terça-feira, 12 de julho de 2011

OS DOMÉSTICOS

imagem google
Eu me esqueci de anotar a fonte mas não do fato. É que outro dia li num anúncio de classificados homens se oferecendo para serviços domésticos em casas dos outros. Não é o marido de aluguel, muito comum em alguns lugares e também chamado de “faz tudo”, desde que esse tudo seja serviço de homem na nossa cultura ainda machista. Bombeiro, eletricista, encanador, jardineiro, gambiarreiro - aquele que dá aquelas “ajeitadas” pras coisas funcionarem direitinho por algum tempo. São homens topando as vagas que antes eram exclusivas das empregadas do lar e das diaristas. Homens fazendo almoço e janta, lavando e passando roupas e fazendo faxina.

A mulher tem atingido o seu patamar máximo de distanciamento das coisas da casa, quando dá. Claro que a maioria ainda continua acumulando a função de mãe integral, trabalhadora formal, autônoma ou empresária e ainda cuidando da casa e dos filhos. Até que com relação ao cuidado com os filhos já há bastante homens envolvidos nesta divisão mais do que justa de responsabilidades. Mas tem uma coisa que chama a atenção: tanto mães quanto pais na maioria dos melhores lares daqui e acolá continuam educando os filhos de forma diferenciada. As meninas de um jeito, os meninos de outro. Mesmo que as meninas não brinquem tanto mais de boneca e de casinha (a Barbie trabalha?) e não haja uma divisão tão direcionadora como havia antes, é com os meninos que as coisas precisam mudar mais, eu creio. É raro vê-los sendo ensinados a arrumarem a própria cama, ajudarem a lavar ou a secar uma louça, a lavarem a própria cueca, a darem uma varridinha de vez em quando (pelo menos no próprio quarto, nem que seja só mesmo para ir pegando um traquejo e ir aprendendo a se virarem sozinhos, no sentido bom da independência). Os ensinamentos continuam sendo transmitidos tal como dizia o Belchior: “apesar de termos feito tudo o que fizemos ainda somos os mesmos e vivemos como nossos pais.” Nesses casos, as aparências não enganam não.

Aí fica uma perguntinha: será que esses homens vão topar acumular funções também ao voltarem para as suas casas no fim de um expediente?

27 comentários:

Meire disse...

Cacá, vc disse algo que sempre me intrigou pq nós mulheres temos que aprender cedo a cozinhar e os homens nem sabem passar um café, mas salva a parte que sabe pq eu conheço alguns que são tão bons e até melhores que muitas mulheres por aí na cozinha!! rsrs

Bela reflexão!

bjokitas mil ;)

Jaime Guimarães disse...

Bela observação, Cacá! Bom, ao menos eu fui "ensinado" a arrumar a cama, a não deixar a toalha em cima da cama e abaixar a tampa do vaso sanitário. E na cozinha sei fazer uma bela refeição: Kinojo Galinha Caipira com Tang Uva! Quem sobreviver a isso aguenta qualquer coisa! ( sei que com isso consigo arruinar as chances com as possíveis pretendentes sem juízo que vez em quando aparecem por aqui, mas paciência...rs)

Mas a parte séria da história toda: eu realmente tive essa formação com o cuidado com as coisas da casa, mas é curiosa mesmo essa divisão. Minha mãe me orientou a arrumar a cama, limpar o quarto, essas coisas... mas quando eu tentava ajudá-la a lavar a louça ela não aceitava. Considerava aquilo "coisa de mulher mesmo" e me deixava livre dessa tarefa - da qual eu teria que cumprir quando chega a vez da independência. E eu nunca quebrei um prato e lavo a louça direitinho, mamãe não precisava se preocupar e ficar com medo disso...rs

Resposta: vão, sim, quando a corda apertar...hahaha

Abs, Mestre Cacá!

Geyme Lechner disse...

É, Cacá... acredito que a mudanca deve acontecer primeiro com as próprias mulheres, as maes, que ensinam os filhos homens... Se essas mulheres (as maes) ensinarem as técnicas de sobrevivencia e os segredos domésticos aos seus filhos, teremos melhores maridos no mundo, hahaha
Mas o negócio está mudando... Volto aqui em 10 anos para conferir o novo aspecto do homem moderno....hehe
PS: Eu respondi o seu e-mail na própria postagem do "Como nao fazer amigos", vc a recebeu, né?
Beijo grande e bom comecinho de semana, amigao!!!!

✿ chica disse...

Eu criei os filhos sempre ajudando nas tarefas , camas quartos arrumados,etc... Hoje não os vejo fazer isso com seus filhos.


Agora, uma coisa é certa. Que um Homem faz tudo faz falta, isso faz.

Daqueles que tu chama e conserta torneira, troca lâmpadas, pinta pardes, tudo que fica pro maridão fazer e esse vai deixando acumular...Conheces algum assim?


abração,chica

Aleatoriamente disse...

É Cacá, por aqui mesmo já vi o “faz tudo em ação”.
Para mim acho que toda fonte, de se ganhar seu sustento se for honesta é digna.
No quesito educação dos filhotes, acho que os pais deveriam ser mais flexíveis e ensinar com igualdade. Porque muitas vezes é preciso se virar lá fora, seja por alguma necessidade que surge às pressas. Ou quando a opção é fazer faculdade fora, e se precisa morar sem a proteção daqueles, que sempre fazem tudo e você só aproveita.
Quanto a principalmente aos meninos, sofre-se menos quando já se sabe fazer alguns trabalhinhos , os úteis quebra galhos , ajudam muito lá fora rsrsrs .
Mas na vida aprendi que cada um, deve aprender de tudo um pouco, se esse “tudo um pouco”, for baseado para melhorar suas necessidades diárias. Tanto o homem quanto a mulher sem distinção.
É uma bela pergunta Cacá.
*

Meu querido,
obrigada pelo carinho.
Tenha um bom dia!
Fernanda.

Yasmine Lemos disse...

Oi Cacá! já colocaram na minha caixa de correio um panfleto do "marido de aluguel" o nome ja começa errado,pois são raros os que ajudam nos trabalhos domésticos,deveria ser "o marido dos sonhos" kkkkkk
abração
e um bom dia

C. disse...

Ouvi falar disso num outro blog que visitei, e achei bem interessante.

Por outro lado, se as mulheres querem os mesmos direitos, e algumas já estao sendo as "chefes" da casa, ou seja, trabalhando, por que nao o homem ficar em casa também, nao é.

Aqui é coisa mais normal isso, porque o homem também tem direito à licença maternidade, então quando é o homem que prefere ficar em casa, a mulher vai trabalhar sem o menor problema que o marido fique em casa, e vice versa. Legal né!
Quem sabe isso chegue no Brasil algum dia... os que temos aí estao mais pra "gigolôs" que homem em licença maternidade. O que nao quer dizer que aqui também nao posso ter, falei bobagem agora.

Quanto a ensinar os meninos a pelo menos arrumar uma casa, é muito raro ver isso acontecendo, o que é uma pena, pois do jeito que tem sido normal irem estudar fora, saber fazer coisas mínimas, ia ajudá-los e muito nas despesas.
Me empolguei a falar do tema rss

Uma ótima semana pro cê!

Misturação - Ana Karla disse...

Cacá, uma criança que é educada e ensinada desde cedo a fazer algumas tarefas domésticas, creio sim que esses topem cuidar, juntamente com esposa, da casa.
Pegando o gancho, aqui em casa, desde pequeninos que os meninos tem as tarefas a fazer, assim como você citou: forrar a cama, lavar um pratinho, varrer um cômodo da casa, retirar os lixeiros, entre outros. Mesmo que não fique bem feito e eu tenha que arrematar, mas eles já estão acostumados.
Eu, não tenho mais empregada e agora o que me cabe é uma faxina semanal.
Tenho aqui um faxineirO, isso mesmo.
E dos bons!!!
Maravilhoso seu artigo!
Bom dia
Xeros

Renata Diniz disse...

Talvez os homens não aceitem o acúmulo de tarefas não. Penso que a mulher tem passado por esta fase devido à história paradoxal de submissão e conquistas, à qual a mulher tem experimentado. O homem, historicamente, sempre teve identidade com o ferro, o fogo e o metal da ordem. Quanto à educação que os filhos recebem dos pais... Ninguém pode salvar um filho dos próprios pais. Abraços, Cacá!

Sam. disse...

Ah, Cacá, isso é uma coisa antiga demais pra se mudar assim em tão poucos séculos.. está no nosso DNA desde a época de homens e mulheres de neanderthal... onde a função do homem era a caça e a pesca, e a da mulher era cozinhar, cuidar dos filhos...
tivemos um certo avanço mesmo...mas as exceções são feitas mais pela necessidade do que por escolha... existem homens que ajudam a mulher em casa sim, mas isso provém de alguma mãe que precisou sempre trabalhar e os filhos tiveram que aprender a se virar...rsrs

muito bom esse tema... rende linhas!!

Um beijo, mais novo querido amigo!

Rô... disse...

oi Cacá,

sou uma privilegiada,
tenho o marido dos sonhos,
faz tudo:
de concertinhos a concertões,
me ajuda nas tarefas da casa,
e tudo mais,
ele é perfeito!!!

e os meus filhos moram sozinhos,
cuidam da casa e das suas coisas muito direitinho,
sou uma esposa e uma mãe orgulhosa...

beijinhos

por Hope* disse...

Meu marido passa três horas para lavar duas mamadeiras, um prato e um copo! Definitivamente ele não conhecia a pia da cozinha antes de casar comigo, hehe.
Quem não se atualizar no tempos, vai ficar difícil de viver, para qualquer um, independente do tamanho da tarefa... Concordo que as mães tem que abrir os olhos das crionças [sic] e ensinar os valores que importam, o mundo já não é propriamente azul e rosa...

Bjoo!

Pedrita disse...

eu acostumei q em casa todos tinham tarefas. estranhei qd me deparei com pessoas q achavam q os trabalhos domésticos tem q ser femininos e o homem ajuda como se a casa tb não fosse dele. beijos, pedrita

Eva disse...

Cacá teus artigos são sempre envolventes, instigantes, profundos e leves também, adorei esse enfoque, a forma como vc toca no assunto de forma simples e verdadeira. É uma cultura instalada, levará anos, muitos anos para ser diferente, achei legal que vc aborda que o trabalho doméstico é uma forma de independência do saber se virar, acho legal tocar nesse assunto, para que as mães deem-se conta que não dá para repetir automaticamente o que teima em ficar no ar, os tempos mudaram e a ordem agora é dividir e facilitar a vida dos nossos filhos quando não estivermos por perto. Arrumar o seu próprio lugar é respeito consigo mesmo. bjos, uma linda semana, que bom que vc gostou da minha terrinha. O Brasil tem recantos bem diversificados e lindos, todos. Sorte a nossa.

Solange Maia disse...

Cacá querido...

Acho que com carinho a divisão de tarefas é sempre bacana .
Como ?
Cada par tem sua receita...

o que importa é que ninguém se beneficie em detrimento do outro...

beijo carinhoso

Mariazita disse...

Meu querido amigo, as coisas estão mudando:)
Lenta mas seguramente caminhamos para a igualdade, embora haja ainda um largo caminho a percorrer.
Pessoalmente não vejo nada de mais no facto de um homem fazer tarefas tradicionalmente atrinuidas à mulher.
Pois se a mulher está desempenhamdo funções que até há pouco tempo só pertenciam ao homem, porque não o contrário?
Mas... atenção!!! Nada de trocar as estações. Estamos falando apenas de trabalho, NADA MAIS :)))

Gostei muito de seu texto.

Boa semana. Beijinhos

Toninhobira disse...

Pois é amigo que como eu viveu pelas republicas da vida vindo da pobreza,sabe bem o que significa este aprendizado perdido no tempo.Hoje vejo os republicanos com diaristas,lavadeiras,cozinheiras bancadas por pais,que no passado viveram aquela perrengue.O discurso é que meu filho não vai passar o que passei...Será que ali não estava um aprendizado,moldado na dificuldade?
Pois é, assim Belchior fica cada vez mais distante.E os domesticos serão crescentes quero crer.
Um belo tema,numa bela reflexão sobre a educação domestica.
Um abração de toda paz e luz.

Leninha disse...

Oi amigo Cacá,como mãe de quatro guapos rapazes devo confessar que só o meu filho caçula teve este tipo de treinamento.Os dois primeiros foram criados na fazenda e,sinto a maior culpa ao afirmar,com toda a sinceridade,nunca fizeram nada...era o tempo dos coronéis e nem as mulheres faziam,havia empregadas para tuuuudo...quando lancei meu grito de independência e fui trabalhar(lecionar)foi um escândalo na "tradicional família mineira".Mas,isto foi há quarenta anos atrás...hoje,meus filhos arrumam as próprias camas e as dos filhos(não ensinam também).
Todas as vezes que vou visitá-los dou uma de avó chata e explico que deveriam preparar melhor os filhos para a vida...façam o que eu digo,mas não façam o que eu fiz.
Muito bom o seu texto,amigo,deveria servir de manual.
Bjsssssss,
Leninha

Georgia disse...

Cacá, legal este teu post. As divergencias sao tremendas no dia de hoje.
O meu filho Daniel de 12 anos, já cresce aprendendo a colocar o lixo pra fora, a pegar a água no subterrâneo, pois aqui se bebe água da garrafa, a arrumar o seu quarto aos sábados comigo, a arrumar a sua cama e a guardar as roupas dele que passei.
À noite ele poe a mesa para o jantar e a irma tira ou vice e versa. Vagabundagem aqui nao,rs.

O fato é que maes pensam que precisam fazer tudo para os filhos e ai eles crescem sem nocao de responsabilidade e depois queremos que eles dêem conta do recado. Mas como? Se fizemos sempre tudo por eles?

Abracos

Celina disse...

Oi Caca, passei para te desejar tudo se bom para vc e agradecer o comentário gentil. A turma daqui de casa não aprenderam muito os trabalhos domestico , mais por culpa minha, aquele velho preconceito que homem na cozinha bagunça mais do que ajuda, o meu marido as vezes quando eu ficava gripada, ele tentava lavar a louça, eu via o mau jeito , molhava o peito, barriga, e chão da cozinha, dando mais trabalho. os filhos eram minoria e as irmães botavam eles para correrem da cozinha.Um abraço carinhoso. Celina

Maria Emilia Xavier disse...

Nós, mulheres, reclamamos dos maridos, mas quando se trata de nossas "crias" abominamos que suas mulheres exijam divisão de tarefas e existem até aquelas que se oferecem para fazer o cabe a seus filhotes...ahahah... Eu tenho um faxineiro, homem,e, não abro mão dele de jeito nenhum, até porque ele tira as férias da minha secretária e até quando ela adoece é ele quem assume; tenho, também, um faz tudo que passa na minha casa pelo menos uma vez por semana para ver se está tudo funcionando. Esse tipo de homem é imprescindível na vida de uma mulher que tem um marido que só sabe ganhar dinheiro, tem filhos e trabalha fora em horário integral. Sua crônica está maravilhosa.

Diogo Didier disse...

Perfeito! boa reflexão, principalmente nessa nossa sociedade machista e limitada. É incrível verificar que a educação dada no período colonial ainda perdure nos dias atuais. Felizmente, esses casos em particular, de homens trabalhando em fuñções antes distintas, quebra um pouco esse hegemonia tão arcaica que limita o ser humano de acordo com o sexo que possui.

Bjoxxxxxxxxxxx no coração

Beth/Lilás disse...

Aha, pois eu acho que não!
É da natureza do homem, trabalhar fora, chegar em casa e relaxar.
É ou não é?
kkkkkk
Gostei dessa nova modalidade, vou querer um faxineiro, bem bonitão e saradão. kkkkkkkkkkk
beijo carioca

Jardim das poesias infantis/Magia em versos disse...

Belo questionamento!
O serviço de marido de aluguel é ótimo como alternativa, quando você não encontra no mercado, profissionais disponíveisque queiram fazer pequenos consertos.
abração

Web Statistics