segunda-feira, 14 de junho de 2010

IRONIA

Assisti a um bate papo com o genial escritor Moacir Scliar na bienal do livro aqui em BH, cujo tema era a Ironia na Literatura. Entre tanta coisa boa que ele disse, uma delas foi sobre a ousadia do ser humano, respondendo a um porque da mediadora, sobre a recorrência de temas bíblicos em suas obras. Falou da fantástica habilidade dos escritores da bíblia, de sua capacidade de síntese, das parábolas e metáfora e outras tantas preciosidades inspiradoras contidas no livro sagrado e o mais lido pela humanidade. Depois citou um exemplo que me deixou pensativo: o cientista americano Craig Venter havia acabado de criar uma célula sintética, referindo-se à ousadia humana. É diferente da clonagem, onde se tira um pedaço de tecido vivo e se faz cópia desse ser. A célula é o princípio de toda a vida no planeta. Então podemos deduzir que o homem agora já pode se colocar no lugar de Deus, segundo a crença religiosa sobre a criação. Apesar de não ter assumido essa capacidade, ele disse, por enquanto, que vai haver a possibilidade de resolver problemas ambientais e energéticos, entre outras aplicações. Mas é uma célula, minha gente. A dedução de que vai se querer criar um ser vivo fica por conta de minha imaginação. Ironia ou não, é uma ousadia que vai dar pano pra manga.

Eu já andava meio desconfiado. Tenho observado que uns alimentos naturais até algum tempo atrás eram mais perecíveis. Não sei também qual a matéria prima ou remédio que usam nas pesquisas científicas, mas tem muita coisa que está com uma durabilidade excessiva. Tenho umas laranjas e um melão aqui na minha casa que já fazem mais de cinco meses que não apodrecem. Estão tão vistosos que quem chega pergunta se é daquelas antigas frutas de plástico que se usava para enfeitar fruteiras. Só não tive a coragem ainda de comer. Por vias das dúvidas, melhor continuarem enfeitando. Isso é genética aplicada à agricultura, suponho. O mundo é mesmo dos ousados, tem razão quem disse isso. Enquanto há uma luta ferrenha para se retornar às coisas naturais, a uma alimentação mais saudável, orgânica, livre de venenos, há um desenvolvimento acelerado de pesquisas para desnaturalizar alimentos para aumentar a produção e durabilidade em menos espaço geográfico por causa da destruição de áreas férteis disponíveis. Ou para aumentar a lucratividade dos produtores? Não sei, mas desconfio de muita coisa. E tenho uma certeza: as cobaias acabamos sendo nós mesmos, depois dos ratos de laboratório, claro. Sem entrar no mérito da causa se o homem está arrogando a se igualar a Deus ou provar que ele não existe, criando vida por conta própria, a ousadia é uma ironia.

O restante da conversa foi sobre os limites da transgressão e a diferença entre a ironia e o humor na literatura. O humor é aceito com certa universalidade. Já a ironia tem um duplo, triplo, ou vários sentidos que , por falta de compreensão do interlocutor ou firme propósito do autor, pode ser apenas deboche ou soar como provocação, acinte ou outra coisa que provoque inquietação. Estou apenas pensando na frase que eu falei que o mundo é dos ousados. Ou então a minha ironia aqui é que passa a ser uma ousadia. E de pensar que o meu maior atrevimento foi ter dado um livro meu de presente para o autor, coisa que nunca achei que fosse possível. E ele aceitou com muita educação. Para mim foi o máximo da ousadia!

4 comentários:

Chica disse...

Linda tua crônica e Scliar deve ter gostado do teu livro.Essa ousadia é saudável...abração,chica

Celina disse...

OI AMIGO, VIM AGRADECER O SEU COMENTÁRIO, O MESMO ME DEIXOU MUITO FELIZ VINDO DE ONDE VEIO,MAIS SABENDO QUE A BONDADE E A EDUCAÇÃO DO AMIGO, SERVIU COMO UM CONSOLO PARA MIM, TODOS NÓS SABEMOS DAS NOSSAS LIMITAÇÕES,PRINCIPALMENTE UMA SIMPLES DONA DE CASA QUE ESCREVE PARA PASSAR O TEMPO. AMIGO, PASSEI MUITOS ANOS SEM ESCREVER NADA SÓ DIARIO DE VIAGEM E NOTA DE COMPRAS QUASE ESQUECÍ O NOSSO PORTUGUES PRINCIPALMENTE, DEPOIS DE PASSAR POR TANTAS REFORMAS. QUEM ME SALVOU FOI GOSTAR DE LER DESDE OS CLASSICOS AO LIVRO DE CORDEL. UM ABRAÇO CARINHOSO E MAIS UM VEZ OBRIGADO POR PALAVRAS TÃO BONITAS! CELINA

Miriam de Sales Oliveira disse...

Meu caro amigo,o mundo anda mesmo muito esquisito.
Quanto a brincar de Deus,andamos tentando há bastante tempo,felizmente,sem sucesso.
Deveria se conseguir criar uma célula q/ fizesse com q/ as pessoas nascessem com vergonha na cara.No dia que inventarem terão meu apoio incondicional;principalmente agora,tempos de política,valha-nos Deus! (o autêntico,ainda não geneticamente modificado.)
Desculpe-me as ausencias,embora vc todo dia seja lembrado.
bjks

lis disse...

Oi Cacá
É preocupante mesmo o que acontece
na agricultura e na forma que estamos recebendo esses produtos na nossa casa. Lindos, vistosos , sem nenhum bichinho , e cheios de produtos sintéticos . As vezes nem reconheço a banana prata tal o tamanho quase como a banana da terra, rsrs também desconfio.
Essas ousadias podem trazer resultados catastroficos pra nossa saude. Importante ficar atentos.
Felismente há uma tendendcia forte pra valorizar o natural , os tais orgânicos que só chegam na mesa de poucos ainda.
Na literatura humor ou ironia sutil e fina é saudável.
Parabéns pelos bons textos.
abraços

Web Statistics