sábado, 5 de fevereiro de 2011

SÍNDROME DE SANSÃO *

A culpa que de mim se apossa por ficar à toa
Precisa ser exonerada.
Não fui eu quem lhe forneceu esse status doloso
Nem a nomeei detentora dessa prerrogativa.
Foi um conjunto de valores
onde só presta quem produz para o próprio sistema.
O resultado é distribuído a saber:
Pouco para quem produz muito
e muito para quem detém os meios de produzir.
Não valho nada se produzo com alegria e para minha própria alegria
Trabalhar por prazer é, para esse esquema,
o mesmo que ter prazer sem trabalhar
Mesmo se não pedir nada a ninguém,
mesmo se o que faço me mantém
sou um estorvo, malandro , vagabundo e preguiçoso.

* Síndrome de Sansão – Não  se trata do personagem bíblico, mas do cavalo, no romance “A Revolução dos Bichos”, publicado em 1944, pelo escritor, jornalista, ensaísta e militante político George Orwell.  O lema  de Sansão era “trabalharei mais ainda”. Depois do levante, foi mão de obra, sempre atuante nos canteiros do novo governo. Incansável, simbolizava o proletariado. Após sacrificar a própria saúde pelo ideal do animalismo, foi sacrificado pelos porcos, donos do poder. Ou os donos do poder, os porcos. Tanto faz.
Orwell nasceu  Eric Arthur Blair. E morreu assim também, com apenas 46 anos de idade. Mas a vida curta não impediu que, com o famoso pseudônimo, publicasse, entre outras coisas,  duas obras raras: 1984, que dispensa apresentações, e Animal Farm.
A fonte de onde tirei esta explicação veio de: Um elefante Caiu do Teto


Confúcio: "Escolhe um trabalho de que gostes, e não terás que trabalhar nem um dia na tua vida."

22 comentários:

Zélia Guardiano disse...

Perfeito, meu querido Cacá!
Perfeito!
Nunca vi tanta coerência...
E ainda , de quebra, Revolução dos Bichos: saudade, vou reler...
Adorei!
O sábado , que me parecia meio sem sal e sem açúcar, ganhou tempero...
Abraço apertado, Cacá!

maria olimpia alves de melo disse...

Estou aqui pensando que já passou da hora da minha aposentadoria mas pelo jeito viver sem trabalhar não faz parte do meu sentido de vida.

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

Vc levantou uma grande verdade... como a gente se sente culpado quando "está de boa" ou vai se aposentar, receber um dinheiro que não é fruto do próprio trabalho (na verdade é, sempre foi descontado, mas a cabeça não entende isso).

Mas trabalhar por prazer é sempre bom... é prazer, portanto nos faz bem tb.
bacana demais seus posts, sempre!
abraços meu caro, bom fim de semana

Renata Diniz disse...

Pois é. Este anel não deveria servir os dedos. Por vezes, é preciso ser mais Tomé (dúvida) do que boa fé (acreditar demais). Aguardo, curiosa, o texto sobre memória e identidade. Porém, certa de que se trata de mais um texto de aprazível leitura. Abraços!

Adriano Bello disse...

Ótimo Cacá!

Esse negócio de trabalhar com propósito, trabalhar no que se gosta de fazer, é uma das principais buscas que venho empreendendo nesta minha atual vida. Afinal, "Trabalhar por prazer é, para esse esquema, o mesmo que ter prazer sem trabalhar" ;-D

Abraços!
Adriano.

pensandoemfamilia disse...

ENTÃO, ESTOU COM 36 ANOS DE TRABALHO, mas ainda não me vejosem produzir...
bjs

Morena disse...

Cacá, eu adoro o seu blog. É sempre cheio de novidades. Você escreve com uma leveza incrível.

Ah, adoro essa frase de Confúcio!


Beijos, querido!

Celina disse...

Oi Cacá, quero antes agradecer a visita e o comentário. Não existe coisa melhor trabalhar no que vc gosta,e o contrario? por isso existem tão maus profissionais, fazem o que os outros escolhem para eles, os mesmos se acomodam e não tem coragem de mudar, justsmente por medo.Amigo um abraço. Celina

Norma de Souza Lopes disse...

Curioso como tenho me esforçado para deixar de ser o Sansão citado por você nesse texto. Tive vontade de ler a obra citada por você.
Abraços
Norma

Maria disse...

Pois é amigo, quando se trabalha naquilo que se gosta trabalhar não custa, o problema é que a maior parte das pessoas trabalha naquilo que é possível, pois hoje arranjar um emprego é uma tarefa árdua e não dá para sermos selectivos, temos mesmo é de trabalhar quer se goste ou não.
Passei também para lhe oferecer um miminho especial é o “Selo de Qualidade”, que recebi e que gostaria de partilhar consigo, pois o seu blog merece sem sombra de dúvidas este presente. Está no meu cantinho “SELINHOS – Presentes dos AMIGOS”
Tenha um Domingo maravilhoso
Beijinhos
Maria

Maria disse...

Amigo voltei pois tinha-me esquecido de agradecer o poema que deixou para mim no post "Divagar com a Lua". Está colocado na barra lateral. Muito obrigado, é lindo.
beijinhos
Maria

Thiago Quintella de Mattos disse...

Obrigado Cacá, por me motivar a reler Animal Farm. Talvez por ter lido apressada e despretensionamente em inglês não tenha sacado muitas coisas na hora. É a obra de Orwell que merece ser analisada e discutida, já 1984 está sempre às escâncaras em nossa vida!!

Apenas Tici... disse...

Impecável postagem.
Os valores realmente estão invertidos: trabalha-se muito e ganha-se, no máximo, o suficiente. Controla-se o trabalho e ganha-se muito mais que o necessário.

Como diria minha vó: manda quem quem pode e obedece quem tem juízo.

Beijinhos

´Flor* disse...

Lindo Domingo Cacá*Mil vezes trabalhar do que se aposentar..
Aposentado ganha uma merreca,não dá para ficar viajando,fica enfiado em casa,fica sem movimentos,da isso da aquilo.Trabalhem até a hora de morrer,trabalho dignifica a todos..
Sindrome de Sansão,por trás existe sempre uma DALILA,rsrsr.Bjus\Mil\Flor*

Marcio JR disse...

"E ante a face suprimida pela dor do esforço, e do suor que te escorre em sangue, advindo da obrigação de te alimentares, trabalharas, e se farás merecedor de teu sustento".

Belas palavras, não é? Seria tão melhor se fosse assim, trabalhar e ser digno e merecedor de algo. Mas, com os anseios capitalistas em nome do domínio econômico, tais palavras foram parar no lixo.

Um texto forte, Cacá, e muito verdadeiro.

Abraços, meu amigo.

Marcio

Diogo Didier disse...

Interessante! esse livro é fácil de ser encontrado?! preciso dálo a um amigo de presente!

Elaine Barnes disse...

O que mais me culpo é sobre a preguiça que sinto. Acordo bem cedo pra ficar sem fazer nada até a hora de ir trabalhar,só pra curtir a preguiça, depois me culpo porque poderia ter feito muitas coisas...Afiiiiiii! Montão de bjs e abraços preguiçosos

Amapola disse...

Lindo, a "Síndrome de Sansão"

"Escolhe um trabalho de que gostes"
Adoro Confúcio!

Um grande abraço.

Toninhobira disse...

Que Stalin esteja bem enterrado e soterrado,rsrs.Perfeito amigo com sua cultura e generosidade, o que faz de sua pagina uma uma escola.Parabens com meu abraço.

JoeFather disse...

Na minha modesta opinião sempre existirão aqueles que carregarão o piano e os pianistas!

Uns vivem da arte e outros conspiram para que a arte possa existir.

Assim também vejo a política, sempre existirão os grandes estrategistas e os meros manipuladores do sistema.

Uns serão para sempre lembrados pelos grande homens públicos que foram e os outros...

... Que outros?

Grande abraço renovado!

Rafael Sette Câmara disse...

Desde que comecei a trabalhar, 6 anos atrás (ok não é tanto tempo assim) sempre pretendi trabalhar por prazer. Consegui algumas vezes. Em outras, nem tanto. Só espero não desistir, e que o trabalho sempre seja mais do que uma forma burocrática de ganhar dinheiro.

Ficou muito com o poema! Parabéns!

Web Statistics