sábado, 26 de março de 2011

AEDO CIBERNÉTICO – VOU-ME EMBORA

Existem uns compositores que ultrapassam os limites do que a poesia pode nos oferecer de belo. É quando põem nela uma melodia. Será que é por isso que eu amo tanto a música? Sei não, mas desconfio. Se a poesia já toca fundo na gente, a música cutuca o insondável quando combinada com ela.
O Paulo Diniz é um desse enteus. Anda meio sumido mas não tem problema. O que ele já deixou me sustenta o espírito inquieto por muitos e muitos anos ainda. Só para dar dois exemplos do que falo, ele colocou melodia no poema JOSÉ, de Drummond. Dá para sentir o quanto isso é arrebatador? Só ouvindo a música.
Bom, depois, num momento daqueles que eu chamei de Enteografia*, compôs VOU-ME EMBORA. Parece que andou lendo o Manuel Bandeira a respeito de Passárgada, não ficou satisfeito com as certezas que lá estão colocadas e saiu para buscar a sorte por caminhos sem sul nem norte. Só ouvindo a canção para sentir melhor o que falo.

____________________________________________________
* Na antiguidade, como a escrita era pouco desenvolvida, o AEDO cantava as histórias que iam passando de geração para geração, através da música. Depois, veio o seu assemelhado na idade média que era o trovador. Hoje, juntado tudo isso com a tecnologia, criei o AEDO CIBERNÉTICO.

* Sobre ENTEOGRAFIA, leia aqui: Mãos de Deus

19 comentários:

Marcio JR disse...

E sabe o que mais, Cacá?

Nesses tempos em que parece existir uma competição para ver quem faz o lixo maior na música (funks e cia), ouvir tal obra que você expôs é como repousar a cabeça em travesseiros feitos de nuvens. Você vai, tranquilamente, às alturas.

Muito bom escutar novamente o Paulo Diniz.

Perfeito, Cacá. Abraços.

Marcio

chica disse...

Que coisa linda,Cacá! Bom começar o dia assim! abração,lindo fds!chica

Berzé disse...

A manhã fica mais bonita. Dá um pouco de chão pra alma.
Abração, Cacá.
Berzé

Rafaela disse...

Que delícia , adoro a melodia acompanhada de belas letras.
obrigada por esta.
Bom final de semana.
Abraços

Adh2bs disse...

Prezado Cacá.
Ao som docemente melancólico de Paulo Diniz, dei uma olhada nas crônicas que havia perdido nesse tempo de ausência, ao menos parte delas. Não é preciso dizer, lamentei a 2a hérnia e comprei o 2o. livro!
Cada vez que venho aqui fico mais otimista com o futuro, acho que o mundo vai ter um lugar adequado pra cada tipo de pessoa e a gente vai acabar se encontrando no nosso rincão...!
Grande abraço, cuide-se pra estar em forma pras próximas bienais do livro.
Ótimo final de semana a todos.
Adh

pensandoemfamilia disse...

Que delícia,adoro a melodia seguida de belas letras.
Obrigada.
Bom final de semana.
Abraços

Tais Luso disse...

Maravilhoso! Juntando poesia, música ficou lindo demais. E o vídeo ajudou...
Perfeito este 'quê' de tristeza e melancolia. E da 'antevisão'.

bjs
Tais Luso

Helena disse...

Lendo, ouvindo e aprendendo...
Você tem razão, alguns poemas parecem ficar ainda maiores (se é que isso é possível), quando põem melodia neles. Tem uns que são esplêndidos: "Canteiros" da Cecília, "Fanatismo" da Florbela e tantos outros que faria uma lista aqui...
Sempre textos ótimos, Cacá!
(e coloquei o link do "uai mundo" no meu Revelar, que é um blog pra gente com um pouquinho mais de idade que o outro.. rs)
Grande abraço procê!

Isadora disse...

Oi Cacá estou para passar por aqui desde que li o post da Tati sobre seu novo livro. Parabéns! Te desejo muita sorte e que seus livros vendam como água.
Fico feliz por você ter gostado da ideia de esquecermos um livro, e mais feliz ainda, por você poder esquecer os seus.
Um beijo

Juliêta Barbosa disse...

Cacá,

Depois de ler alguns dos seus textos gostaria de fazer um comentário sobre: “Sentidos”
Lendo-o, lembrei-me do livro “Vivendo, Amando e Aprendendo” de Leo Buscaglia.
Nele, o autor diz: “se você não quer saber como vai alguém, não pergunte. Mas, se você realmente quer saber, sente-se e acenda uma fogueira.” A simbologia da fogueira nos coloca a disposição do outro para escutá-lo pelo tempo que for necessário.

Vou acender uma fogueira para ler/ouvir você.

Denise disse...

Bom dia, Cacá...iniciar o dia, ainda mais de um domingo, ouvindo em boa música alguns ecos do próprio coração, é uma grata surpresa.

Tuas escolhas sempre me agradam, imagino que vá gostar muito de conhecer o Cacá escritor...já estou com o livro de uma amiga da blogosfera junto de alguns à espera para ser lido, terei um prazer imenso de juntar a estes, um seu. Vou providenciar.

Um grande abraço, com carinho.

Carla Piva disse...

Cacà...bom dia! Saudades de Paulo Diniz, música é isso, arrepia a pele quando ouvimos. Maravilha que só poderia vir de você. Vou me embora bateu forte pois, coincidência ou não, é meu dilema atual, em breve estou partindo do Sul, vou buscar a minha sorte em outras terras....Adorei, lindo e iluminado domingo prá você, beijos!

Felipe Faverani disse...

Olá, Cacá, tudo bem?
Que coisa maravilhosa! Obrigado por dividir com a gente. Adorei mesmo!
Abraço.

Diogo Didier disse...

Arrasou!

Concordo com tudo o que vc disse...parece que existem compositores que, ao unir letra e melodia, fazem com que a música se torne poesia...

Meu irmão é fã desse santor tbm...acho que ele vai gostar de ler esse post! bjoxxxxxxxxxxx no coração!

M. Sueli Gallacci disse...

Lindo Cáca.

Nesse final de domingo, o sol se despendindo por aqui... eu ouvindo a doce melancolia desse poema musicado, acampanhada com as belas imagens do vídeo... É tudo de bom!

Mas que belo garimpeiro que vc é, hem...

Bjo.

Toninhobira disse...

Belo Resgate amigo, tenho o meu disco remasterizado dele e sempre ouço, pois ele como bem disse,sabia fazer da poesia o canto,quero crer que há inspiração no Bandeira sim.Esta junção sempre acaba bem,para nossa alegria e inspiração.Um abraçao de paz amigo.

Amapola disse...

Não consegui ouvir a música, mas adoro o Paulo Diniz. Nos anos setenta, ele esteve nas paradas de sucesso. Marcou muito.
A mídia poderia resgatar esses valores, enquanto o autor está vivo.
Engavetaram muita gente boa.

Um grande abraço, querido amigo Cacá.

Leninha disse...

Oi Cacá!vc é xará do meu filho e este é um motivo prá eu começar a te querer bem...depois,é tbém mineiro feito eu e ama as nossas Minas Gerais.E gosta do Paulo Diniz,pessoa com quem convivi durante uma época de minha vida e que sempre foi uma "pessoa GENTE" da melhor qualidade...e.além de tudo,faz músicas lindas.Amei os seus textos,vou visitar o seu blog todos os dias.Venha me fazer uma visita,será uma honra para mim.Abração,Leninha.

Web Statistics