sexta-feira, 8 de abril de 2011

SER POETA

clip_image002[4]
clip_image004[4]
digitalizado de meu arquivo pessoal

Para Beth Adão, minha irmã, Com carinho
 
Um dia, ainda rapaz de adolescência no semblante
eu cismei que podia ser poeta
Precisão de arrumar namorada, eu acho
 
Danei de compor versos tortos em linha reta
Achava que métrica era isso
E era toda vez que me assanhava pro lado de uma menina
Podia gostar dela ou não, o negócio era mesmo impressionar
Importância de lhe entregar umas rimas num pedaço de papel
enfeitado com cores e desenhos de flores ou de bichinhos 
 
Eu vivia falando de dores e de amores
Das vontades que eu sabia e das que eu não sabia também.
Fraude pura?
Sei lá, tinha hora que era, tinha hora que não.
 
Tinha umas moças que ficavam comovidas
Não sei se de vontade de dar risada
Ou se encantavam com alguma coisa.
Pura ingenuidade. Minha e delas.
 
Minha madrinha, letrada que só ela
Viu meus rabiscos de aprendiz e me escreveu:
“Vejo que você é dado a poesias. É um maravilhoso dom.
Conheça Fernando Pessoa”
Citou ele e terminou assim: “ o mais é nada, Deus te abençoe.”
 
Foi ai que eu vi que ser poeta não era nada daquilo
Ou então não era só aquilo:
precisava de mais sustância.
Aquele negócio de às vezes arrancar as palavras bonitas lá do peito
De outra feita carregar o mundo nas costas que nem o Drummond falou.
 
Faz muitos anos isso
Mas eu estou pelejando até hoje

36 comentários:

Berzé disse...

Minha passada matinal. Café com Pessoas,Drummonds, Tias,Cacá e companhia.
Abração!
Berzé

✿ chica disse...

Que coisa linda e Beth, tua irmã deve adorar.E conseguiste ser poeta mesmo!!!abração,chica

Marcio JR disse...

Deus do céu, meu amigo. Perdão, mas vou rir só um pouquinho... rsrsrs.

Cacá, agradeça a sua irmã. Mas agradeça por ela tê-lo incentivado aos grandes autores. Porém, a poesia nasceu em você.

Versos tortos ou não, com ou sem métrica, palavras verdadeiras, palavras sem muitas verdades, bonitas ou feias... que importa? O que vale, é essa verve que tá aí, bem no teu peito. Ela te escolheu, e você não teria como fugir dela. A poesia tá no teu sangue, companheiro.

E que maravilha de versos você deixou aqui, para tua irmã. Ao que parece, esse negócio de "talento" é de berço.

Abraços, meu amigo.

Marcio

JGCosta disse...

Amigo, creio que a arte de escrever seja como um dos seus braços, o qual usas bem para abraçar o mundo!

Em si falando em abraços, um grande para ti, renovado!

Pandora disse...

Que linda história a que seus versos me contaram! Um tom nostaugico que adoça a alma. As vezes penso que a poesia é um caminho meio tortuoso, não é para todos!

Celina disse...

OI CACÁ, GOSTEI DOS VERSOS, AMIGO, OS POETAS JA NASCEM FEITOS, O TALENTO PARA ESCRVER NASCEM COM A PESSÕA, E COMO CANTAR, DANÇAR PINTAR TEM ALGUNS PARA DESESPERO DDE MUITOS VEM ACOMPANHADOS DE OUTROS DONS,, SEM PUXAÇÃO DE SACO CACÁ VC E UM POETA E CRONISTAS DOS MELHORES QUE TENHO VISTO VC TALVEZ EXTRANHE O MEU JULGAMENTO E VERDADE SOU METIDA A ESCRVER,MAIS LEIO MUITO .PARA MIM VC TEM O ESTILO DO CRONISTA QUE ADMIRO MUITO, O FERNANDO SABINO. VAI O MEU ABRAÇO CELINA.

Sam disse...

E ela já sabia desse talento seu, tão especialmente belo que tem com as palavras, estejam as palavras vestidas de poesia, poema, crônica, contos...

Meu carinho especial à ti, Querido!

ASTROTERAPIA JUNGUIANA disse...

Olá josé, seu plutão está na casa 10. Ele quase ficou na casa 9. Dê uma olhadinha na 9 também. Mas vc tem Plutão de casa 10.
Gravei seus dados do mapa natal, quando eu postar e não souber pode perguntar que responderei.
Um abraço, Cynthia.

Celina disse...

Cacá so agora eu ví a sua pergunta, vou explicar a minha filha botou a mensagem errada, eu tinha escolhido esta que está ela foi e apagou a outra mais quando eu fui ver, estava lá a copia , ela me disse que depois desaparecia, pelo visto até hoje continúa, desculpa Cacá a sua amiga e filha trapalhona, olha acho que vai aparecer maais inclusive uma música que eu achei apelativa embora ela garnte que não , motivo ela e fã do cantor e eu tambem,um abração Celina

Rafael Sette Câmara disse...

Quer dizer que com você a poesia começou cedo assim, é? Ainda bem que você teve gente pra te estimular então! Eu nunca fui muito bom com versos - ou com essa tal de métrica - sempre preferi as narrativas. Mas gosto de ver quem tem talento pra isso. =)

Adh2bs disse...

Paredes caiadas
Ah, os poetas...! Todos começam nessa nebulosa fase dos amores, falsos ou verdadeiros!!! Anos de ingenuidade intensa, esses, os da mocidade. E nos colocam nesse caminho sem volta, essa espécie de de doce inferno que é ficar derramando palavras - amargas, melódicas ou eufóricas - dedicadas a todas as nossas amadas! Que às vezes nem dão por isso, e falamos sozinho diante do infinito branco imaculado de um papel, apenas levemente umidecido de lágrimas magoadas. Ainda que cante felicidade, ainda que Deus nos guarde.
P/ José Cláudio Adão
Adhemar - São Paulo, 08/04/2011

Yasmine Lemos disse...

Usei seu comentário no meu post.Frase linda e triste.
abraço amigo Cacá e obrigada pelo carinho.

P.S: Viva a poesia que você hoje tem nas veias.

Toninhobira disse...

Ainda bem que alguem veio a lhe incentivar e assim hoje este poeta para nos alimentar sempre com belas criações.Viva Bete,viva a tia com toda sua magia.Aquelas lembranças poeticas das oferendas em musicas às meninas nos parques de diversões,na área da igrejinha.Que tal uma cronica amigo? Meu abraço de toda paz e luz.

Amapola disse...

Boa noite, querido amigo Cacá.

Que maravilha!!
Nesse jeito bem humorado, você faz a gente rir. Achei tão bonitinho fazer versos, para impressionar as mocinhas...

A sua madrinha soube dar o recado. Adorei!!
Gosto demais do Fernando Pessoa.

Um grande abraço.
Tenha uma linda noite de paz e amor.

Amapola disse...

Você disse que continua pelejando.
Êta poeta!! Se você não é, quem haverá de ser?

Betha Mendes disse...

Que lindo, Cacá!

Adorei esses teus versos tortos em linha reta, emocionei-me com a simplicidade, beleza e espontaneidade, tão característicos da poesia!

bj

Betha

Beth Adão disse...

Pois é, meu querido afilhado! Madrinhas não só têm premonição como as mães, mas também são videntes para as coisas evidentes. Não fiz mais do que ver o que já estava mostrado. Taí pra todo mundo ver. Conforme gosto de copiar do outro poeta de Barros em duas palavras simplíssimas:: "achei certo" e "mandei" você ficar poeta com a poesia que você já tinha e você obedeceu. Achei certo de novo.

Renata Diniz disse...

Gosto de memórias. As profundas, eu creio, geram imagens irreversíveis. Abraços!

Néia Lambert disse...

Caro Cacá, pelejar para que se as tuas palavras saltitam formando versos e traduzem as emoções tão bem?

Um abraço.

anacrisliu disse...

Obrigada, por me deixar compartilhar de sua vida e poesia. Me sinto muito honrada. Continue encantando a todos. Beijos de sua liuzinha...

Aleatoriamente disse...

Cacá, meu amigo querido.
Esse poema é um carinho aos olhos.
Todo cheio de uma linda história do menino e seus sonhos e amores.
Uma verdadeira poesia.

Beijo
Fernanda

pensandoemfamilia disse...

Carinho em forma de poesia. Certamente vai agradar e aplaudir o poeta.
Abraços.

Lúcia Soares disse...

A gente sempre peleja, né? Mas consegue. Você conseguiu.
Que bom meninos que escutam as madrinhas, tias, mães, irmãs mais velhas, seja lá quem for.Sempre conseguem.
Abraços!

Lis disse...

Está maravilhoso Cacá
e nao é também nenhum puxasaquismo nao rs esse é o blog mais lindo de palavras e acertos pro meu coração.
Muito muito belo
sua madrinha letrada tem o mérito dela nessa historinha rs
abraços Cacá
obrigada pela simpatia e elogio
aqui fazemos assim , naõ nos vemos então usamos as palavras bem enfeitadas pra compensar a falta que faz um abraço.
deixo muitos pra seu fim de semana .
fique bem.

Inaie disse...

que delicia! E a sua poesia e um misto de dom e aprendizado. provavelmente mais dom que qualquer outra coisa. Que carinho lindo, que bilhete gostoso!!

Elayne C.A. disse...

Ah! Cacá! Vc sempre me inspirando! Sabe que tenho uma cartinha que escrevi para o meu pai com 6 ou 7 anos e até hj eu tenho? Acho que vou tirar uma foto dela e emoldurar em meu blog...rsrsrsrs Engraçado que os poetas nunca se sentem poetas, mas acabam sendo naturalmente aos olhos dos quem leem e percebem os sentimentos nele presentes. Parabéns e obrigada sempre, caro poeta!

Maria disse...

Amigo ser poeta não é para todos, nasce com a pessoa e para ser um poeta tem de se conseguir tocar a alma de quem lê e é isso que o meu querido amigo faz, toca sempre o nosso coração com os seus poemas e textos, isso é ser poeta!
Bom fim de semana
beijinhos
Maria

Jairo José disse...

Te kaká.

Cada vez mais sou admirador no que você pensa,fala e escreve.
Jairo - cunhado

Sheila disse...

Que lindo Cacá ,certamente,tua irmã,apenas leu em teus olhos, o brilho dos falam e escrevem com o coração.Ela já sabia.....Beijos.

Letícia Cunha disse...

Pois então, Cacá, continue pelejando nesse mundo dos versos.
Acredito que todos nós te agradecemos muito por essa peleja, que, por consequência, deixa obras encantadoras aos nossos olhos, à nossa alma e fazem nossos dias melhores!
Ah, e pelo jeito, esse "quê de poeta" é genético!
Admiro-te muito!
Abraço,
Letícia Cunha.

Tais Luso disse...

É isso mesmo, quando se tem o dom para a escrita se começa cedo, fazendo versos, escrevendo textos... Adorei conhecer seus passos!

Pelo que você escreve - e tão bem -, não poderia ter sido diferente, Cacá.
Continue a pelejar no mundo dos versos.

Beijos, amigo
Tais Luso

LILIANE disse...

Oi meu poeta querido.
que bom que você fez do incentivo recebido um jeito bonito de renovar a vida. Usa sua inteligência e criatividade para o bem, e ainda consegue ser um amigo tão bacana.
Cacá, desculpe ter chegado tão tarde aqui.
vim agradecer por tanta generosidade e carinho comigo, meu Deus! Como você foi importante pra mim, e até pro meu esposo que também corre com a faculdade e nem sempre consegue atender tanta exigencia.
suas palavras me trouxeram força e alento, compreensão.
Muito obrigada, viu!

ah... queria tanto lhe perguntar uma coisa.
queria participar do concurso da Elaine Gaspareto (para particpar mesmo) e sabe o que eu descobri?

Não consigo escrever um conto, nem unzinho... buá
queria escrever mas não acho o caminho, Cacá.
Se você lembrar de alguma dica você se incomodaria de partilhar comigo?

Um abraço carinhoso, com cheirinho de café coada na hora e com um bolinho de fubá super gostoso, traduzinho: um abraço mineiro procê.rsr

M. Sueli Gallacci disse...

Cacá, continue pelejando que nós aqui continuaremos lendo e adorando!

"Eu vivia falando de dores e de amores
Das vontades que eu sabia e das que eu não sabia também.
Fraude pura?
Sei lá, tinha hora que era, tinha hora que não."

Ameeeeeeei esse verso!!!

Amei tbm o poema que vc me deixou, obrigada amigoooooo!!!

reinodalira disse...

Maravilhoso!... Isso é poesia, amigão!... A inspiração, a alegria, o amor em versar independente de um "dom" ou de regras que a "elouquência" e seus adéptos adoram enfatizar!... Muito bom esse seu poema, querido!... Parabéns!!!

Web Statistics