que acontece nas grandes crises é o dinheiro mudar de lugar e às vezes de bolsos. Só quebraria numa catástrofe que eliminasse a maior parte da população e das edificações que temos, onde quem sobrevivesse teria que começar do zero novamente. No mais é a especulação financeira mudando o rumo das coisas na vida de todos. Como pode as bolsas quebrarem o mundo? O dinheiro evapora-se? Já viram algum pregão com gente colocando fogo em notas  de dinheiro? Isso sim, seria quebradeira e chororô.

Na última crise de 2009 (que chegaram a comparar com a de 1929), o que vimos depois? Uns poucos empresários falidos, outros em situação difícil e de outro lado, aparecendo ricaços do dia para a noite. E ainda temos aquela triste realidade subjacente e subalterna do poder político com o poder econômico: os governos dos países primeiramente afetados correm para socorrer as grandes empresas e os bancos sob o argumento de que eles é que tocam a nossa vida para frente através de suas empresas e dos empregos que geram. Só que tiram o nosso dinheiro para dar a eles sem garantia de nada mais à frente. 

A maior desvantagem desse jogão em relação aos cassinos e bingos é que nestes,  somente algumas pessoas perdem dinheiro, patrimônio pessoal,  auto estima e criam problemas familiares. No cassinão da bolsa, quando há crises, a gente tem que ficar torcendo para não afetarem o nosso país. Estamos todos nas mãos de jogadores.

29 comentários:

J@de disse...

Dinheiro é a melhor e a pior coisa do mundo!!
Em 2009 eu deixei de ganhar dinheiro pq não segui minha intuição... alguém ganhou né?
Beijos!!

Marcelo Pirajá Sguassábia disse...

Amigo Cacá, você está absolutamente certo. Nisso aposto todas as fichas. Abraços, amigo.

✿ chica disse...

Em resumo: sempre soooooooooooobra pra nós,rsrs abração,chica

Berzé disse...

Cartas marcadas.Muuuuito marcadas.Pelo menos a gente tenta não ser bobo, tentamos entender.
Abração Cacá!
Berzé

Aninha disse...

É verdade msm, heim amigo??? Ponto de vista corretissimo este o seu... A gente n pode jogar por conta própria, mas tem que vonfiar nesses jogadores...
Boa semana p vc e akele abraço

Zélia Guardiano disse...

Isso mesmo, meu querido Cacá! Cassinão!
Com crupiê cruel, ávido pelas nossas míseras fichas...rs...
Você explanou muito bem a questão!
Abraço, amigo.

Pedrita disse...

outro jogo de azar é a loteria esportiva e essa pode. inclusive é mencionada como um grande negócio nos principais jornais televisivos. volte e meia ouço em um jornal q a dezena sei lá do q está acumulada. mas se vc pede pra um jornal falar de um lançamento de um livro eles não tem espaço para isso. e em dois canais abertos agora são intermináveis as propagandas de títulos de capitalização. o brasil parece amar uns jogos de azar e estranhamente proibir outros. beijos, pedrita

Lena disse...

Oi, Cacá
Muito legal essa analogia das bolsas com o de mais jogos de azar. Na realidade, as Bolsas de Valores são os grandes cassinos do mundo, aterrorizando os menos favorecidos e os pequenos poupadores de uma forma injusta, e arrebentando os especuladores, aqueles que costumam detonar o país. Tristes realidades nós pobres mortais temos que enfrentar. Bjs.Excelente texto!

zelia maria disse...

Tai, razão tem voce, o dinheiro só muda de mãos, bem pensado. Valeu zé, beijo de zélia

Valéria disse...

Oi Cacá!
Passeando pelos blogs vejo sempre seus comentários inteligentes e por trás deles encontrei um blog com textos variados e atuais.
Realmente o que vemos hoje é uma vulnerabilidade interessante, um espirro lá não sei onde e o mundo fervilha em especulações onde uns poucos saem ganhando e nós pagamos as contas.

Abraço!

Toninhobira disse...

E o Cassinão é fragil, não suporta uma ondinha, para que se inicie uma avalanche.Da outra superamos, pois era uma marolinha, mas agora parece que a coisa cresceu e não quero lembrar da Indonesia.
Um belo e oportuno texto amigo.
Meu abraço de paz e luz.

Smareis disse...

Gostei muito de conhecer seu blog. Seu texto são muito bem produzido e com muita sabedoria.Jogo de azar, ja diz tudo. Só da azar, mas pra que joga pouco, pra quem joga muito sempre sobra.Quando há crises, a gente tem que ficar torcendo para não afetarem o nosso país. Estamos todos nas mãos de jogadores.(Você disse tudo)Um abraço e ótima semana. Ah! convido a conhecer meu blog rs.Um abraço e parabéns pela leitura. Smareis

Solange Maia disse...

e que se façam as apostas !

e a gente na expectativa desse bando de malucos...

.
.
.

quero agradecer as palavras lindas e carinhosos que deixou prá mim, viu ? fiquei emocionada... muito obrigada...

beijo especial !

Lívia Azzi disse...

Sempre lembro de algum livro quando venho aqui, Cacá!

Dessa vez foi "O jogador" de Dostoievski: "Um 'gentleman', por exemplo, arrisca cinco ou dez luíses, raramente mais - quando é muito rico talvez chegue a mil francos -, porém ele os arrisca por amor ao jogo, somente pelo prazer de jogar".

Renata Diniz disse...

É verdade, Cacá. E onde quer que estejamos estamos formatados para o lucro. Sempre preocupados com o pagar menos e levar mais. Não suportamos perdas. Abraços!

Aleatoriamente disse...

Cacá, é uma mola que amola viu?
Amei o texto.
Você como sempre, dando um show.
Gostei muito de te ler.

Amei o poema que me deixou.
é muito bonito.
Obrigada amigo.

Beijinho

Andre Martin disse...

É jogo de azar para uns, jogo de sorte para poucos...

Texto bem escrito.

E o que dizer das loterias, só são podem as que são do governo, legais. Ninguém pode fiscalizar!

Aproveitando o tema,
tenho uma pergunta sobre
Humores extremos
http://famainfame.blogspot.com/2008/10/humores-extremos.html


LUCONI disse...

Cacá você espirituosamente fala de uma situação em que os verdadeiros perdedores somos nós que nem de longe frequentamos tal cassinão, é o povão que sempre paga a conta, como você diz tão bem nada realmente muda, pelo menos para nós se mudar é para pior, obrigada pelo seu carinho em meu blog, tua presença é valiosa, obrigada, beijos Luconi

Lua Nova disse...

Disseste-o muito bem!
E nesse jogo de azar, o jogo é pra "eles" e o azar é pra nós, os pobres mortais que sempre pagamos o pato.
Beijokas.

Mariazita disse...

Olá, Cacá
Concordo inteiramente com a sua análise.
Sabe que muitas vezes tenho lançado para o ar a pergunta: o que foi feito do dinheiro que havia antes da crise (que, ao que parece, é mundial, ou quase...)
A maioria dos países está de corda ao pescoço. Então eu pergunto: para onde foi o dinheiro que havia?
Que se saiba ninguém o queimou nem rasgou, portanto ele existe... Onde está???

E com esta pergunta vou de férias, a ver se descubro a resposta:)
Até lá, desejo tudo de bom p'ra vc.

Abração e beijinhos

PS - Pondere bem antes de se mudar para o campo. Lá a vida pode ser muito bucólica, muito romântica... mas tem um custo muito elevado:)))

Meire disse...

Cacá querido, e ainda por cima de jogadores ruins e do mal!!
Socorrro!!

Linda quarta pra ti, sua presença sempre ilumina o Crystal :)

bjokitas com master carinho meu.

Leninha disse...

Cacá querido,bela e acertada analogia.Só que este Cassino é apenas frequentado por tubarões,peixe miudo não entra...mas paga o pato...
Bjsssss e uma linda tarde,
Leninha

Celina disse...

Oi Cacá passei para agradecer a visita e as palavras gentís. Quanto a jogar eu não jogo em nada, o pouco que tenho dar para viver. Um abraço Cacá. Celina.

Celina disse...

Oi Cacá passei para agradecer a visita e as palavras gentís. Quanto a jogar eu não jogo em nada, o pouco que tenho dar para viver. Um abraço Cacá. Celina.

Vera Lúcia disse...

Olá Cacá,
Você disse o essencial. Estamos nas mãos dos jogadores. Crises e marolas sempre resvalam sobre o cidadão
que cumpre com suas obrigações legais.
Grande abraço.

pensandoemfamilia disse...

Eu não gosto nem entendo de jogos, mas o pior que querendo ou não estamos dentro, e sempre sobra para nós.
bjs]

Nice Bacchini disse...

Pois é Cacá, perdem-se muito dinheiro nas bolsas...um capitalismo bem selvagem, quando a mercadoria negociada é próprio dinheiro, não dá muito para entender isso.. boa noite... abraços

C. disse...

Sou peixe pequeno, meu amigo, e ultimamente tenho ressentido muito mais a onda gigante. Logo minha raca estará em extincao auahuah.

Adorei o texto!

Web Statistics