quinta-feira, 13 de outubro de 2011

TERAPIA II

MAIS RECORDAÇÕES

"É a perda da memória, e não o culto à memória, que nos fará prisioneiros do passado". 
Isabel Allende




Às vezes penso que quando determinadas pessoas tratam a gente por saudosista, dizendo que “quem gosta de passado é museu”, que “lembrar do passado é sofrer dobrado”, além de outras ofensas à memória, estão exercendo um esquecimento preventivo mas com medo de não irem adiante. Uma ingênua estratégia de sobrevivência. Se não há lembrança do que passou é porque o presente não apontou ainda o vir a ser. E não vai ser a negação do passado que irá garantir um futuro melhor. “Esquecer de nós mesmos é assinar um contrato com a resignação”, disse muito bem a Martha Medeiros*. E eu acrescento que projetar o incerto sem uma referência é sofrer por antecipação.

 Pois bem, creio que encontrei um motivo de tanto saudosismo de minha parte. Há a vida vivida com intensidade. Há situações vividas que se transformam em história. Só é agraciado com o saudosismo quem criou história cuja intensidade deixou marcas. Por isso as situações são lembradas. Como exemplares. Tanto para serem revividas com saudade ou para não serem esquecidas por aprendizado. Erros se vierem a acontecer novamente, que sejam novos, eis a confirmação do nosso lado demasiado humano. Se não ficamos sem cometê-los, que não venhamos a repeti-los. Por isso é bom lembrar. Revisitar o passado de vez em quando (e não ele nos visitar) nos fortalece. Há lembranças que foram tão marcantes na nossa vida que não há com fugir delas, desprezar, esquecer. Às vezes ficam num canto escuro da mente e a qualquer estímulo, elas pulam sozinhas para fora, sem que tenhamos dado autorização. Viram falas, causos, poesias, crônicas, romances, seja falando bem ou mal. Então me lembro de tanta coisa e vou classificando aquelas que marcaram para sempre, feito nódoa que não sai com tira manchas, feito cicatriz de queimadura, feito tatuagem. O “deixar pra lá” é que nos faz vítimas. De enganos, de dominação, de uma síndrome de mal amados, vítimas de nossa própria prisão a um presente que põe a gente para andar em círculos.



* citado na crônica Tempos de Amnésia Obrigatória.

39 comentários:

Denise disse...

Tuas palavras poderiam ser minhas, na íntegra, Cacá.
Penso exatamente como vc!

"Só é agraciado com o saudosismo quem criou história cuja intensidade deixou marcas." pra mim, resume a essência desta tua bela crônica.

Avancemos na vida, sigamos adiante, inteiros que somos por cada parte que vivemos.
Beijos, um lindo amanhecer, meu amigo!

Zélia Guardiano disse...

Muito, muito interessante, meu querido Cacá!
O passado, para mim, é escola: visitando-o avivo na mente, lições que não devem ser esquecidas. Tudo de forma light, sem estresse, sem neura... Do jeito que você, sabiamente, diz.
Abraço apertado, meu amigo!

✿ chica disse...

Tem fatos e coisinhas que ficam em nós pra sempre,não adianta não querer lembrar.

Porém, outras devemos mesmo esquecer e não ficar revirando... abraços,chica

Jardim das poesias infantis/Magia em versos disse...

Bom dia Cacá!
Parabéns pela bela abordagem do passado.
Concordo contigo que não dá para passar uma borracha e apagar o já vivido, mas pode aprender muito com ele.
Recordar é sempre bom desde que também não fiquemos presos nele, e fora da realidade.
uma ótima quinta-feira para ti.
abração

Vivian disse...

Bom dia,Cacá!!

Bem verdade, se esquecermos do passado como não cometer os mesmos erros?!Mas o problema é que a maioria confunde saudade com lamentação...aí,não adianta né?!
Belíssima tua crônica!**Adoro a Isabel Allende!
Beijos!!Tudo de bom pra ti!

ValériaC disse...

Oi meu querido Cacá...um tema muito importante este que você nos traz.

De forma alguma devemos ignorar o passado, tentar sufocar e esquecer, muito pelo contrário, quanto mais colocarmos lucidez e entendimento em tudo o que vivemos, mais resolvidos seremos no presente e consequentemente no futuro.

O que pode ser nocivo, é aquele que fica preso num passado e não dá chances para o momento presente, mas penso como voce, o passado é algo grandioso, que nos traz boas lembranças e imensas aprendizagens, que com certeza nos trouxeram até aqui e agora, nos fez ser quem somos. De quando em vez, é muito enriquecedor o visitarmos.

Fique na paz e na alegria amigo...beijos
Valéria

pensandoemfamilia disse...

Não podemos negar o que somos. Este SER tem uma bagagem composta de muitas vivência que nos marcam e, assim, vamos e voltamos. Quem não se permiti ir, possivelmente está aprisionado (paralisam).
Portanto, nossa história é fonte de mudanças e transformações.
bjd

Pedrita disse...

eu gosto de lembrar e gosto de seguir em frente. tento não ficar presa ao passado, mas adoro relembrar bons momentos. fui olhar no seu perfil pq não sabia de onde vc era, não ajudou muito pq há várias cidades ali. por ter falado no palácio das artes, imagino que esteja em belo horizonte. vou ficar de olho em eventos como o q comentei q vão a belo horizonte de graça ou bem baratinho. fui olhar na revista concerto, no dia 20 a orquestra sinfônica de minas gerais vai fazer um concerto gratuito na fundação de educação artística. nesse mesmo lugar no dia 21 vai ter um lançametno de um cd com recital do claudio cruz, custará 1 real. ainda nesse lugra uma orquestra de flautas vai tocar no dia 23 pro 2 reais. pelo jeito essa fundação traz vários eventos a bons preços http://www.fundacaoeducacaoartistica.org.br/ beijos, pedrita

Ivana disse...

Seu sorriso e seu espírito de paz e bem confirmam cada palavra desta belíssima crônica. Um abraço, uma óima quinta.

Lena disse...

Cacá
Que saudades desse cantinho que privilegia as coisas novas, inteligentes, leves e importantes. Adorei o texto pois sou o saudosismo em pessoa. Sou nostálgica, me orgulho de ser e gosto de ser. E não vejo pecado algum em ser assim. Extamente as vantagens que o texto apresentou é que me fazem me sentir tão bem em gostar de revisitar o passado. Show de bola!
Bjkas com super carinho!

。♥ Smareis ♥。 disse...

Boa tarde Cacá! Esse texto tem muito de mim, penso exatamente. Há lembrança que vem com saudades profundas , e são gostosa de reviver, e outra são lembradas, mas pra poder não cometer alguns erros passados.Minhas lembranças são combustível pra enfrentar meus problemas pelos caminhos, e meus erros passados uso com degrau.Parabéns amigo, uma crônica maravilhosa. Um excelente resto de semana cheio de coisas boas. Bjs grande!

Renata Diniz disse...

Memória pode ser pirraça, mas também precisão. Abraço, Cacá!

´Flor* disse...

Procuro lembrar de coisas boas.nascimento de meus filhos.Ô delícia de recordar.a infância deles que com eles vivi.Agora deletei da minha vida o que me deixou burrecida..Expressiva sua crônica.Parabéns.Bjus\Flor*

Emíliana disse...

Passado é nossa referencia.Não acredito quando as pessoas dizem que passado já era...Precisamos dele,para justificar o nosso hoje.
Lindo texto!
Olha só,vim te fazer uma cobrança,a greve dos carteiros acabou...rsrs
Bom fds,bjka

Lulú disse...

Olá Cacá
Você me fez pensar nas conversas de meu marido. É uma criatura que sente saudades de tudo e muito. De uma música, de um amigo que já se foi, da família , finalmente é um saudosista.
Adorei seu texto.
Obrigada pela visita.
Beijo
Maria Luiza (Lulú)

Tunin disse...

Cacá, belas as tuas palavras! E eu digo:nós perdoamos, mas temos memória. Abraços, querido!

Beth/Lilás disse...

Certamente amigo Cacá, relembramos porque fomos felizes, porque tivemos amor à nossa volta e porque é uma delícia relembrar certos momentos.
Eu gostei desse modo como você colocou esta nossa necessidade, pois tem gente mesmo que acha isso pieguice ou velhice chegando, quando nos escuta ouvindo uma música, por exemplo, de um tempo em que fomos tão felizes. Eu amo fazer essas catarses!
um beijo carioca

Vera Lúcia disse...

Brilhante, Cacá.
O passado é a história de nossas vivências e merece ser revisitado, pois as lições que aprendemos a partir dele é que nos transformaram no que somos hoje.
Reconheço que não há como fugir de determinadas lembranças. É como você disse : "(...) Por isso as situações são lembradas. Como exemplares. Tanto para serem revividas com saudade ou para não serem esquecidas por aprendizado."
Abraço.

Aleatoriamente disse...

Concordo contigo Cacá.
Tenho minhas lembranças do passado, que carrego com muito orgulho comigo.
Preciso delas porque são minhas.
De qualquer das formas que elas fincaram em mim, são relíquias que me brindou a vida.
Sou saudosista de carteirinha e assumo sem receio.
Sem meu passado, não teria presente.

Amei te ler como sempre.
Beijo amado.

Amapola disse...

Boa noite, querido amigo Cacá.

Nossa... Adorei!!

Muitas pessoas querem viver o presente, como se tivessem nascido hoje. Nem encontro nome pra isso.

Se tudo que aprendemos é fruto da nossa vivência, se tivermos a necessidade de renegar isso, é porque os nossos bloqueios atuais são maiores do que as nossas emoções do passado.

Parece uma amnésia induzida.

Se nossa mente é sadia, não faz mal nenhum recordarmos o que vem aleatoriamente, ou mesmo, abrirmos os nossos "arquivos mortos".

Tudo bem dosado...

Tudo de bom pra você.

Beijos.

Anne Lieri disse...

Cacá,vc tem razão eu não tinha pensado nisso a fundo!Acho ruim remoer rancores do passado,mas lembrar com saudade pode ser muito saudavel!Adorei a parte sobre "cometer novos erros"...rss..precisamos mesmo nos permitir errar!Sempre um excelente texto!Bjs,

Meire disse...

Cáca querido, adoro nostalgiar e acho isso super saudável tbm. Sinal de que o que lembramos foi bom, merecido de ser lembrado ;) E mesmo as coisas que não foram boas devemos relembrar e digerir para que não pese de outras formas em nossa vida.

bjokitas com imenso carinho!!!

Tatiana disse...

Cacá querido!!! Etaa... palavras magicas, tao agradáveis de ler!!!
Adoro essa sensação de saudosismo,me reenergiza, mesmo quando a tristeza as vezes fica querendo invadir.
Quem seria a Tati sem esse passado?...rs..uma mulher muito da sem graça !!
Voce arrasou colocando a importância do passado na vida de uma pessoa, ele que nos da os instrumentos para um futuro melhor!!!
Hahaha...3 dias vendo monstros...hahaha...como eu ri!!!!
Beijocas!!!

Jacques disse...

Cacá, achei seu site, afinal.
Realmente, o passado é uma parte indissociável de nós, o que não quer dizer que tenhamos de ficar presos a ele.
Agradeço aos comentários lá no site e, se não ligares muito, vou me abancando por aqui.
Abraço.

Cartas de Julieta disse...

Cacá,

Meu passado é a minha referência. Nele estão as minhas digitais. Não sei por que as pessoas se referem aos saudosistas com tão pouco caso... Só lembramos com saudades daquilo que nos fez felizes.

Acredito no presente como fonte de progresso e de tecnologia avançada, mas lamento que a evolução emocional das pessoas não tenha acompanhado todas essas mudanças...

Tenho memórias antigas que valem ouro... E, do meu passado tiro valiosas lições.

A amnésia que impera nos dias atuais descaracteriza até a infância das nossas crianças. Já nascem adultas! Sem passado e sem lembranças! São filhos e filhas do efêmero...
Pobres meninos e meninas ricos!...

Obrigada, pela beleza de um texto que não me deixa esquecer quem sou...

Yasmine Lemos disse...

Belíssimo Cacá,sou saudosista,mas sei separar as dores dos amores e doçuras.
abraços e um lindo fim de semana

Celina disse...

Oi querido amigo Cacá, vim te visitar e agradecer o comentário, É amigo como se diz, recordar é viver,gosto de reviver o passado nele encontro de tudo, são momentos inesqueciveis, de alegria de saudades e de humor. estão bem vivos nas minhas lembranças. Tudo de bom para vc Um abraço de muito carinho Celina.

Bixudipé disse...

Cacá, tens toda razão: um homem sem memória é um homem sem história.

Adorei a crônica; abração,

Rodrigo Davel

Cynthia disse...

Esse post é sentar no divã propriamente. A música quase sem querer do Legião já dizia: Que mentir pra si mesmo - É sempre a pior mentira. Cynthia

Cynthia disse...

Esse post é sentar no divã propriamente. A música quase sem querer do Legião já dizia: Que mentir pra si mesmo - É sempre a pior mentira. Cynthia

Maxwell Soares disse...

Meu Caro, Cacá. Sempre olho pra frente, amigo. Mas nunca deixo de dá "una miradita a los hechos pasados". Um abraço... Gostei, amigo. Cacá? Você conhece pessoas interessadas em discutir o tema dos Senhor do Aneis? Estou iniciando a postagem do primeiro filme, A Sociedade do Anel, da trilogia. Caso goste... Ficaria feliz com o seu comentário. Caso saibas mais de alguém, então, fala, ok? Um abraço...

Thatica. disse...

Oi Cacá querido!
quero lhe agradecer primeiramente pelos gentis comentarios em meu humilde blog... Fico realmente lisonjeada e feliz, quando recebo um comentario seu. OBRIGADA!

Cacá, faço das suas palavras as minhas. Nunca alguém falou tão bem de um assunto que sempre mexe comigo: PASSADO.
Quando eu falo de passado, as pessoas costumam a dizer que quem vive de passado é museu. Mas como vc disse, eu tbm vivi situações intensas das quais são realmente partes ou particular de mim, e o que me tornou inteira.
Não posso renegá-lo, e é sempre bom relembra-lo para que os mesmo erros não sejam cometidos.
Belissimo texto!
Um forte abraço, amigo!
PAZ E BEM

Mariazita disse...

Recordar o passado faz bem: momentos felizes, recordam-se com saudade; erros, recordam-se para não voltar a cometê-los; momentos menos felizes devemos recorfá-los para evitar que voltem a acontecer - fazendo os possíveis para construir o presente e o futuro com base em experiências passadas.
Presentemente estou recordando muitos momentos passados, compilando-os para escrever o próximo livro. É um género de recordações diferentes- recordam-se, apenas, não interferem no presente nem no futuro.
Gostei muito de sua crónica.

Ah! e sou fã (grande) de Isabel Allende. Li toda a sua obra, e tenho a maior parte de seus livros.

Bom restinho de semana. Beijinhos

Néia Lambert disse...

Cacá, felizes os que podem trazer à tona os melhores e lindos momentos da vida. À mim é absolutamente agradável recordar sempre!

Um abraço.

Casal 20 disse...

Cacá, lembra daquela teoria do "buraco de minhoca"? Aquela que diz que poderíamos viajar infinitas distâncias pelo universo simplesmente dando um salto num buraco desses? Então, vejo meu passado assim, acho que na minha mente há milhares desses buracos de minhoca e, quando menos espero, lá estou eu há uns vinte, vinte e cinco anos atrás. Rapidinho, rapidinho. E claro, também saio anotando e catalogando tudo para registrar essas viagens dentro de mim.

Sou assim também, igualzinho ao que você escreveu na tua linda crônica.

Abraços sempre afetuosos.

Cecília Romeu disse...

Uai Cacá? rsrs
Tudo bem, amigo?
Sou muito nostálgica, então este texto para mim caiu muito bem!
Aliás, muito bem-escrito.
Creio que nossa memória se encarrega de nos transportar ao passado, mas também de edificar nosso futuro!

Grande abraço e ótimo fim de semana para ti e família, sr. cruzeirense! rsrs :)

Toninhobira disse...

Creio nesta revista,neste retorno ao nosso bau de emoções, que aberto saltam como peixes na Piracema.Por isso a historia busca sempre o passado para entender o presente e pensar no futuro.
Otima cronica.
Meu abraço de paz e luz.

Anônimo disse...

Tio Cacá!
lendo o seu texto eu lembrei um trecho que um amigo meu, faz filosofia me mostrou:

Sócrates, o que você leu no Oráculo de Delfos?

"Te advirto, quem quer que sejas,
Oh, tú! Que desejas sondar os Mistérios da Natureza.
Como esperas encontrar outras excelências,
Se ignoras as de tua própria casa?
Em ti, está oculto o tesouro dos tesouros.
Oh, homem! Conhece-te a Ti mesmo
E conhecerás o Universo e os Deuses"
(Templo de Apollo em Delfos)


Tio Cacá, por não freqüentar muito o blog ainda não sei como funciona as postagens, tamanho,etc. Mas estou também para um contato. Aí você tem total liberdade pra decidir postar o comentario

Lembrei desse trecho, pois a história é uma grande contribuinte para conhecermos nós mesmo e como você disse tomando muitas coisas como aprendizado ou a história tanto da humanidade quanto individual fazem parte do aprendizado. Ao mesmo tempo que somos diferentes fazemos parte das cidades e somos seres humanos, isso nos torna iguais em muitos aspectos.
Valeu tio cacá pelo texto

abraço

Leandro

Web Statistics