segunda-feira, 6 de junho de 2011

LER NÃO CAUSA L.E.R. * - Sérgio Rodrigues


imagem google

Meu filho de 12 anos anda se engalfinhando com dois livros recomendados pela escola: “Auto da Compadecida”, de Ariano Suassuna, e “The red badge of courage”, de Stephen Crane (isso mesmo, no original, para a aula de inglês).

Bons e importantes livros, ninguém discute. Mas serão escolhas sábias para leitores dessa idade? Não vou fingir que entendo de pedagogia, mas literatura eu conheço um pouco. Uma peça teatral de Suassuna e um clássico americano do século 19 (que, mais do que ler, eu traduzi, e posso garantir que é datadíssimo) me parecem opções desastrosas – a segunda, então, beira a piada. Em sua aparente insensibilidade para os desafios que a palavra escrita enfrenta com a geração Playstation, chegam a ser desanimadoras. E estamos falando da “moderna” Escola Parque, no Rio.

É claro que meu filho avança lentamente e de má vontade nas duas tarefas. E olha que, criado numa casa cheia de livros e conversas sobre livros, ele gosta de ler. Entre muitas outras coisas, se apaixonou pelas aventuras de Harry Potter, devora tudo do Tintim e atualmente vibra – quando Suassuna e Crane deixam – com “Capitães da areia”, uma recomendação minha, tentativa modesta de compensar a aridez do dever de casa.

Não, não acho que a escola deva enfatizar demais o prazer em detrimento da disciplina, do compromisso. É a impressão de que esse equilíbrio não vem sendo sequer buscado que me preocupa. Como pai determinado a deixar de herança para os meus filhos no mínimo uma parcela da paixão pelos livros que toma boa parte da minha vida, vou me dar por satisfeito se a escola, caso seja incapaz de contribuir, tentar pelo menos não atrapalhar.
Fonte: Sérgio Rodrigues AQUI: 

* L.E.R. – Lesão Por Esforço Repetitivo

11 comentários:

por Hope* disse...

Por essas e por outras que muitos crescem com total desinteresse pela leitura e consequentemente a escrita.
Parece que essas pessoas esquecem que hábito parte mais facilmente do prazer, e prazer muitas vezes requer identificação...
Bjoo Cacá, uma boa noite!
=)

Lis disse...

Uma pena Cacá que as escolas ainda nao aprenderam incentivar seus alunos a leitura.
Também tenho observado total descaso por onde transito ou seja as reunioes de pais e os deveres de casa.
Deixo um abraço mais longo Cacá, vou me ausentar por um período , volto a cdade natal pra ultimar alguns assuntos.
Se der, com certeza virei ve-lo.
nao me esqueça ok? rs
fique bem, boa semana

Sabor de Pitanga disse...

Cada coisa no seu tempo! Uma crianca de 12 anos ainda nao está preparada para leituras muito complexas.

Um adolescente lendo Kafka, por exemplo, nao saberá assimilar nada do que leu! É preciso respeitar as fases da idade.

Abracao, Cacá.

✿ chica disse...

Acho em primeiro lugar que as escolas não deviam impor autores e livros.

É HORROROSO ler por obrigação.

Falo por mim ,lembrando os tempos de escola.

DETESTAVA ser obrigada e me vali dos resumos das enciclopédias para fazer os trabalhos sobre eles. Tenho quase certeza, pelas notas que eu sirva que nem os professores liam as obras que nos faziam engolir goela abaixo, pois eu dava detalhes que nem exitiam.

Criava baseada nos resumos simplesmente.E olha, não me arrependo...

LER faz bem quando é agradável e temos interesse pelo tema ... Senão, faz mal,srrs...Pelo menos pra mim...

abraços,chica

Cantinho do Neno disse...

Oi Cacá,vim deixar um beijo e desejar um ótimo começo de semana pra ti!!!
Bjs do Neno

pensandoemfamilia disse...

Esta realmente é dificil. É muito importante que a leitura se adapte a faixa etária para a construção do prazer pela leitura.
Abraços.

Cronicando disse...

Cacá, fiquei com trauma de literatura por causa disto por anos. Acho que vc está coberto de razão. Abraços.

Miriam de Sales Oliveira disse...

Meu caro,essa é uma das minhas batalhas;vários textos já foram escritos e várias palestras ministradas sobre privilegiar o prazer da leitura sobre a obrigação da leitura.
Digo no texto:-Começa-se com Harry Potter e chega-se a Jack London.
Acredito nisto.
Esta geração é diferente da nossa,mas,ninguém parece entender.

Tais Luso disse...

Cacá, nada mais certo este texto e os comentários postados até agora, também gostei muito!

Tenho estas coisas entaladas, não descem. Será muito difícil para um professor deixar os alunos escolherem suas leituras? O primeiro passo é a escolha, ler por prazer. Eu também passei por isso e, se ultrapassei tais barreiras dou o prêmio à minha persistência, à minha curiosidade e por que meu pai era escritor. Fui criada com livros. Mas se fosse pela escola... teria sido um desastre neste 'quesito'.
Liberdade de escolha, professores, primeiro é formar o hábito!

Um beijo

Tais Luso

Celina disse...

Cacá boa noite, a minha filha mais velha nunca gostou de ler , sou os livros didáticos, os outros quando tinha que fazer um trabalho, lia as orelhas do livro, rsrs, os livros de hoje não trais mais okelhas é rarissimo. Um abraço Cacá.

Denise disse...

Imagine o que estão padecendo, os colegas que não gostam de ler...

Equívocos como esses, contribuem para o desinteresse que se observa nos jovens, antes que descubram o prazer de ter um bom livro nas mãos - quando acontece!

Bom pai e comunicador, desenvolveu mais um texto importante e objetivo.
Boa terça, Cacá.
Bjos

Web Statistics