domingo, 28 de março de 2010

ESPECIALIDADES

O meu avô primordial era o Adão, aquele mesmo do mal falado jardim do éden. E fez questão que minha família preservasse o seu nome no nosso sobrenome. Muita gente me diz, mas você é José Cláudio Adão, três nomes próprios? Ao que eu respondo que o José e o Cláudio foram resultados de um acordo possível depois de uma disputa ferrenha entre minha mãe e meu pai; e o Adão é herança genética (do gênesis). Mais sagrado que broa de fubá (pelo menos aqui em Minas Gerais). Assim, a linhagem dos Adão foi constituindo uma família não muito numerosa até chegar no meu avô mais recente, o Joaquim Adão, que vai ter um papel importante no meu desenvolvimento psicológico. E só isto, pois todas as outras contas foi meu pai quem pagou.

Menino quando é meio adiantado na escola, já ficam logo querendo que escolha o que vai querer ser depois de grande. E ele é quem me aconselhava nas minhas dificuldades pretéritas. Me via jogando bola e eu me queixando que nunca seria uma craque. Ele só olhava, caladão. Me via tocando violão e me queixando que não seria um grande músico, jamais. E ele não ajudava nem a cantar. Até que me viu cozinhar pela primeira vez e ao provar, não resistiu e lascou a sua sentença, por que dizia que os sábios só dizem pérolas, motivo pelo qual falam tão pouco. Me chamou a um canto e disse:

- Bem, gostoso não tá, não! Mesmo assim, acho melhor ir tentando. É melhor ser ruim em muitas coisas do que ser especialista em uma só. Veja o exemplo desse tal de Freud, (falava do jeitinho que se escreve; ele não pronunciava Fróid). - Quis se especializar na cabeça dos homens e só arranjou confusão. Dizem que sua mulher o despachou de tanto que ele refugava as obrigações do lar. Só pensava naquela massa disforme que compõe a cabeça da maioria dos mortais. E ainda por cima recomendava procurar o eu da gente nos outros. Você, meu neto, é filho de operário, tem que procurar seu eu é na secretaria de segurança e no ministério do trabalho. Assim que formar, já tire logo a identidade e a carteira profissional e vá trabalhar. Isso é que faz um eu de valor.

Eu sei é que de lá pra cá, tentei me especializar em alguma coisa. “Focar”, usando um termo mais focado na moda. Ora, lá na minha terra já teve um sujeito famoso, o Carlos Drummond. Ele, que depois de ser conhecido por demais com a poesia, ficava deprimido de vez em quando com essas coisas, dizendo que “teve gado, teve ouro e teve fazenda e depois virou “apenas” um funcionário público.” Por que eu não hei de achar uma especialidade?

6 comentários:

Elaine Barnes disse...

ahahahahhaha Muito bom amigo! Que delícia!kkkkkkk Adorei!
Na vida feliz daquele que tem um dom e vive dele. É muito mais fácil saber o que não queremos do que ao contrário.Eu as vezes me pego querendo uma carteira assinada,contar com aquele dimdim,depois me pego pensando na liberdade que não tem preço,porém fico sempre dura,sei lá viu...Vamos seguindo os sinais e a alma,quando não nos fazemos de surdos dá certo.Vamos vender aparelhos? ou comprar? sei lá rs...Montão de bjs e abraços

ONG ALERTA disse...

Quando a gente descobre o dom e pode fazer o que gosta, tudo de bom , paz.

Geyme disse...

Que delícia de texto!!! Tres nomes e um avo pra lá de especial!!!
"- Bem, gostoso não tá, não! Mesmo assim, acho melhor ir tentando. É melhor ser ruim em muitas coisas do que ser especialista em uma só." Amei!!!!! É de imensa sagacidade olhar para "trás" e lembrar com humor momentos que muitas vezes na vida das pessoas, passariam despercebidos!!!!! Voce nao deixa passar nada!!!! Quando quiser dar umas boas risadas, apareco aqui!! Beijo grande!!!!!

Adh2bs disse...

Prezado Cacá!
És conterrâneo de Drummond? Então os ventos que sopram por aí fazem um bem danado pras letras dos viventes, que texto delicioso, amigo! Um salve para o seu sábio avô e um grande abraço ao escritor que, se cozinha como escreve é um "chef top gourmet"!
Grande abç, ótima semana!
Adh

Celina disse...

oi amigo cacá um inicio de semana bem legal para vc.Uma feliz pascoa, e meus agadecimentos pela visita e comentario. aproveitei li o seu post achei bem interessante, esta questão do nome achei curioso. um abraço da amiga celina.

Miriam de Sales Oliveira disse...

Seu avô era um Adão sábio;ao contrário da Eva,n/confiava nem alimentava serpentes.É melhor a gente ser bom numa coisa só do q/bambear em muitas.
Ele esqueceu q/vc também é muito bão escritor e melhor amigo.bjs

Web Statistics