quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

ASSUNTO DE SERVIÇO

-Olha aqui, pessoal, eu bati meu cartão às 16 horas. Vamos mudar de assunto? O Tonhão falava sempre assim, espichando o braço e mostrando o relógio quando o assunto nas rodas de bar, na beira da quadra, ou até mesmo na fila do banco era sobre o dia passado no trabalho. Falar mal dos chefes até que podia, mas diretamente sobre o ofício, era para ele insuportável.

O Zé Geraldo não fazia outra coisa nas suas horas de folga. Era sobre uma pendência deixada, era sobre algo que deu errado ou algo que deu certo. Aliás, ele quase nunca ia direto para casa. Todos diziam que era para curtir um pouco mais o uniforme da empresa que ele vestia com tanto gosto. Dava uma desfilada pelo centro da cidade até quase anoitecer.

O trabalho ocupa cerca de um terço de nosso tempo de vida. Então é natural que depois de uma jornada sejam feitos comentários acerca do dia que passou. O que torna a conversa insuportável é não mudar de assunto nunca. Quando enchia o saco, a gente costumava dizer: ô fulano, você já saiu da empresa, agora deixe que ela saia de você. Amanhã tem muito “pano pra manga” lá no serviço, seu chato!

2 comentários:

Chica disse...

E não tem coisa mais chata do que falar e falar de serviço na hora da diversão! abração,chica

Adh2bs disse...

Rapaz,
isso me lembrou que hoje mesmo, lá no trampo, passamos o tempo todo falando do carnaval, da praia, do que cada um faria com a grana da loteria se ganhasse o bolão... De serviço, mesmo, acho que só na hora do "happy hour"...
:-)
Gde abç,
Adh

Web Statistics