domingo, 17 de janeiro de 2010

A ÁRVORE


Assunto demasiadamente chato esse de ecologia quando se insiste em coisas que a gente faz de conta que não interessa ou fica esperando acontecer as coisas ruins para depois tomar atitudes, não é mesmo? Vejam no que deu mais uma tentativa humana de reequilibar o planeta terra lá em Copenhagen. Nada de esperanças quanto ao fim dos ataques à natureza pelo predador-mor.


O lema da realização humana de ter filhos, escrever um livro e plantar uma árvore bem que poderia ser colocado em prática no quesito árvore. De tanto eu falar mal da relação das pessoas com os cães, daqui a pouco vão dizer que sou desumano. Quer dizer, “descanino”. Não é isso. Tem que se dar conta de que da árvore provém o sustento da gente. Seja com frutos e remédios, seja com o ar que ainda respiramos puro em alguns lugares. Então, por que também elas não merecem tratamento digno como o que está sendo dado aos cachorros? Claro que não falo aqui de levar uma árvore para passear. A não ser que seja ainda uma mudinha. Mas aí, leve e plante onde for o seu destino final. Ele não agüentaria muitas idas e vindas. Também não precisa dar banho como nos cães. Havendo muitas e bem cuidadas elas provocam o saudável equilíbrio das estações. Assim, choverá regularmente e serão lavadas.


Estava olhando umas plantas aqui em casa e chego à conclusão que o silêncio dos inocentes acaba pagando o pato, ou melhor, acabando com o mato. Trato-as mais ou menos bem. Não digo que não seja relapso. Às vezes, as pragas crescem tanto em volta, ameaçadoras, que arranco mais de vergonha do que vai dizer o vizinho do que propriamente para proteger suas raízes. As ervas daninhas sugam para si toda a substância protéica das árvores que produzem flores e frutos. Parecem até com certos humanos que nos rodeiam. Estranha essa natureza! Estranha e mestra. Tão estranha ultimamente que parece um ser uma intrusa no meio de nós.


No final, imagino que esta crônica tenha lhe suscitado pensamentos. Filhos, você resolve se terá. Há muita gente por ai que tem mais do que o necessário para a manutenção da espécie humana e isso é muito bom! Então não precisa se preocupar tanto caso não dê para tê-los. Quanto ao livro, já pensou que maravilha que seria se todos escrevessem ao menos um? Nem que fosse sobre a aventura de ter ou não um filho ou da árvore que foi plantada. Pode ser também sobre uma reviravolta na história, assim: “como passamos a dar tanta importância às árvores como damos aos cães.” Ou então pode se manifestar me xingando de babaca e otário de falar asneiras. Não tem problema.

4 comentários:

Thomaz Ribeiro disse...

Não sei quanto aos colegas que seguem este blogue, mas no meu caso, não tenho motivos para xingá-lo, apenas para dizer coisas boas. A sua reflexão é irônica, ácida e engraçada, como tudo aquilo que você escreve. Por trás de sua brincadeira, tem muita coisa séria: o mundo está descontrolado e somos os únicos responsáveis pelo seu desequilíbrio.
Abraços.

Mulher na Polícia disse...

Cacá meu querido,

Cada dia fico mais fã desse blog. Não tem com o quê se preocupar no que tange às críticas, mas quanto ao meio ambiente "A casa tá caindo" mesmo.

Abração!

Malucas de BR (*.*) disse...

Assista ao Vídeo Novo, 1° Programa das Malucas - Assunto Reality Shows

http://www.youtube.com/watch?v=SrsqlINiGOg

Agradecemos Pela Colaboração:)

Malucas de BR (*.*) disse...

Cacá, só temos a agradecer ao seu apoio. Que bom que gostou:)

Em relação ao post...

O problema maior é que o ser-humano na sua grande maioria não é consciente do que faz. Sobre Copenhagen desastre total, e individualidade dos países, sendo que as consequências não serão individuais. Só quero ver quando isso aqui explodir.... mas nós podemos fazer a nossa parte e assim dormirmos com a mente tranquila que fizemos o que era certo de se fazer.

Abraços Grandes

Web Statistics