sábado, 30 de abril de 2011

POEMA CANINO

 A NOTÍCIA


Plano de saúde "bom pra cachorro"

 


Coração de mãe sempre cabe mais um, nem que seja um animalzinho.

Miriam sabe bem o que é isso. Ela que já cuidou dos três filhos agora também divide o seu carinho com a cocker Mel, além de Rick, da raça golden.



Quando o caçula chegou em casa, a "filha" mais velha já havia sofrido um acidente grave que resultou em um edema e teve que ir às pressas ao hospital veterinário. Chegando lá, ela teve problemas com os pontos arrebentados e recebeu todos os cuidados necessários, para o alívio de Miriam. Se a dona de casa arcasse com todas as despesas médicas teria que desembolsar cerca de quatro mil reais. "Mas não tive custo algum, pois tinha um plano de saúde que cobriu tudo. Foi a minha salvação", conta.

O pequeno Rick também tinha o seu próprio plano. Logo de cara, o filhote precisou receber três doses de vacina anti-rábica, equivalente a 210 reais... LEIA O RESTO AQUI: 


O POEMA

Disse a senhora:

- Credo em cruz

arranjei um plano de saúde

livrei meu cão do SUS



- Se adota é como filho

não importa se é gente

Cachorro é da família

e negar dá quizilia.



Se quiser ser diferente

como era antigamente

lhe acusam de maus tratos



Pague tudo, médico, dentista

banho, tosa, até oculista

Tem  ainda adestramento

 só falta ensinar a falar



Ainda vão inventar

um fonoaudiólogo para latidos

E se não derem ouvidos

terá também um PROCÃO

pois procon é para cidadão,

é para gente enganada

Mas, cachorro, qual nada!

o dono arruma confusão



Imagina a classe de um cão

com plano de saúde

coleirinha de brilhante e roupa de festa

sendo ludibriado, o dono detesta

o cão late, morte, protesta.



E o povo segue amiúde

fazendo valer a raça 

E a canina fidelidade

não é mais coisa do animal

É do povo insano

transformando em humano.

Cão e gato,  que barbaridade!



E se tem alguém que titubeia

pergunte àquele ex-ministro

- Cachorro é como gente

Dizia ele sinistro

- Tem sangue humano na veia



Agora só falta mais uma

a última ação em prol

dessa reviravolta, esse arrebol:

É deixar uma herança

em testamento, uma poupança

pra quando partir o dono

o bicho não viver em abandono

que nem vive nas ruas

tanto  idoso, tanta criança.

23 comentários:

✿ chica disse...

Que maravilha de poesia e tema...É preocupante,mesmo que visto com bom humor...

Não sei se lembras da Mel Redi do RL. Estou ainda chocada, com sua morte... E pra me deixar mais abalada, ao entrar na sua ewcrivaninha, encontro o último texto dela por lá:uma homenagem pra mim.Pode? Coisas da vida! abração,lindo fds,chica

Zélia Guardiano disse...

Fantástico, Cacá querido!
É incrível a capacidade que você tem para colocar na escrita aquilo que pensamos e muita vez não encontramos palavras que bem expressem o sentimento.
Show, amigo!
Grande abraço da
Zélia

magia em versos disse...

É tem cachorro que tem vida melhor que muita gente por aí!
Sou a favor de sempre cuidar dessas "crianças peludas" e resgatá-las, mas nada de exageros também como muitos fazem, que você citou de deixar heranças.
Isso já é uma cachorrada,hehe.
Divertido e uma bela mensagem!
abraços

Sam disse...

As vezes eu queria ter uma vida de cão. Vida de cão mesmo! rsrs

Meu carinho, Cacá.
samara Bassi.

Thomaz Ribeiro disse...

Coisa estranha, ninguém quer trocar o seu cachorro por uma criança pobre, como aconselhavam os versos da canção. A gente se apega a cada coisa!
Abraços.

Cores da Vida... disse...

Eles são membros da família.
Portanto, toda melhor ajuda (tratamento), é bem vinda...

Beijos,

Amapola disse...

Boa tarde, querido amigo Cacá.

Lindo o poema e o texto.

Eu tenho muitos gatinhos, mas depois que estão castrados, deixaram de dar despesas com veterinário.

Cada dia chegava um, todo estrupiado, de tanto disputar fêmeas nas redondezas. Um deles ficou com gesso na perninha, durante dois meses. Foi uma trabalheira.

Agora que todos estão sossegados, até a minha insônia acabou. Eles dormem na cama, comigo. É um show!!
Tenho motivos pra rir, o tempo todo.

Parecem crianças.

Um grande abraço.
Tenha um lindo fim de semana.

Lis disse...

Oi Cacá
Sempre estranhava esse amor e gastos absurdos que via pelos animais. Precisei ganhar um gato pra entender! rs
Hoje vim especialmente agradecer a sua amizade, atenção e carinho.
O flor de lis faz dois anos e só me deu alegria , é bom fazer amigos talvez sempre distantes , mas resolvendo plenamente a carência e solidão que possa haver em dias mais turvos.
Só sei que adorei conhece-lo e aprendo com suas escritas , gosto de ler o que publica.
Obrigada Cacá
deixo abraços

Celêdian Assis disse...

Os marcadores que você usou para o texto, gente, animal de estimação, ironia, sarcasmo, foram muito bem escolhidos, para falar desta relação complexa de cumplicidade total entre homens e animais. É irônico pensar que há pessoas que dão aos seus animais um tratamento como se fossem humanos. É claro que é preciso cuidado, carinho, boa alimentação, mas não é preciso chegar a extremos. O sarcasmo fica por conta dos planos de saúde para cachorros em contraposição àqueles simples humanos que precisam enfrentar no SUS.
Tenho cães em casa, amo-os, mas cada um de nós em seu quadrado...rssr. Ótima crônica, Zé.
Um grande abraço, meu amigo e um excelente fim de semana.

Tatiana disse...

Nem fala Cacá, lembrei que meu "caozao", ta precisando de um banho..rs, brincadeira a parte, nem tanto a terra ,nem tanto ao ceu,tem gente que passa!!!
Queria ter metade da sua magica com as palavras!!
Bjs.

Rô... disse...

oi Cacá...

delicia de ler,
só mesmo quem tem um bichinho desses em casa,
sabe avaliar o assunto...
as despesas são de arrancar os cabelos...

é melhor cuidar bem desde muito pequeno e rezar com muita fé e força para que nada de pior aconteça,
senão...
ai,ai,ai...
zerou a conta bancária...

beijinhos

Nuvembranca disse...

Amigo... Nem sei o que dizer... Penso que você já disse tudo! Bom demais! Tenha um lindo domingo. Ainda estou sem net. Beijo da nuvem e Dani.

Milla Pereira disse...

Sempre espetacularmente magnifico, Cacá. Passando pra dxar um abraço grande e matar saudades. Milla

Maria disse...

Amigo sempre a escrever de forma brilhante.
Tenha um excelente Domingo.
Beijinhos
Maria

Renata Diniz disse...

As esquisitices parecem aumentar a cada dia. Não faz muito tempo deparei-me com a notícia de que crianças de 3, 4... anos estão comemorando o aniversário em um salão de beleza como se fossem socialites mirins e as mães achando muito chique e orgulhosas das filhas. Agora, mais esta do cão! Abraços!

Nice Bacchini disse...

Cláudio, obrigada pelo comentário, já passei por aqui, aliás fiquei interessada no seu livro de sobrenomes.
Por isso que não tenho um Cão, já pensou quantas despesas, ainda não estou preparada para isso, meu filho é louco por um, fico com pena dele, mas não quero mais trabalho. rss Ficou ótimo o poema...Adorei a sua entrevista na Arena das Crônicas... Abraços

pensandoemfamilia disse...

Sim preocupante tudo isto que menciona. Quantos cachorros são identificados vcomo filhossss???
Gostar de animais não tem nada a ver com o que está contaminando tanta gente.
bj

Aleatoriamente disse...

Pois é Cacá e as crianças e idosos?
Sei não!
Mas o que dizer desse poema?
Muito dez!
Você vestiu tão preciosamente as palavras numa Irreverência política.

Beijo meu querido.
Fernanda

Toninhobira disse...

Vida de cão já não assusta, e há quem quer esta vida amigo.Belo humor com a critica devida,sem entrelinhas mesmo.Um abraço de paz e luz.

Beth/Lilás disse...

Parabéns, Cacá!
Uma poesia que conta história.
O Brasil é um dos países no mundo que tem mais cão morando com famílias.
E pensar que tem tanta criança precisando de ajuda também.
abraço, carioca

JGCosta disse...

Alguns valores estão invertidos já faz muito tempo.

Parabéns pela reflexão que nos trás meu amigo!

Abraços renovados!

Web Statistics