segunda-feira, 2 de maio de 2011

CONVERSAS COM QUEM GOSTA DE ESCREVER - LIVROS

Gabriel Garcia Márquez
imagem google
 “Hamingway dizia que todo livro terminado é como um leão morto. E eu penso exatamente da mesma maneira: a angústia e a tensão estão na máquina de escrever, uma vez que o livro terminou preocupo-me muito pouco. A pior coisa da literatura é começar a escrever.”
José Saramago
imagem google

“Tenho uma disciplina que consiste em escrever duas páginas diárias. Formalmente não escrevo mais do que isso. Pode parecer pouco, mas duas páginas diárias, ao, fim de um ano, serão um livro com 800 páginas. Mesmo que pudesse continuar depois da segunda página, não continuo. Apenas acabo a oração, o período ou a frase, o resto fica pra amanhã.”

Philip Roth
imagem google
“Começar um livro é desagradável. Fico completamente indeciso quanto ao personagem e sua situação, e é com um personagem em determinada situação que tenho de começar. Pior do que não conhecer o assunto é não saber como tratá-lo porque, definitivamente, isso é tudo. (…) Com freqüência tenho de escrever cem páginas ou mais, antes de conseguir um parágrafo cheio de vida.”

Vladimir Nabokov
imagem google
“O esquema vem antes da coisa. Preencho os claros da palavra cruzada, em qualquer parte, com toda liberdade. Anoto os trechos em fichas, até terminar o romance. Meu esquema é flexível, mas sou bastante exigente quanto aos meus instrumentos de trabalho: fichas de cartolina com pauta e lápis bem apontados, macios, com borracha.”

Rachel de Queiroz
imagem google
“Detesto escrever. Não me lembro de escrever voluntariamente nada. O romance não é voluntário. É uma jornada que você inicia e que não se pode deixar no meio do caminho. Morro de preguiça”.

In: Como Escrevo, mistérios da criação literária, de José Domingos de Brito.



23 comentários:

Beth/Lilás disse...

Oi, Cacá!
Acho que para vocês, escritores, escrever é coisa fisiológica, necessária e que urge, lá de dentro.
uma ótima semaninha, bjs cariocas

Lis disse...

Surpresa na resposta de Rachel de Queiróz rsrsrs
Imagina-se que escrever seja como lazer quando na verdade para os escritores torna-se enfadonho como qualquer outro trabalho.

abraços Cacá
boa semana

Geyme Mannes disse...

Escrever é alimento para alguns escritores, mesmo, né? Sem uso de trocadilhos, surpreendente!!! Adorei a escolha dos grandes aqui, faz pouco tempo que terminei a leitura de "Memórias de mis putas tristes" e esta semana, deixei na página 188 a Lolita do Vladimir, para comecar o livro do Arcanjo, do mestre Cacá, conheces? rsrsrs
Beijo grande, amigao, bom comecinho de semana!!

Georgia disse...

Cacá, tudo bem?

Gostei das dicas, principalmente escrever 2 páginas por dia. Eu estou como a raquel, cheia de preguica para escrever.

Olha, li o teu livro. Gostei muito, relaxei enquanto lia, dei risada e pensei em muitas coisas, sobre os assuntos que você tao inteligentemente abordou.
Sua maneira de escrever é leve e a leitura flui. Muito obrigada pelo carinho em enviar-me o teu livro.

Te desejo uma linda semana

E mais uma vez muito obrigada

Abracos

✿ chica disse...

Adorei ver esses lindos depoimentos dessa turma toda! Estranhei a Rachel...

abração,linda semana,chica

Celina disse...

Oi Cacá paz para todos , achei maravilhoso esses depoimentos, eu sempre pensei que o escritor era só pensar sentar e escrever, ví que cada um tem o seu estilo as suas dificuldades, Assití um filme que o escritor tinha perdido a inspiração, mudou-se da cidade para o campo para desespero do mesmo não conseguia escrever uma linha , no fim do dia tinha o cesto de lixo cheio de bolas de papel amassado. Amigo espero que esteja tudo sobre contrõle com a saúde dos seus.Um abraço carinhoso Celina.

Cynthia disse...

Olá José, adorei seu comentário no meu post da Assinatura Fixa. Nossa nada como ser do signo de Virgem pra descrever exatamente sobre o tema. Tenho pouco Terra no meu Mapa Astral Natal e essa aptidão que os Virginianos tem, me fascina.
Seu blog é bem alinhadinho, nossa é incrível aprender essa forma tão natural de ajeitar as coisas no lugar.
Sobre seu post dos escritores, que coisa impressionante, eu teria que ver o mapa deles, sou curiosa mesmo. Mas é incrível como cada um tem uma forma de trabalho. Ainda bem que não somos iguais senão como aprenderíamos a respeitar o Outro, não é mesmo? Abraço Cynthia.

pensandoemfamilia disse...

Conhecer estas várias visões e sentimentos sobre o ato de produzir um livro me ampliou a idéia de que era algo bem espontâneo, prazeiroso e envolvente. Gostei da dica de escrever apenas 2 páginas.
abraços.

CESAR CRUZ disse...

Excelente, Cacá! Que bom ler essas coisas, principalmente a passagem da Raquel de Queiroz. Tb me sinto tantas vezes incapacitado, inapto, preguiçoso e mais um monte de coisas terríveis...

abço!
Cesar

Mulher na Polícia disse...

Que legal, Cacá!

É bem inspirador ler o que eles têm a dizer sobre o tema...

Valeu!

Toninhobira disse...

Belos e interessantes depoimentos desta bela arte que tanto nos encanta.
Boa postagem desta série.Muito boa por sinal.Um abraço amigo.

Marcio JR disse...

Bom dia, Cacá.

Você juntou um time e tanto por aqui.

E olha, tenho que discordar e concordar com a Rachel de Queiroz. Discordo pois adoro escrever, e talvez seja um de meus vícios, mas concordo com a preguiça. É algo que, quando pega, sai da frente... rsrs..

Cacá, torço para que tudo esteja bem por aí. Grande abraço, meu amigo.

Marcio

Amapola disse...

Boa noite, querido amigo Cacá.

Eu pensava que escrever ficção fosse agradável, pela liberdade de brincar com a história, dando aos personagens o destino que se quer. Pelos depoimentos, não é bem assim.

Um grande abraço.
Tenha uma linda semana de paz.

Néia Lambert disse...

Cacá, como é interessante a opinião de cada escritor sobre sua arte, não existe uma regra padronizada, cada qual tem a sua fórmula para escrever. Adorei a sinceridade da Rachel
Um abraço.

LILIANE disse...

Cacá....

que surpresa boa perceber que os escritores de um modo geral, tem os seus momentos de pouca produção e nem sempre estão satisfeitos com os seus trabalhos.

ufa.
achei que esta sensação fosse somente minha. rs
Jose Saramago é brilhante, não é mesmo?

querido, muito obrigada, mas muito obrigada mesmo pelo carinho comigo lá no blog.

aqui em casa, sempre falo de você, sabia,rs
um abração Cacá.

Daniele Barizon disse...

E quem entenderá essa premência, essa necessidade da escrita que chega mesmo a ser exterior a nós?? Belo time!

Bjs!!

Yasmine Lemos disse...

Um time de peso. Discordar jamais.Gênios ,almas abençoadas
saudades Cacá abraços

Betha Mendes disse...

Que aula!
Que bate-papo legal com gênios da literatura. Amei!

abç

Betha

Tais Luso disse...

Oi, Cacá, adorei a disciplina de José Saramago, ele soube viver... Conheço escritores que vivem um martírio! Porém...Rachel me surpreendeu.

Ótima esta postagem, amigo.
bjs
Tais Luso

Diogo Didier disse...

É engraçado ler e ver como varia a opinião desses mosntros da Literatura quanto o ato de escrever!

Bjoxxxxxxxxxxxxx no coração!

everaldo disse...

...escrever um livro,qualquer que seja, é, antes de tudo, um ato de compaixão...
...é o que eu penso.

JGCosta disse...

Terminar de escrever uma grande história é um barato, já fiz isso antes, assim como o amigo também, e dá uma sensação do dever cumprido! Deixar um trabalho pela metade de fato é algo que 3/4 volta à nossa mente!

Abraços!

Web Statistics