terça-feira, 11 de outubro de 2011

AS CRIANÇAS DE NOVO

imagem google

Criança era um problemão na idade média. Filhos de servos tinham que crescer logo para ajudar os pais na lida e formarem-se bons servos. Desde muito cedo já trabalhavam nas lavouras e serviços domésticos nos feudos. Assumiam os lugares dos pais que morriam muito cedo por falta de condições sanitárias e de exaustão no trabalho. Não brincavam, não havia infância.

Os filhos dos nobres eram um estorvo quando pequenos. Não serviam para nada além de dar despesas. Mas brincavam pois sempre tinham um servo, uma mucama, um escravo que lhe serviam para todos os fins, inclusive o de ocupar o tempo não perturbando a ordem nos castelos medievais tão acupados com a administração do feudo e com as festas proibitivas para pequenos. Isso até os seis, sete anos, no máximo. Daí para frente o seu mundo era o mesmo dos adultos. E as relações pais e filhos não eram cercadas de afetividades de pais e filhos.

Na classe intermediária, onde situavam os artesãos e mestres de ofícios, elas eram aprendizes de alguma profissão desde a mais pouquinha idade.

Veio a revolução industrial e demandou muita mão de obra. As crianças foram necessariamente incluídas, cumprindo jornadas de trabalho de adultos. Menos infância.

Passadas duas guerras mundiais, chegou-se a um consenso (na marra) de que precisavam deixar as crianças de fora disso tudo. Novas tecnologias também contribuíram para seu alívio, uma vez que máquinas começaram a substituir o trabalho humano. Então não foi nenhuma benesse a declaração de direitos da criança criada pela ONU em meados do século vinte. Foi um tremenda média que fizeram para os pequenos e também com os pais para que pudessem trabalhar muito, muito e muito pois já não aceitavam mais passivamente tanta exploração no trabalho. Tinham que receber contrapartidas dos estados nacionais e das grandes indústrias que se expandiam na Europa e EUA..

Mas foi benéfica de qualquer jeito. A minha geração, por exemplo, pode ter uma infância bastante livre, leve e solta (apesar de ainda ter que começar a trabalhar muito cedo, quando não se era de família abastada. Fora isso, a infância durava até por volta dos 14 anos.). Hoje, criou-se um amontoado de direitos e leis protetoras da infância mas vejo as crianças perdendo-a muito rapidamente para o medo, para a pressa, para o despreparo, para a violência para a corrida atrás de dinheiro por parte dos pais. Elas tem acesso a tudo e menos tempo para brincar de ser crianças. Estranho, não?



Para quem quiser saber mais sobre a história da infância indico:
 

42 comentários:

Jorge Sader Filho disse...

Está certo, Cacá.
O excesso de protecionismo ao menino acaba por torná-lo medroso diante dos fatos da vida. Tira sua iniciativa.
Que brinquem, estudem, socializem-se. Mas colocar uma cerca de ouro é um erro. Sempre será uma cerca.

Abraço,
Jorge

✿ chica disse...

Sempre aprendemos aqui!!!Legal! abração,tudo de bom, obrigado pelos carinhos e tb com o Neno! chica

Miriam de Sales Oliveira disse...

Amigo,veja q/ paradoxo;lutamos tanto pela liberdade das crianças,pelo direito de ser elas mesmas e o q/ vemos?!
Crianças q/ são adultos pequenos,vestidas como tal e cheia de afazeres e obrigações.
P/ favor,devolvam ás crianças o direito de ser criança.
bjs

Aleatoriamente disse...

Nasci então no tempo errado Cacá? Risos...

Não posso dizer que não tive infância, eu a tive como qualquer criança nas minhas condições tem.
Mas aproveitei poucas as brincadeiras, eu precisei crescer muito cedo por dentro.

Mas uma criança na minha concepção, precisa ser criança.
Precisa brincar, amor, estudar, e descobrir o mundo com sua beleza exata.

Um adulto jamais deveria contar uma pequena mentira que seja, na frente de uma criança.
Elas sorvem isso como exemplo e começa um processo feio no seu interior.

Criança é verdade , é bola, é balanço na praça, é boneca, é escola, é amor e proteção.

Criança é futuro...

Querido amei seu texto,tua forma de expressar é maravilhosa.
E sempre me deixo levar...
Desculpa.

Bom dia Cacá para você e sua criança de dentro.

Sabor de Pitanga disse...

Acredito que ser crianca é uma fase muito boa e nao se deve, jamais, atrapalhar essa fase. Mas o que se percebe hoje, é a crianca vivendo e vivenciando coisas que nao lhes pertencem... a televisao e a internet, têm "prejudicado" muito a crianca, nesse particular! Infelizmente!!!

Mas existem também, criancas do passado que nao tiveram infância por determinadas razoes... Eu costumo dizer que é ruim demais chegar na fase adulta tendo-se a certeza de que nao se teve infância!... Porém sao coisas que nao estao à venda...

Abracao, Cacá.

Yasmine Lemos disse...

Nada como o conhecimento . Enfim as crianças sempre de um jeito ou de outro tornando-se vítimas de seu tempo e seus "moldes".Como você bem disse hoje elas tem tudo nas mãos mas a infância genuína ,sadia,está muito longe.
obrigada pelo carinho no seu comentário de hoje no perfil do Rubens
abraços Cacá e viva os pequenos

Vivian disse...

Bom dia,Cacá!!

É de se pensar e muito! Claro que não podemos generalizar,mas está bem assim(salvo algumas exceções...), as crianças estão entrando no mundo dos adultos mais cedo, preocupam-se com a roupa, com a moda,com dinheiro, com namoros(?!!)desde a mais tenra idade!!
Quando a humanidade vai realmente aprende com a história? Ou é 8 ou 80!!

Beijos!!Tudo de bom pra ti!

Meire disse...

Cacá querido, eu aprendi na marra a importância de deixar a criança que tem em mim fluir quando necessário. Quando pequena lidei com situações que me roubaram um pouco do encanto que com o tempo fui reconstruindo e reencontrando a criança que estava guardada em mim, só que eu tive como encontrá-la por ter tido até meus 10, 11 anos uma infância deliciosa, mas fico pensando em muitas crianças que hj vivem como adultos, tem agenda mais lotada que a da Madonna e não sobra tempo pra brincar, pra usar a imaginação. Eu penso, e quando crescerem e quiserem encontrar a criança que existe nelas?? Onde vão encontrar??
Devaguei por aqui meu amigo!!!

Linda terça pra ti, bjokitas mil no seu core.

Bixudipé disse...

Caca, seu texto é excelente; extremamente esclarecedor.

Adorei; abração,

Rodrigo Davel

MARILENE disse...

Como cresci brincando na rua, onde todas as crianças o faziam, posso dizer que sei o que é infância. E para as crianças não eram necessárias muitas coisas, até porque, no meu mundinho, os pais não tinham condições para isso.
Hoje, além de natação, dança, escola... e muito mais, há os computadores. São escravos do relógio, como os adultos. E chegam lá sem conhecer a infância.

Bjs.

Tunin disse...

A criança deve viver o seu tempo infantil, no vestir, na singeleza da pele natural, sem precisar usar do artifício da pintura. Mas,a mídia e os próprios pais estão aí incentivando fantasiar a criança de adulto. Belo o teu texto. Abração.

Nice Bacchini disse...

Um texto sensacional, escrito por um historiador. Prendeu-me do início ao fim. Realmente as crianças não tinham espaço e nem direito para brincar, e só conquistou esse direito com as necessidades da sociedade da época. Hj esse direito bate de frente com as necessidades da sociedade época atual, que por muitas das vezes as prejudicam, quando as crianças não têm tempo para brincar, com várias atividades quesão impostas a elas,ao seu dia a dia. Tenho pena das crianças de hj, ainda bem que minha geração ainda pegou as brincadeiras de criança...Parabéns Cacá... bom dia!!!!!! Abraços.

Toninhobira disse...

Concordo plenamente com sua analise final, estão roubando da criança o direito de ser e ter o melhor da vida. Ainda nas classes menos favorecida as crianças cedo são levadas a participar da busca de recursos e aí sim vê-se exploração para uma coisa que não tem solução lá naquele mundo de faltas.Lá onde ainda não se preocupou com o controle da natalidade e assim no meio daquele monte de filhos,de maneira natural os mais crescidinhos vão se alistando nas frentes de trabalho,para ter um pouquinho do que resta.Mas indigna a ainda exploração destes nos campos,principalmente de pedreiras e carvoarias espalhadas por este Brasil, às vezes num sistem proximo à escravidão.
Bela reflexão nesta semana dedicada a eles.Ai me vem na lembrança as festas deste dia,com Qsuco e pão com mortadela e a gente era muito feliz neste dia.

Um abração feito criança feliz ao ganhar um presente.

Misturação - Ana Karla disse...

Na verdade um absurdo.
Tenho observado que as crianças estão deixando de ser crianças aos 8, 9 anos.
Quem já viu isso?
Como disse, os próprios pais incentivam a corrida para o "ter" e não deixam as crianças serem elas mesmas. E ainda chamam isso de infância.
Estou em outro tempo sem querer, com dificuldade em aceitar tais precocidades que a sociedade impõe.
Sei não, viu?!!!
Ler mais histórias...
Xeros

lis disse...

E estamos todos sempre a comemorar as crianças , é uma data alegre e a gente vê os olhinhos brilhando quando vai chegaando esse dia rsrs
Bom que todos presenteassem livros e lessem com eles Todas gostam.
Ótimo seu texto Cacá.Gostei também dos anteriores que nao pude ler em tempo hábil ,( o texto da Elaine Gaspareto e sobre viver eternamente ... ) rs seria tudo de bom!!
blog é bom porque fica tudo registradinho aqui e a gente pode vir a qualquer dia e desfolhar página por página rs
lindos dias Cacá , obrigada por me presentear com sua presença .
abraços

ValériaC disse...

Oi Cacá, vim te conhecer hoje.
Muito legal o texto, lendo tudo isso vemos que tivemos um infância muito privilegiada, pudemos ser livres, brincar na rua, subir em árvore, correr, porque nos dias de hoje, apesar das aparências, as crianças vivem muito mais presas, jogando video games, vendo tv, ficam na internet longas horas do dia e muitas vezes são sobracarregados de cursos e atividades para se ocuparem, menos poderem brincar e ter contato com a natureza como uma criança deveria poder.
Está faltando equilibrio, não é mesmo?
Boa tarde...beijos...voltarei, até porque gosto de tudo o que se refere a Minas uai...meu marido é mineiro rsrsr...eu já morei em Minas também, bons tempos...
Valéria

Cynthia disse...

Olá José, coloque estranho nisso. Se não socializar fica difícil criar seres normais. Abraço Cynthia.

Sueli Gallacci disse...

Ô meu amigo! Obrigada pela preocupação, pelo carinho e pelas palavras gentis...

Tá tudo bem, sim, eu só tô dando um tempo na vida virtual, pois estou com muito trabalho na vida real rsrs.

Mas estou sentindo muita falta de vcs, viu! SAUDADONA mesmo!
Para não fazer na correria, escolhi dar um tempo até colocar a vida em ordem, mas volto com força total!

Tenho só comentado as crônicas da Taís pq fiz uma espécie de pacto com ela, e antes que ela me acuse de ‘não cumpridora da palavra’, eu comento rsrs... É brincadeira, ela sempre me deixou livre para comentar ou não.

Grande abraço, fique com Deus!

Verdades e Mentiras disse...

OI, CACÁ, GOSTEI MUITO DO SEU BLOG. VOU TE SEGUIR. AGRADEÇO SUA PRESENÇA NO MEU, SOBRE O ´´BRUNO´´.
SUPER INTERESSANTE SEU TEXTO SOBRE AS CRIANÇAS. ABS. SANDRA

Renata Diniz disse...

Oportuno e ótimo tema. Ainda hoje ouvi: "você tem filha única? Quem tem um não tem nenhum". Para além de ter achado o comentário de mau gosto. Pensei. Vejo que alguns pais possuem os filhos ao invés de tê-los. E no vale tudo da posse o importante é ter quantidade de filhos, talvez para tirar e colocar a cadeira dos pais no sol. Por vezes, acho o ser humano muito estranho. Abraços, Cacá!

AFRICA EM POESIA disse...

cacá

Vim agradecer o teu mimo. o poema
é o meu grito de desigualdade. Eu sei que quem tem pouco consegue dividir muito mais que aquele que tem muito.
uma reflexão. não umas letras por outras letras.
um beijo e gosto muito de ti porque entendes a minha mensagem
Passa no meu blog...
beijos

Beth/Lilás disse...

Exatamente Cacá!
Na minha família atualmente as crianças já se foram, estamos à espera dos netos, mas os que eram crianças desde a década de 80 para cá,
tiveram muito pouca infância. Tudo muito centrado na tecnologia e pouca criatividade, brincadeiras como as que tivemos quase inexistentes e as crianças de hoje, dá pena de ver como já têm pequenas neuroses influenciadas pela vida atual.
De qualquer forma: Viva as crianças do nosso Brasil!
beijos cariocas

Cissa Romeu disse...

Cacá, tudo bem?
Menino, você é muito inteligente!:)
Adorei o texto, muito bom, muito bem articulado!
É bem isso, concordo com tudo, e o que mais se vê atualmente são as crianças-adultos, forçadas desde pequenas a serem competitivas, saberem inglês, ballet, judô e não sei o quê mais, mas com pouca companhia dos pais... é triste!

Beijos, amigo, ótimo dia das crianças para todos nós! rsrs :)

Aleatoriamente disse...

Olá meu lindo amigo.
Vim deixar um feliz dia das crianças para ti.

Que essa sua criança, nunca lembre de crescer.

Beijinho

Minéia Pacheco disse...

Olá,

Passando para visitar seu blog e agradecer pela visita e o comentário no meu.
Infelizmente as crianças hoje em dia não têm o direito de ser criança, desde muito cedo são colocadas para fazer várias atividades nos tempos livres e o essencial na vida delas (viver a infância) vai ficando de lado.
Triste tudo isso...

Um ótimo FERIADO para você!

Rô... disse...

oi Cacá,

um favor que faríamos para as crianças,
é não impedir que elas sejam e vivam como crianças na sua totalidade,
com todas as cores e sensações que só a infância nos permite...
sempre bom vir aqui!!!

beijinhos

Silvia C. Barbosa disse...

Por isso eu não abro mão de que meu filho seja criança. Adoro ver ele trocar as letras nas pronuncias. Admiro sua inteligencia espontanea e não projetada.
Acho muito triste pais que criam um modelo de filho e nem alcançam quem realmente essas crianças são...

Meus pais fizeram parte dessa geração que a infancia acabava cedo. Meu irmão e eu já somos da geração de mimados, talvez seja aquele lance de querer dar o que não pode ter, mas tudo que é demais, pode e faz mal. Graças a Deus que isso não fez de mim uma egoísta incapaz, mas em alguns pontos me atrapalhou mais que ajudou.

Beijos-falei-demais.

Tretswelt disse...

Oiii!Menino,so encontro artista aqui...gostei da sua escrita(como vc diz)...trem bom demais ter prestado atencao nas aulas nao e mesmo?hihi.Te achei atraves do mineirinho.Interessante e que amanha vou apresentar Petalozzi no meu curso aqui na Alemanha e seu texto me inspirou muito...P vc que gosta de cozinhar visita meu Blog kochwahnsinn.com.por favor.
Te dejo uma semana linda.Bju.Luciene.

Berzé disse...

Eta mundo cheio de histórias!Na outra encadernação vou ser mais criança ainda!
Abração, Cacá!
Berzé

Ma Ferreira disse...

Oi Caca...

Me senti uma serva..e nem estava na idade media..rs

Sou do campo. Naquela realidade era muito comum os filhos acompanharem os pais na lavoura.
Eu com seis nos ja acompanhava minha vo na lavoura de cafe, amendoim..
Depois o tempo passou... e com 14 anos ja entrei no mercado de trabalho.
E isso nao me trouxe trauma nenhum. Muito pelo contrario...

HJ tratamos nossos filhos adolescentes como criancas. Acabamos por retardar seu amadurecimento por conta muitas vezes de uma super protecao desnecessaria.

bjs

Adh2bs disse...

Então! Prezado Cacá, é mesmo triste ver que a infância está cada vez mais curta. Em boa parte por culpa dos pais, que tem esperado um comportamento "não conforme" das crianças. Por exemplo, quando permitem ou induzem que elas imitem esses ídolos de papel, tão exaltados pela mídia, ou forçam/permitem que as crianças se vistam, se enfeitem e ajam de forma tola, imitando os adultos. Pior é a educação e o respeito, cada vez mais em falta!
Grande abraço, ótimo dia das crianças pra você.
Adh

Pedrita disse...

ainda há o trabalho infantil. e um atualmente é bem camuflado, o de ser ator. horas e horas de gravações em detrimento da infância e dos estudos. beijos, pedrita

Cynthia disse...

Olá José, é sim. A casa 7 na astrologia é nossa sombra, porque é aquilo que procuramos que está dentro de nós, ou outro externamente nos representa. Obrigada por passar aqui, abraço CY.

AFRICA EM POESIA disse...

Cáca


E repartir sempre, é uma alegria.

saber partilhar é uma grande vitória

beijos

Amapola disse...

Boa tarde, querido amigo Cacá.

Aqui, aprende-se muito.
Obrigada.

(Os filhos chegam ao mundo numa satisfação dos pais, sendo planejados ou não. Dessa forma, tudo que se fizer, ainda parecerá pouco).

Feliz dia da criança.

Beijos.

pensandoemfamilia disse...

Sim Caca, muito estranho, hoje meu post refere-se ao ECA, é sugiro uma reflexão sobre este estatuto. Vc colocou muito bem a evolução sobre o tratamento da criança. Sabemos que por trás têm os interesses políticos e econômicos e por isso, mais uma vez, temos as crianças como mini adultos, sem liberdade.
bjs

Cissa Romeu disse...

Uai, Cacá! rsrs
Passei para te agradecer a presença e o comentário por lá, muito inteligente!
Grande abraço e ótimos dias! :)

Maria Emilia Xavier disse...

A... Cacá você nunca erra e eu adoro isso: sua coragem de dar "nome aos bois". Certíssima pesquisa e mais certa e linda sua análise do motivo porque deixaram as crianças fora do trabalho "escravo". Estranho, não amigo...TERRÍVEL. Criou-se o mito da juventude - você já falou sobre isso, não? - e todo mundo quer, então os Pais hoje, por mais liberdade pessoal ( não generalizo), colocam seus filhos em Creches e lá - não generalizo, mas quase...- não sei porque, as crianças são incentivadas à exaustão a se tornarem independentes o que desrespeita totalmente o ritmo de cada um,as diferenças individuais e cria-se adultos individualistas e infelizes, pois queimaram etapas importantíssimas do seu desenvolvimento.

LUCONI disse...

Meu amigo é bem estranho sim, você mostrou as mudanças no mundo infantil, e realmente se no passado as crianças praticamente não tinham infância, hoje em dia o que vemos é muito pode tudo, e uma certa inversão de valores, acredito mesmo que na nossa época de infância é onde as crianças mais aproveitavam e realmente viviam como crianças, apesar que a maioria aos 14 anos trabalhavam. Mas em compensação eu acredito que os valores não eram tão invertidos como hoje, é difícil meu amigo. `Peço desculpas pela demora, a doença de meu marido agravou e eu prefiro e preciso me dedicar mais a ele,aliás tenho pedido a todos que se puderem orem por ele,o caminho é longo árduo mas vamos vencer.

Jaime Guimarães disse...

É, Cacá, logo nas primeiras linhas do texto já reconheci Philippe Àries e sua (fundamental!) "História Social da Infância". E hoje ficamos abismados com os abusos cometidos contra os pequenos, mas na Idade Média isso era muito comum: se as crianças em um primeiro momento não serviam para o trabalho, que sirvam para a diversão. Crianças eram adultos em miniatura e até se compreender o que é a infância demorou um bocado - tivemos avanços no século XX sobretudo com Piaget e cia.


E hoje as crianças retornando, aos poucos, à condição de adultos em miniatura: desde a mais tenra idade já possuem agenda "de gente grande" - e a pressa ( e pressão!) para que cresçam apenas para o consumo é assustadora: sutiãs com bojo imitando seios de mulheres adultas vendidos para crianças de 6 anos!

Àries certamente tomaria um susto daqueles ao ver o mundo atual.

Abraço!

Web Statistics