domingo, 9 de janeiro de 2011

MINIMALISMO

imagem wikipédia



Com tantos movimentos artísticos surgidos no mundo moderno o minimalismo pode ser considerado como uma dissidência de algo com que não houve um rompimento para um recomeçar do novo. É próprio dos movimentos artísticos fazerem brotar ondas ou tendências, creio que por causa do estro criativo humano e da inquietação do criador, que quer enquadrar a obra em sua própria intimidade, no seu estilo e para a sua originalidade. Começou nas artes plásticas e foi encontrando adeptos e adaptadores. Passa para a música, para a arquitetura, para o cinema - com os curtas metragens - e para a literatura, fundamentalmente.

O minimalismo literário não escapa dessa tendência. E me chama a atenção o fato de ganhar mais e mais adeptos, com a poesia minimalista, os mini e micro contos, o poetrix, a incorporação do hai cai, numa espécie de reprodução sintética da sociedade rápida e sem profundidade da descrição do olhar e do pensamento. Já não temos tido muito tempo para a observação contemplativa de quase nada. A contemplação é amiga íntima da paciência e isto reflete tanto no leitor quanto no escritor.

Mesmo assim o olhar não foge da raia. Ele apenas orbita por muitas coisas e muitos lugares ao mesmo tempo captando e reproduzindo as impressões de quem é o dono desse olhar. Provoca mais a perspicácia do leitor ou pode também demonstrar uma falta de recursos lingüísticos do autor. Na leitura atenta e naquilo que é omitido propositalmente é que a gente viaja, com conforto ou aos solavancos.

Com o advento da leitura eletrônica e da celeridade do mundo sem freio, creio ser um caminho cada vez mais a ser perseguido. Há textos que correspondem a uma fotografia e a gente cria a história através da imagem que as poucas palavras nos indicam mentalmente. Se é uma boa ou má aventura literária na formação de novos leitores ainda não se sabe. Prometo que se tiver pistas, rapidinho eu faço uma mini crônica sobre o assunto.

28 comentários:

Mariana disse...

Muito interesante a sua reflexão Cacá.
Qué seja um óptimo Ano pra voçê e a familia.
Carinhos de Mariana

Cronicando disse...

Bem observado, Cacá. O que não pode diminuir é o nosso prazer da leitura.
Abraços!
Kenny Rosa
(http://cronicandocomvoce.blogspot.com)

Chica disse...

Linda crônica e está aumentando mesmo... Há os que desprezam esse tipo de poesia.Acho válida e sei bem que é difícil fazer contos com poucas palavras e nos poetrix e haicais, passar tudo em poucas sílabas... abração,chica

maria olimpia alves de melo disse...

Só´posso dizer que é uma tendência dificílima na Literatura porque a maioria das tentativas são verdadeiros fracassos.Eu não desprezo mas tenho encontrado pouquíssimas coisas boas.

Miriam de Sales Oliveira disse...

Pois é,amigo,agora é tudo corrido,e ,esse estado de cisas reflete-se tb nas Artes.Mas,como disse Merô encontro poucas coisas boas.Mas,é uma tendência,fazer o que?!Esperar q/ a velha e boa arte literária volte a criar juizo. bjs

Miriam de Sales Oliveira disse...

Pois é,amigo,agora é tudo corrido,e ,esse estado de cisas reflete-se tb nas Artes.Mas,como disse Merô encontro poucas coisas boas.Mas,é uma tendência,fazer o que?!Esperar q/ a velha e boa arte literária volte a criar juizo. bjs

AyméeLucaSs disse...

"A contemplação é amiga íntima da paciência e isto reflete tanto no leitor quanto no escritor."
Muito interessante o seu texto. Ele me serviu muito para refletir quando escrevo.
Eu sou muito paciente, mas prefiro escrever do que ler, rsrs mas ao escrever tenho de ler para buscar informaçao e aprendizado que poderao me ajudar.

Pouco tempo faz eu escrevi um mini romance intitulado Circulo Vicioso...Mente Suja e Perigosa, e dei o nome de Livro de bolso, por ter escrito um texto grande mas ao mesmo tempo faltando muita coisa por estar publicando em um blog.
Tanta coisa eu poderia fazer naquela estoria e que nao fiz. Mas entao um amigo veio a mim e comentou, surgerindo que eu nao escrevesse tanto porque senao as pessoas nao iriam ler porque os blogueiros nao tem muito tempo para leituras longas.
Eu respondi que nao era uma blogueira, e que havia um sonho muito maior... De crescer com minhas escritas, e que poemas e contos para mim ja estavam ficando muito restrito para tudo que eu tinha a dizer. Que eu me sentia como um escritor e me comparei com um outro profissional como um arquiteto, medico, que a cada descorberta quer descobrir mais...
Que eu nao me importava que ninguem lesse, eu estava escrevendo para mim, para meu aprendizado.

Quanto a ilustraçao eu gosto de ilustrar, mas eu escrevo primeiro, depois vou a procura da figura que possa parecer com que eu escrevi... tem vez que fico horas a procurar uma ilustraçao que sirva, e eu a encontro! rsrsrs

Eu estou passando aqui para te dizer que nao terminei ainda a minha estoria, antes eu disse de ser um conto, mas esta virando outro livro de bolso. Acabei de postar a segunda parte da estoria. Voce me pediu para avisar entao vim!rsrs
Bjus

Thomaz Ribeiro disse...

Não gosto dessa tendência que você observa. Tenho reparado, na minha experiência como professor da rede pública, que os adolescentes têm demonstrado um comportamento cada vez mais arredio com aquilo que é mais profundo. O problema, meu amigo, é que ultimamente anda sabendo mais aquele que sabe menos.

Diogo Didier disse...

Muito interessante seu texto!

É a tal adequação ao mundo moderno que tende a acelerar nossa vida e a minimalizar as nossas operações rotineiras.

bjoxxxxxxxxxx

Marcio JR disse...

Novos tempos, não é, Cacá?

Existem os lados bom e ruim nisso tudo. O primeiro, e bom, é que há uma democratização do espaço literário. Sabemos muito bem da quantidade de talentos que surgem dia após dia pela web afora. Algum tempo atrás, eles sequer teriam como serem achados ou apreciados.

Porém, por vezes é quase impossível de se chegar a esses talentos, devido a dimensão da web. O fator "preguiça" também encurtou muito os textos, seja por conta do leitor não gostar de textos longos, ou pelo próprio autor ter que se adaptar a este novo mundo. Mas, com o tempo tudo se ajeita.

E pode incluir mais uma coisa na tua lista de minimalismos. O meu salário. Este sim está difícil de se "ajeitar"... rsrs.

Abraços, Cacá.

Marcio

Arnoldo Pimentel disse...

Muito bom seu texto, passei para conhecer seu blog e gostei muito.Parabéns.

http://ventosnaprimavera.blogspot.com

Uni ver sos disse...

Amigo Cacá!

Como sempre atenadíssimo e um olhar arguto sobre as coisas...
gosto muito disso!

Há de se tomar cuidado para não se minimizar os sentimentos e o direito de um olhar mais prolongado sobre a arte em suas múltiplas formas,

abraços!




(Vc recebeu o email que te mandei pelo gmail?)

Uni ver sos disse...

Cacá,

o email que te mandei voltou, se vc tiver um outro me mande, por favor, preciso falar com vc, é importante!

true.esther@hotmail.com

Isadora disse...

Cacá que interessante a sua reflexão. São tantas as formas de expressão literária, cujo conteúdo é maravilhoso que é importante estarmos atentos e sabermos apreciar.
Um beijo

Mimirabolante disse...

Bem interessante.....ainda não tinha visto por este prisma....
Cacá,adorei ver vc lá em casa !!!Mil bjcas e Felicidades.....sempre !!!!!

Kleber Godoy disse...

Olá,

Visitei teus 3 blogs e gostei muito. Textos de muita qualidade... mesmo!

Li algumas coisas e volto para ler mais, estou seguindo! Posso linkar seus espaços em meu blog?

Abraços e até mais...

Kleber

Morena disse...

Escreva mesmo, Cacá. Suas crônicas são as melhores.

Um beijo!

Felipe Faverani disse...

Oi, Cacá, tudo bem?
Eu acho que isso é um sinal positivo, sabia? Mostra aos mais jovens a Literatura com uma cara completamente nova, diferente do que estão acostumados a aprender nas escolas "ainda". Porque sinceramente o ensino literário nas escolas está péssimo principalmente por se manter no que sempre foi padrão para o assunto. Isso - a rapidez da escrita, dos contos, a concisão de tudo - só tem a fazer com que a Literatura seja ainda mais apreciada.
Ótimo texto, Cacá. Venho aqui também para te agradecer as palavras do seu comentário no poema que escrevi. Fico muito contente de verdade com elas. Irei estudar ainda mais para que elas possam ser mantidas.
Grande abraço.

Sheilla Liz disse...

Oi Cacá! Tudo benzinho? Acho que quando o autor é bom, manda ver no sentimento ou argumento, qualquer tamanho ou estilo de texto é válido. Super abraço!

Toninhobira disse...

E voce com seu olhar crinico captou bem a onda.Gostei da cronica mini.Mas que a vontade e o prazer de ler esteja em crescente,isto é o que sempre sonhamos e parece ser real,vendo o crescente numeros de jovens pela literatura,como tenho visto no Recanto das Letras.Meu abraço de paz.

Amanda ~~* disse...

Olá,

Encontrei seu site num blog, na página de autores parceiros.
Eu estava interessada em saber se você aceita enviar-me alguma(s) de suas obras literárias (autografadas, caso seja possível) para que eu possa ler e resenhar ela em meu blog (primeiro-livro.com) e sorteá-la depois, caso você deixe.
Peço-lhe, por favor, que caso aceite, responda-me mais breve possível por este mesmo e-mail.
Se for de seu interesse talvez depois, também possamos disponibilizar em meu blog, uma entrevista que farei com você.
Aguardo ansiosamente pelo se retorno.
Abraços,

Norma de Souza Lopes disse...

Bom Dia Cacá
Muito Boa a sua crônica/artigo. Me fez lembrar de algo que li a alguns anos.
Países desenvolvidos como a Suíça estão adotando uma política chamada Slow Food em suas indústrias em contraposição ao fast food. Trata-se de uma forma de desacelerar não só a maneira que se alimentam mas a forma de viver.
Vale a pena ler sobre. Afinal a vida imita a arte. Ou seria o contrário?
Abraços
Norma

Claudio Poeta disse...

Bem argumentado, meu amigo! O minimalismo não serve pra mim, como você sabe... rsrs - Parabéns! - Abração

Thatica. disse...

Cacá..

Muito obrigada pelo conselho. Vou segui-lo..

Tenha uma boa semana! Fica com Deus!

Tati disse...

Cacá,
Fico feliz que tenha gostado da minha dica musical.
Sempre que entro aqui aprendo bastante, muito interessante falar sobre isso.
Beijo grande!

Chica disse...

Acabou de entrar tua poesia no sementinhas...obrigado, abração,chica

Aleatoriamente disse...

Poetrix é um jeito bem elaborado de poetizar.
Cacá querido,
Não consertaram minha net.
Vim na lojinha próximo de casa heheh...
Valeu mesmo pelo o carinho.
É bom chegar por aqui, tua casa é uma alegria.

Com carinho.
Fernanda

JoeFather disse...

Amigo, já recebi alguns comentários dizendo que eu devia escrever um pouquinho menos, que eu me alongava demais... Mas creio que pela lógica das palavras do amigo não sou eu que me alongo, são os outros que encurtam tudo!

Como bem expressado pelo amigo, é o mundo da aceleração. E eu, paciente de carteirinha, aproveito para observar tudo aqui da minha desaceleração constante. De camarote observando um mundo que tem pressa para tudo e esquece de viver!

Abraços renovados e um excelente final de semana!

Web Statistics