segunda-feira, 21 de setembro de 2009

ANTA CIBERNÉTICA


Esse título me chamou a atenção ao ler umas desculpas de uma blogueira. Chamou a atenção é eufemismo para o puxão de orelhas que senti A gente hoje vai comprar um computador e tudo o que o vendedor sabe dizer é tantos giga, tantos RAM, wireless... Ou seja, todos os recursos que o equipamento possui, mas ninguém sabe explicar como usar. E os manuais vêm com uma linguagem que só quem é especialista no assunto entende. E olha que já fiz cursos de DOS, Windows, Word, Excel e o escambau. Mas adiantou pouco.

É como aprender a dirigir num fusquinha e comprar um carro ultra moderno. A gente não esquece como se dirige, não esquece o controle de embreagem, não esquece as regras básicas do trânsito. Depois vem o carro novo, como retrovisor do lado direito, cambio automático, computador que controla injeção de combustível... Até aprender, é inevitável dar umas navalhadas no trânsito. Curso de informática a gente tem que fazer toda semana. Ou então deveria algum nerd ter a brilhante idéia de colocar um alerta na net nos programas mais usados universalmente para nos ensinar a manusear todas as novidades que aparecem. E como aparecem!

O bom da tecnologia é quando a gente a controla. Quando é ela que controla a gente, dá um medão danado. Lembro a primeira vez que dirigi um carro hidramático do meu patrão. Não tinha o pedal da embreagem. Cada vez que eu sentia a necessidade de passar uma marcha (desnecessária), pisava naquele pedalzão que era o freio e dava uma brecada no meio da rua. Não levei uma batida na traseira por pura sorte. E nem ia ter aquela desculpa de que quem bate na traseira está errado.

Ultimamente tenho me sentido assim com o computador. Eu não consigo dominá-lo. Me lembro do primeiro curso sobre windows que fiz e o rapaz começava as aulas assim: - Gente, o computador é uma máquina burra. Ele só faz aquilo que você lhe mandar. Quem é inteligente somos nós. Que arrogância do cara! Acho que ele se enganou redondamente. Pelo menos no meu caso!

Fui convidado para participar de alguns sites de literatura em que determinados procedimentos (que chamam de básicos) têm que ser formalmente cumpridos. Me enrolei todo, os textos não saíram publicados. Mandei e-mail achando que estava sendo censurado ou tinha desagradado com textos de baixíssima qualidade ( se bem que pode ser isso!).

As aulas de datilografia eram explicadinhas, gente! Eu conhecia um teclado da máquina de escrever como ninguém. Ai, que Saudades da Dona Ruth.1

------------------------------------------------------------------------------------------------

1 - D. Ruth foi minha professora de datilografia.

2 comentários:

Aliz - jornALIZta disse...

Cacá, socorro!
Antes de mais nada, quero dizer que estou com saudade de você. Por que não tem aparecido no Boteco?

Cacá, você tem alguma informação sobre a história do vidro no Brasil? Na verdade, é mais sobre a história do copo de vidro no Brasil. Estou escrevendo sobre a história do copo americano, mas tem pouca coisa disponível na net. Se você tiver algum material, pode dividir comigo, por favor?

Beijinhos

Ps: o seu blog está cada vez melhor! Culpa do seu talento para escrever: invejável!

Almir Escatambulo disse...

Caros colegas blogueiros peço que vocês publiquem este texto é um alerta e é preciso conscientizar a população sobre este problema.... Segue o texto

Alerta: Girias preconceituosas

Estou achando bastante preocupante a onda nova da juventude hoje. É uma gíria ou girias novas que eles andam reproduzindo nas escolas, cybers, Shopings enfim em todos os locais Públicos trata-se de uma gíria ou girias preconceituosa(s), na qual quando um ¨coleguinha¨comete um erro o outro diz ¨Poxa cara você é deficiente?¨ ou ¨você tem Dawn¨? Não sei quem foi o imbecil que inventou esse tipo de gíria, mais creio que é preocupante. Afinal as pessoas com deficiência sofrem diversos preconceitos em todas as esferas possíveis e ainda me inventam uma destas? Peço por gentileza aos pais que aconselhem seus filhos a não reproduzirem esse tipo de ¨gíria besta¨ e também aos jovens para que sejam inteligentes e façam o mesmo, pois afinal ninguém sabe o dia de amanhã e poderá acontecer de você ter algum filho com deficiência, ai sim você poderá sentir na pele o drama. Peço a todos os blogueiros que me lêem que divulguem este texto, para conscientizar a sociedade Londrinense. Nós Pessoas com deficiência ficamos muito gratos

Web Statistics