segunda-feira, 4 de julho de 2011

LER NÃO CAUSA L. E. R. * - Cacá

LER É FASHION

O título é copiado de um texto muito legal que li na página da Marli Borges. Andam dizendo por aí que ler agora é fashion. Fashion, de acordo com a aquela menina que tinha mania de explicação, personagem da Adriana Falcão, é quando converge todo mundo para a mesma coisa, mesmo sendo essa mesma coisa algo que não seja bom para todo mundo que converge. Mas como é para o mar que os rios correm e não para as montanhas, todo mundo vai navegando pelas águas do que ditam os modismos. Por outro lado, esse cortejo do senso comum chega a ser extremamente positivo. Tanta coisa fashion na vida da gente que é só fashion, passa, a gente adere e dá em nada, que chega a ser um alento dos mais promissores se a moda durar. Pelo menos acho que dá para ter uma certeza: é uma moda que, se passar, vai deixar simpatizantes para a vida inteira e as vidas deles nunca mais serão as mesmas; mornas ou manipuladas. Enfim, surge um caminho que pode levar a boiada a um destino que não seja o matadouro. Dá-lhes livros e mais livros!

No mesmo texto ela sugere que cada um diga sua experiência na iniciação à leitura e qual o livro que deixou uma marca na sua vida (do leitor). Esse o é o ponto que me levou a escrever esta crônica. Já li centenas, talvez milhares de relatos de pessoas que se transformaram em leitoras mais ou menos assíduas, acerca do que as motivaram à leitura. É inacreditável (é?) que não me lembre com muita freqüência de ter lido que foi a escola que deu esse impulso. Há muitos em que ela tenha contribuído, porém poucos no universo total. Tanto que não chegam a merecer destaque nem são suficientes para me lembrar. Portanto, a escola passa a ser uma exceção quando é um agente que tenha metodologias direcionadas para o incentivo ao gosto pela leitura. Inserir nos currículos creio que todas fazem. O problema talvez, esteja no método, nas condições materiais e no preparo do corpo docente e pedagógico. Não se trata de escolas de pobres ou de ricos. Falo da escola como instituição.

Então, diferente da questão da Marli, deixo outra no ar: você que lê com gosto e freqüência: foi da escola que nasceu o seu hábito?


*L.E.R. = Lesão Por Esforço Repetitivo

21 comentários:

Geyme Lechner disse...

Oi Cacazinho, queridao!!

Boa temática esta levantada pela Marli!!!
Eu criei um protagonista agora, no "diário de um amoral" que estou escrevendo, onde o cara cita muitas vezes o livro: "Crime e castigo" que leu na adolescencia... Para o personagem, isso é simbolo de intelectualidade, enquanto seu amigo, le apenas o comeco e o final das obras, para saber o que falar nas reunioes literárias... Isso é ficcao, mas na vida real acontece mesmo e por isso resolvi mencionar o fato!
Agora... Se dependesse da escola para adquirir o prazer da leitura, minha estante estaria vazia!!! Já foi tema de discussao por aqui, que quase interramos o Machado de Assis, por causa dessas leituras obrigatorias do colegio, que mais pareciam torturas, quando ainda nao estavamos preparados.
O prazer pra mim, comecou por volta dos 18 anos, ao ler "O outro lado da meia-noite" do Sidney Sheldon, de lá pra cá, nunca mais parei de ler e nao fiquei uma noite sequer sem ler antes de dormir ou ter uma obra que me acompanhe sempre que saio de casa....

Ler nao é faschion, é muito bommmm, basta apenas acertar na literatura e adequá-la com o gosto!!

Boa semana, amigao! Beijokas!!!!

LILIANE disse...

Oi Cacá....

como você está meu querido?
minha vida anda super enrolada e por isso não vim antes....
Mas de coração, espero que o seu coraçãozinho, tão amigo, esteja em paz.

Quanto a leitura, sempre fui incentivada.
Meu pai lê bastante e escreve também
Ele tem dezenas de livros.
rs
e uma tia que morava em São Paulo me presenteou com uma coleção de livros incríveis na infancia.
Entre eles o Mágico de Oz...
passava horas lendo.

rs
Então quando a escola entupia a gente de livros não era difícil pra eu ler. Eu gostava.

beijos.

Jardim das poesias infantis/Magia em versos disse...

Bom dia Cacá!
Olha sua pergunta é tão simples mas tão profunda.
A escola pode influenciar positivamente como também tornar a obrigatoriedade de ler, como algo enfadonho.
É muito melhor lermos os assuntos que mais gostamos e indepente do que, sempre acaba acrescentando algo a mais.
Sempre amei ler independente da escola.
Adorei a crônica.
beijos

Simone Aline disse...

Cacá querido, que texto bom...
Respondendo sua questão: sim, foi na escola! *\o/*
Eu estava na primeira série, já tinha lido alguns livrinhos... Mas quando li "Retalhinho Branco", me encantei! Foi um livro que me marcou muito! É uma história com "sentimentos"... Daí em diante, o hábito de leitura foi apenas ganhando novas "temáticas", de acordo com a própria idade, e todas as "curiosiades" típicas de cada uma delas!
Lembro-me na minha adolescência, do polêmico "Cristiane F.". Vieram os romances... depois histórias de terror e suspense... os de auto-ajuda e psicologia... os teológicos e espiritualistas... e enfim, até hoje leio de tudo um pouco! =)
Até mesmo as histórias de "bruxinhos", "vampiros" e afins! rsrs
Bjks!

pensandoemfamilia disse...

Caca
A Escola nos dá obrigação na leitura e nos tira o prazer. Eu peguei gosto pela leitura com o livro Apamhador no campo do Centeio quando adolescente e a partir daí deslanchei neste prazer...
bjs

Marcelo Pirajá Sguassábia disse...

No meu caso, a escola não teve influência, não. O que eu gostaria mesmo era de ter mais tempo pra ler muito mais. E ter L.E.R. de tanto ler! Um abração, Cacá.

Meire disse...

Sabe Cacá, acho que o que atrapalha na escola é sermos obrigados a ler os livros para fazer provas, sempre ouço reclamações desse tipo e acho que isso é complicado. Mas tem muitas outras formas de incentivar os alunos a lerem que não seja fazendo provas.

Eu sempre fui encantada por biblioteca, desde pequena era meu lugar favorito na escola, passava o intervalo lá a folhear livros e ver os autores todos que existiam nesse ambiente tão vasto!!!!

Ler é tudo de bom, nos leva a fascinantes viagens mesmo não saindo do lugar.
Adorei o texto!!! Boa semana pra ti, bjokitas ;)

Renata Diniz disse...

Cacá. Na escola, eu cheguei já com gosto pela leitura (mesmo sem ainda saber ler). "Dá-lhes livros e mais livros!" Bravo! Abraços!

Cris - CaFoFo online@ disse...

Nao foi nao, e nem de casa. Meus pais nao tinham o hábito de ler, e nem de incentivar a leitura. Os problemas era muitos para esse "luxinho", mas tao necessário e bom.
Hoje em dia leio muito, até tive que começar a usar óculos por conta disso!!! hehe

Boa semana, meu amigo!

Néia Lambert disse...

Gostaria muito de dizer que a escola teria me incentivado na leitura. Na época do "ginasial" o que foi nos enfiado goela abaixo foram alguns clássicos enfadonhos e de difícil vocabulário.Eu tive sorte de ter uma irmã apaixonada por leitura e através dela tomei gosto também. Creio que muitos abandonam o hábito de ler ou nem mesmo o adquirem por despreparo de alguns mestres, infelizmente!

Um abraço.

Felipe Faverani disse...

Oi, Cacá, tudo bem?

Olha, devo confessar que não foi a escola que me impulsionou a adquirir o hábito - embora seja mais correto dizer vício - da leitura. As nossas escolas sequer se preocupam com ela, infelizmente. Quem me incentivou sempre a ler, ainda que indiretamente, foi a minha mãe, que gosta muitíssimo de Literatura Brasileira.
Lembro que quando tinha uns três, quatro anos no máximo, ela comprava livros por catálogos e quando eles chegavam naquelas caixas tão lindas eu ficava maravilhado! Hoje é minha mãe quem pega meus livros emprestados. Como viver é divertido, não é? rs

Grande abraço. Adorei seu texto.

Suely disse...

Eu sou uma leitora compulsiva, daquele tipo que "precisa" de um livro. Não vivo sem ler... estou sempre carregando um romance, uma biografia (agora to lendo a de Clarice Lispector). Mas esse hábito foi adquirido ainda na infância. Fui alfabetizada em casa e a minha tia Branca, que foi a minha primeira professora me prometeu um livro quando eu aprendesse a ler. Dito e feito. O meu primeiro livro de leitura foi Alice no país das maravilhas. Lembro como se fosse hoje. De capa dura, colorida, lindo. Adorei visitar o seu blog. Agora sou seguidora. Um abraço e um grande prazer.

Celina disse...

OI cacá amigo, eu comecei a ler muito cedo primeiro a coleção M.Delí o primeiro livro adulto foi como ja disse aqúi, foiMar Morto lí escondido, eu considero até hoje o melhor livro de Jorje Amado, vinha por etapas, uns dos melhores livro que lí foi; o vermelo e o Negro A cidadela, as chaves do reino, Servidão HUMANA, todos os livros de escritores russoa, são muitos bons. olha Cacá comigo foi o contrario de tento trocar livros por aulas 'levei bomba' um ano, fiquei de castigo sem pegar num livro , aconteceu que lia os livros de cordel do meu tio era pequeno dava para esconder. Ler para mim é como um vicio. Um abraço carinhoso Celina

Celina disse...

OI cacá amigo, eu comecei a ler muito cedo primeiro a coleção M.Delí o primeiro livro adulto foi como ja disse aqúi, foiMar Morto lí escondido, eu considero até hoje o melhor livro de Jorje Amado, vinha por etapas, uns dos melhores livro que lí foi; o vermelo e o Negro A cidadela, as chaves do reino, Servidão HUMANA, todos os livros de escritores russoa, são muitos bons. olha Cacá comigo foi o contrario de tento trocar livros por aulas 'levei bomba' um ano, fiquei de castigo sem pegar num livro , aconteceu que lia os livros de cordel do meu tio era pequeno dava para esconder. Ler para mim é como um vicio. Um abraço carinhoso Celina

por Hope* disse...

Na escola, de jeito nenhum!
Eles nos davam uma lista com dez livros por ano, e faziam provas cobrando explicações, isso não pode ser prazeroso...
Eu comecei a ler com as reuniões de conscienciologia, a procura do inexplicável, rs!
Daí por diante eu percebi a "viagem" dos livros, a companhia das letras, o amores de outro mundo, o além, haha!
Ultimamente, eu estou na onda dos sobreviventes...
Livros sofridos, com dor aguda!
Sou de fases, e vou mudando o contexto!
Bjsss!

Milla Pereira disse...

Ah, Cacá! Vc, sempre encantando com seus textos inteligentes, centrados e com aquela dose de bom humor! Adoooooooro! Abrçs, Milla

Toninhobira disse...

Pois é meu amigo, meu encanto por livros e paixão pela lingua, foi iniciado lá em Itabira com a abertura do colegio de freiras.Naquela epoca,acreditava-se(o que era verdade) que lá tinha melhor ensino para preparação para os vestibulares.E foi a irmã Elizabeth,quem muito me empurrou para os livros com belas indicações e acertadas,creio e acreditava que eu até pudesse escrever coisas,pelas redações que fazia.
Bela abordagem sobre este prazer.
Meu abraço mineiro.

Catia Bosso disse...

Cacá, lindo escritor!

Mistura tudo nesse seu caldeirão que sempre vai sair/surgir um encantamento em boa leitura...
Eu prefiro mil vezes uma boa leitura do que uma praia, por exemplo...

bjs

Miriam de Sales Oliveira disse...

Ando ausente,mas,n/ descrente.E,qdo volto fico um pouco mais alegre.
Meu amor pela leitura começou em casa ,fruto da solidão de uma filha única cujos pais estavam entregues ás suas ocupações.Preenchia minha vida com livros; ainda hoje preencho minha vida com livros.Apesar de ser considerada "popular" tenho mais amigos mortos -os autores de livros- do q/ vivos.
Adoro abrir um livro,devorá-lo e interagir c/ o autor,tentar entrar no seu universo.
Acabo de receber o novo livro do Aydano Roriz e estou mergulhada na Bahia de Tomé de Souza.Que livro!
N/ sei se isso é bom ou mau,conviver assim c/ livros; mas,é o q/ faço.
Bjs

Leninha disse...

Oi querido Cacá,como você está?Estive
um pouco desaparecida,mas "tô voltando".Quanto ao assunto em questão,me parece que até já comentei
aqui,comecei a me interessar por livros antes mesmo de saber ler,pois
meus pais tinham este hábito e minha avó lia para mim todas as noites.
Cheguei até a ficar de castigo porque deixava de arrumar a casa para
ler.Então,desde a mais tenra idade,lia tudo que aparecesse na minha frente,até mesmo jornal,pági
nas policiais,almanaques de farmácia(você se lembra deles?)e
todos os livros de meu pai.
Sempre li antes de dormir,depois
lia para meus filhos,sobrinhos e hoje,quando visito meus filhos,leio para os netos.
Tenho um filho que sempre me dá
livros de presente,então nunca fico
sem pelo menos três em minha mesa de cabeceira.
Bem,meu querido,é isto,não devo me alongar mais.
Espero e peço a Deus que esteja bem.
Bjssssss,Leninha

Lis disse...

Oi Cacá
Adoro estar no meio dos livros e isso nao veio da escola, infelismente porque dá uma certa desesperança que a coisa continue igual. Minha madrasta era professora e daí minha vivência com todos os livros que ela manuseava, eu adorava me sentir igual a ela rs e nao é que me tornei uma ! rsrs
Cacá , procurei o que voce aprontou com capixabas e cariocas e lamento dizer que na minha santa ignorância ainda nao achei rs
vou voltar a procurar- pode estar por perto e eu nao me dei conta.
rs
abraços amigo

Web Statistics