sexta-feira, 16 de maio de 2008

DENÚNCIA

Procura-se um cão da raça ruim que violentou a Flor hoje (15/05), aqui dentro de sua própria casa. A cachorra só tem dois anos e meio e não queria se sujeitar ao ato violento praticado pelo cão invasor. É invasor sim; ele conseguiu arrebentar a tela de proteção colocada no portão exatamente para evitar aproveitadores de cio alheio. Acho que a cadela tinha pelo menos a chance de escolher com quem ter a sua primeira relação e todas as demais. Sequer teve o direito de exigir do dito cujo, o uso de preservativo, já que, pelas características, ele deve ser não um cão, mas um galinha travestido com rabo, focinho e orelhas grandes. Solicito às autoridades competentes enquadrar o mesmo na categoria de delito doloso, praticado com o fim do prazer unilateral, sem recurso de defesa para a vítima.

Meu depoimento:

- Chego todos os dias por volta de 7 h da manhã da caminhada e a Flor sempre está me esperando no portão. Como a mesma não deu sinal, resolvi investigar por minha própria conta e deparei-me com ela enroscada (literalmente) com o cão tarado naquela posição em que parece nenhum dos dois ter gostado da experiência sexual, uma vez que ficam de costas um para o outro, apesar de agarrados pelos membros. Estavam sob o pé de manga. Diria até que seria um cenário romântico, caso houvesse o consentimento da vítima. E isso não me pareceu, pois ao ouvir meus passos a mesma desandou num choro sentido como que estivesse pedindo socorro (ou foi de falsidade só para me despistar? ou ainda para não ser repreendida?). Não sei. Consegui libertá-la desse cão violador de cadelas indefesas e o meliante ainda teve o desplante de querer me agredir, mostrando-me os dentes e rosnando quando eu tentava soltá-los daquele novelo que mais parecia um bicho de duas cabeças.

Minha queixa agora é a necessidade urgente de encontrar o vadio para fazê-lo assumir a paternidade canina dos inúmeros filhotes que deve ter deixado a Flor esperando. Nem precisará exame de DNA, pois sou capaz de reconhecê-lo a qualquer distância.

3 comentários:

Cecília disse...

Ô, gente, tadinha da Flor! Quando prenderem esse cão espinhento, não se esqueça de avisar, na cadeia, que ele é estuprador. Como é de prache, todos os detentos o transformarão numa cadelinha e você vai se sentir vingado! Hahaha

Beijos!

Anônimo disse...

Qualquer semelhança com o bicho-homem deveria ser objeto de investigação científica. Vai que uma parte do "homo-sapiens" descende do "cachorro-erectus", e a teoria da evolução se completará?

paulo disse...

Toda flor um dia tem que desabrochar, algumas a propria natureza se enncarrega,outras,dependem de ajuda externa.Bem vinda flor ao time das "defloradas".Tilapia

Web Statistics