terça-feira, 31 de agosto de 2010

ESSA NOITE NÃO


O título acima é de uma música (abaixo) de Lobão que dei a interpretação que me coube no momento. Não é o caso aqui de inventar o que o compositor quis dizer com os versos e sim o que eu ousei. É que a solidão tem motivos variados. E acontece que eu estava pensando agora há pouco sobre  holofotes  que se acendem e se apagam criando luminosidades ou ofuscando caminhos.

Olha só como é que eu vejo algumas acontecências na vida: O instinto de sobrevivência humano era para ser apenas um mecanismo de defesa. Virou competição e nesse caso, a melhor defesa é o ataque. Não quer dizer que o ataque tenha o fim de matar um ou outro, apesar de acontecer muitas e muitas vezes, mas através de uma competição para o vivente sobressair acima de tudo e de todos. Ah, se não fossem umas leis... Já teria gente montando impérios como na moda antiga, cheios de haréns, escravos e súditos. Vontade é que não falta por aí.

A busca da fama, o desejo de reconhecimento, a população que aumentou demasiadamente, o talento do ser humano, a inteligência, a imaginação e a criatividade não comportam tudo o que todos querem e nem todos se satisfazem com uma pequena notoriedade. Tem-se que ser o maior, o melhor. Tudo e todos ao Sucesso. Assim como se produz essa máxima no mundo dos negócios, se reproduz na vida pessoal. A necessidade de se sobressair pode levar à glória se tudo der certinho, seja por talento puro, esforço descomunal, fraude ou apenas sorte. Ou à depressão se as coisas não se efetivarem conforme se deseja. Também pode levar a um inconformismo marginalizante ou ainda pode levar a um auto-extermínio. Poucos se contentam com a efemeridade e a não imortalidade em vida. Nem que seja apenas um reconhecimento em família. Afinal, a vida vive procurando sentidos e levando a gente junto, não é mesmo?

A cidade enlouquece sonhos tortos
Na verdade nada é o que parece ser
As pessoas enlouquecem calmamente
Viciosamente, sem prazer

A maior expressão da angústia
Pode ser a depressão
Algo que você pressente
Indefinível
Mas não tente se matar
Pelo menos essa noite não

As cortinas transparentes não revelam
O que é solitude, o que é solidão
Um desejo violento bate sem querer
Pânico, vertigem, obsessão

A maior expressão da angústia
Pode ser a depressão
Algo que você pressente
Indefinível
Mas não tente se matar
Pelo menos essa noite não

Tá sozinha, tá sem onda, tá com medo
Seus fantasmas, seu enredo, seu destino
Toda noite uma imagem diferente
Consciente, inconsciente, desatino

A maior expressão da angústia
Pode ser a depressão
Algo que você pressente
Indefinível
Mas não tente se matar
Pelo menos essa noite não

15 comentários:

Tati Pastorello disse...

Oi Cacá, nem sei como comentar, mas não gostaria de deixar de fazê-lo. É que estou digerindo sua reflexão, com a qual concordei. Me trouxe algumas questões importantes, varridas para baixo do tapete, aquelas que não queremos encarar muitas vezes.
Realização pessoal pode não fazer sentido com este tal sucesso propagado. Eu busco a primeira, algumas vezes (muitas) encontro barreiras na família, e a principal alegação é desperdício de talento. Ora, se faço o que gosto, o que amo, não estou desperdiçando nada, não é?
Vou pensar mais um pouco. Não sei se era o que você queria dizer, em mim fez sentido deste jeito!
Beijos.

Chica disse...

É um tal de pega pra capá que não se aguenta. Muito feliz tua crônica,como de costume.

Quero agradecer o carinho como Neno, que como sabes, é danadinho e umdoce de gurizinho. (e a vó NÃO é coruja,srrs)abraços,lindo dia,chica

Elayne C.A. disse...

EU AMO ESSA MÚSICA CACÁ.MUITO FELIZ O LOBÃO! E você também,em nos fazer refletir.Escreveste de forma coerente o que tentei em texto sobre espelho, lembra? É exatamente isso. Egolatrias do mundo contemporâneo, principalmente, mas sempre existiram, hoje potencializada pela pressão que se é exercida sobre todos. Precisamos trabalhar esta questão e saber dividir até que ponto a nós torna-se prejudicial.Remédios em doses altas vira veneno...

Isadora disse...

Cacá, excelente txto de alerta. Muitas vezes as pessoas acabam, sim, por passar por cima das outras para buscar a sua satisfação. Esquecemos que todos tem direitos. E que temos que aceitá-los.
UIm beijo

lis disse...

Boa interpretação Cacá.
A todo momento estamos assistindo o quanto as pessoas gostam de holofotes e flashs espoucando em si mesma.E cada uma se achando mais!! rs
essa superficialidade e o provável insucesso e angústia , pode provocar a depressão.
Há muitos casos nessa categoria de egos .
Mas "essa noite nao" né Cacá rsrs

muitos abraços, com carinho

Cantinho do Neno disse...

Oi cacá, sou o neno. Fico feliz que você tenha gostado do meu novo blog obrigado por me visitar bjs neno

O que elas estao lendo!? disse...

Ei Caca, você sempre lá no O que elas estão lendo!? Dando uma opinião masculina no meio das mulheres! Bem vindo sempre, porque por lá, nós também adoramos Lobão!

pensandoemfamilia disse...

Ser celebridade. Ao mesmo tempo se tem holofotes e se pode ser solitário.
Reconhecimento é essencial e cada vez mais é dificil de acontecer, pois os critérios, valores estão tão diversificado que muitas pessoas ficam frustradas.
bjs

Celina disse...

Oi cacá, li o seu texto, estou pensando como comentalo, so sei dizer que é dificil conviver com a fama com o poder principalmente se não estiver preparado. o cara pira deixa de confiar nos amigos,tem uma dupla sertaneja que um deles está com depressão e olha que eles ralaram quase dez anos., hoje são votoriosos. olha o preço. Agora eu pergunto será que a fama seja lá em que ária for, trais felicidade? não quero dizer com isso que a pessõa deixe de lutar pela sua chance,mais quando ela chegar tenha muito cuidaddo aceitando os autos e baixos que o sucesso trais.Abraço Celina

Djanira Luz disse...

Querido José, em um conto meu - Mães dos meus filhos, escrevi sobre isso que agora transcrevo...

(...)Num gesto humanitário, as pessoas pouco a pouco foram quebrando espelhos. Pararam de olhar para si. E sem perder tempo olhando para seus próprios interesses, enxergaram beleza no outro e o amor ia transformando orgulho em perdão, ódio em reconciliação, inveja em solidariedade, desprezo em esperança. Bastou um gesto de amor para que o mundo percebesse o quanto é mais fácil amar do que fazer a guerra...

E é bom por aí!rs Sucesso para mim é valorizar mais o outro que a nós mesmos. Muito sensato o que escreveu. Beijoquinhas

Jaime Guimarães disse...

E olhe que com esse monte de leis que temos, Cacá, estão passando por cima de tudo quanto é valor, ética ou humanidade em si.

Gosto dessa música do Lobão e logo nos primeiros versos já se revela:

"A cidade enlouquece sonhos tortos
Na verdade nada é o que parece ser
As pessoas enlouquecem calmamente
Viciosamente, sem prazer"

Viciosamente, no automático, as pessoas já estão condicionadas a seguir certos padrões que não determinados por elas mesmas, mas impostas. E quando acabam se tornando vícios ("não aguento ficar parado, prefiro trabalhar, movimentar") qualquer coisa que saia fora dos padrões impostos é considerado fora do normal, loucura, bobagem.

Por isso muitas pessoas acabam entrando em depressão. Quantas não seguem o fluxo mesmo desejando estar no contra-fluxo, não seguir certos padrões, ter alguma liberdade?

Mas e se fosse concedida alguma liberdade, saberiam o que fazer? Será que Camus estaria certo? A liberdade é a falta de liberdade?

A angústia, os fantasmas...quanta coisa reside por aí.

E deixa eu parar que tô viajando demais...rs

Abs! =)

Toninhobira disse...

Perfeita carona em Lobão, para uma postagem em que a reflexão é vasta, que pode fazer os mergulhos pela sociedade ou mesmo para dentro, na busca do que te faz feliz ou angustiado.Essa noite não bem sugestivo.Viajei ate Belchior me mate a tarde, as três mas esta noite não que tenho um compromisso. Viajar pelos caminhos da busca desenfreada,angustiar-se a bela receita para morrer na noite ainda que alguns digam não.
E vamos por ai amigo Zé. Meu abraço.

CESAR CRUZ disse...

Pois é, Cacá... A busca pelo sucesso é uma luta vã, por nada. E esse nada só se descobre no final, quando as luzes já se apagaram. As luzes da vida. Eu, que já estou a dias dos meus primeiros quarenta anos, vivo uma fase de reflaxão acerca justamente disso: o que de fato é o importante na vida da gente?

Abraço, amigo
Cesar Cruz

Ester disse...

Oi Cacá!

Seu texto merece uma reflexão mais profunda...
Vemos ao nosso redor com frequência pessoas passando por cima das outras em busca desenfreada de notoriedade,
tornou-se algo corriqueiro como se fizesse parte da vida... A depressão muitas vezes é ocasionada por tentativas de ir contra o senso comum, ou nadar contra a maré,

´
òtimo texto! Abraços,

Ester disse...

Oi Cacá,

voltei...

Eu já te conhecia do Recanto das Letras, vc chegou a adicionar meu outro blog o Sobre Pele, Lá no Recanto utilizo meu nome hebráico Hadassa Mar.

Beijos,

Web Statistics