segunda-feira, 4 de junho de 2012

ENCORPADO COM RECHEIO MOLE

O título dessa crônica, iniciada há mais de um mês, era O Gordo. Eu adiei a publicação na expectativa de emagrecer e me poupar de assumir certas fraquezas. Mas não foi esse o motivo da mudança de título. É que apareceu uma reportagem daquelas extremas desse eufemismo para deixar tudo como está desde que falemos de forma diferente, chamado “politicamente correto”. Os parlamentares ingleses simplesmente estão propondo a eliminação do vocabulário através de lei, o uso das palavras gordo e obeso. É mole? É, mas pesado demais!
Incômodo assunto esse de obesidade. Eu não me acho gordo (quando estou sozinho é bom que se diga). Olhando no espelho daqui de casa só consigo observar algum sinal disso quando abaixo o queixo em direção ao peito e vejo formar-se uma papada no meu pescoço. Dizem os especialistas que isso é sintoma de sobrepeso. Há duas balanças públicas aqui perto de casa onde gosto de me pesar de vez em quando e sempre há 2 kg de diferença de uma para outra. Ponto para mim, que posso desacreditar ambas. Agora, quando estou em um lugar de muitas gente e alguns espelhos, aí a coisa fica cheia feia pro meu lado. No elevador de um hospital há pouco tempo, (daqueles que cabem 15 pessoas de uma vez e tem um espelhão  ao fundo, deu para notar que estou mesmo cheio). Mas como tinha mais gente reclamando, acusei o espelho de  deformador de corpos e saíram todos rindo satisfeitos. A única constatação que ainda não consegui transferir culpa foi para a chuva. Eu saí numa chuva normal, sem ventania e notei que ao chegar à padaria meus ombros estavam molhados e aí pude constatar que o meu velho guarda chuva já não consegue me cobrir toda a carcaça. E o teste mais eficiente do que qualquer balança que já fiz e nunca deixo de observar nos outros homens é o seguinte: ao calçar uma meia, se a perna se dobra no sentido longitudinal em direção ao queixo, sinal de que a barriga diminuiu e o peso, idem. Já quem dobra a perna na transversal para calçar  é gordo. Batata!


Que saber sobre o proposta dos políticos ingleses? leia aqui

39 comentários:

Beth/Lilás disse...

Ai, vixi maria! Eu me senti agora goooorda. É que também quando abaixo a cabeça formaa tal papada. hehe
Mas, sabe eu não tô ligando tanto como antes, vou fazendo daqui e dali, ginastiquinha, caminhada leve, mas não corro tanto atrás do prejuízo.
Ouvi dias atrás que o brasileiro está mais gordo de uma maneira geral, principalmente os paulistas. Mas, fique tranquilo, ainda não chegou aí nas Minas Gerais, pode continuar comendo seu aipimzinho frito e outras delícias mais. hehe
abraço carioca

Pandora disse...

kkkkkkkk Ri alto!!!! Só a graça!!! Pense em uma língua ferina essa a sua meu amigo, é impossível ler vc e não lembrar de outro homem mal trolador de si e do outro, o Machado de Assis, toda vez que encontro o Machado nos jornais do século XIX alfinetando me lembro de você e vice-versa!!!

Eu sou gorda, minha mãe me chama de gorda romântica e acho que em certo grau sou feliz assim, se não moderar muito nas jujubas acho que consigo manter minha barriguinha pouco sexy... E me recuso lindamente de me precionar no sentido de alcançar um padrão de beleza que é vendido como o supra sumo da felicidade, mas que não chega nem a ser o sumo.

Marcio JR disse...

Cacá, cá entre nós, e que nenhum inglês nos ouça. Eliminar palavras do dicionário fará a população inglesa emagrecer? Mudar o nome da gelatina, fará ela virar pudim? Ou, melhor, se eu olhar para um abacaxi e falar sorvete, ele deixa de ter gosto de abacaxi? Ou tem algum político brasileiro desocupado (que novidade) fazendo bico no parlamento inglês?

Meu queixo caiu no joelho agora. Pois é, enquanto você reclama do sobrepeso, eu tenho esse problema, perco peso por qualquer coisa, e normalmente estou abaixo do recomendado. Mas não será mudando ou eliminando palavras que darei cabo disso.

Já quanto suas táticas para detectar o problema... hehe, dei risada aqui, principalmente no tocante ao guarda-chuva. Alguns nem constatam no ombro, e sim na barriga, que vira cachoeira.

Pois é, meu amigo. O principal de tudo, você já fez. Constatou o problema e está ciente dele. Agora, só cabe a você definir as ações e se as seguirá ou não. Pior é que falar isso para um cozinheiro... ihhh, sei não. hehe.

Cacá, meu irmão. Ótima semana pra ti e um grande abraço (manda as medidas para que eu possa adaptar o abraço aqui... rsrs.).

Marcio

✿ chica disse...

rssssssss...Essa tua observação final matou a pau!! Sensacional e esse danado do espelho que fica mostrando... Muito legal a crônica encorpadinha,rsrs abração,chica, linda semana!

Rô... disse...

oi meu amigo,

encorpado ou não,
você continua escrevendo como nunca,
ri muito aqui sozinha,
e até acho um certo charme esses meus quilinhos a mais...

beijinhos

Inaie disse...

tambem estou gorducha, mas há muito desisti das meias. Não quero daber dessas provinhas sem graça aqui na minha vida nao...

ValériaC disse...

Rsrsrsr ah meu bom amigo, o jeito é a gente levar no bom humor, não é mesmo?
Com ou sem uns quilinhos a mais, pode ter certeza que é adorável te ler...beijos e feliz semana amigo

Valéria

*gostei muito do comentário do seu amigo Marcio JR, ele tem razão no que diz, concordo com ele

Celina disse...

AMIGO VC É DEMAIS, NÃO É A TOA QUANDO ESTOU FICANDO TRISTE OU PREOCUPADA, LEIO UM DOS TEUS LIVROS PRINCIPALMENTE O ÚLTIMO E PRONTO , VOLTA O MEU BOM HUMOR NA HORA ,QUE É O MEU NORMAL. A MINHA FAMILIA TEM MUITOS GORDINHOS, MUITOS JA FIZERAM A CIRURGIA BARIÁTRICA 'REDUÇAÕ DO ESTOMAGO' VIVEM SEMPRE EM VOLTA COM A BALANÇA, ISTO TUDO É CULPA DA ALIMENRAÇÃO ERRADA, CACÁ ESTOU BEM , UM ABRAÇO CELINA.

Casal 20 disse...

rsrsrss que delícia hein Cacá! Voltaste com tudo! Maravilha de ler, ri demais! E, claro, fiz o teste: ainda dobro a perna no sentido longitudinal rsrsrs ufa!

Abraços sempre afetuosos.

Fábio.

Célia Rangel disse...

Bem, Cacá... não faço o teste da perna e espelho (?) viro as costas para o mesmo... Quero ser saudável e feliz! Aparências, se gorda ou magra... to dispensandooooo...
Abraço, Célia.

Tais Luso disse...

rsrsr, Cacá, o problema não está tanto em nós e sim na comparação com os outros, aquelas pessoas magérrimos que nos empurram goela abaixo como exemplo de elegância! E o engraçado é que ninguém fala naquele horror. nas coitadas das modelos com cara de esfomeadas!Preste atenção quando pisam na passarela,olhe para seus rostos! Será que não é melhor um gordinho feliz? Não estou falando em obesidade mórbida! Estou falando em uns quilinhos a mais...
Você é demais, rsrs
Bjs
Tais luso

Aleatoriamente disse...

Risos...
Ai Cacá, o que dizer? Heheh...
Meu pai e mãe são (fofinhos) eu digo.Mas acho-os tão bonitinhos.Não fosse pela a saúde eu não pedia para controlar o apetite.

Antigamente os homens gostavam de mulheres, que tivessem onde pegar hehehe.
Hoje parece que a correria por perder peso é geral né?
Mas se fosse naquele tempo, coitadinha de mim hehehe.

Sabe? Nessa parte estou brincando, nunca me importei com isso.
Mas tua crônica está maravilhosa. Pelo fato de que você descreveu na primeira pessoa teu sentir também. Você é maravilhoso meu querido.

Beijão

Marcelo Pirajá Sguassábia disse...

Pneuzinhos e seus dilemas. Deixe estar, meu caro Cacá, Você não está sozinho! Parabéns pelo ótimo texto.

Luciene disse...

Seu texto muito bem feito nos diverte. Lembro que na minha infância e na adolescência não se ouvia falar a palavra obesidade. Quem alguém era gordo, geralmente se dizia: "Fulano é forte". Se alguém ficasse um pouco acima do peso: "Sicrano está mais forte". Não era comum se falar em obesidade. Li num comentário em algum site que alguém dizia que antes as TVs eram gordas e nós éramos magros e agora é o contrário. Hoje é o mundo em três dimensões: anorexia, obesidade e silicone. Os que nela não se encaixam são estranhos.

Abraços.

Valéria disse...

OI Cacá!
rsss
Deste mal muitas pessoas normais sofrem.rsss
O preocupante é quando afeta a saúde, mas se tudo vai bem porque seguir o rigor da estética da magreza. Este calçar de meia me deixou de orelha em pé.rsss
Abração!

Helena Frenzel disse...

E eu faço minhas as palavras do Asterix (mais ou menos): "Gordo não, um pouco grande para a minha estatura" e assim vou vivendo porque, como uma tia gosta de dizer: "Nos cemitérios não há gordos!".

Leninha disse...

Oi Cacá!!!

Ri muito ao ler a sua crônica!Você tem este dom e a alegria que te acompanha nos faz um enorme bem.
Quanto aos quilinhos a mais,também padeço deste mal(aos olhos alheios),e sei que deveria me exercitar mais,por ser mais saudável e não apenas por questões de estética.
Meu filho,seu xará,nào engorda de maneira alguma,mas não é proposital,faz parte da natureza dele.Já o mais novo,é bem rechonchudinho(vc pode ver pelas fotos lá no Tudo a ver).

Mas,gordos ou magros,esbeltos ou rechonchudos,o que realmente importa é o "invisível aos olhos",não é mesmo?

Bjsssss,
Leninha

Amapola disse...

Boa noite, querido amigo Cacá.

Acho que a papada ainda é o de menos.
Mas a dificuldade para pegar nos pés...

Ainda bem que regime só é difícil no começo. Quando emagrecemos os primeiros cinco quilos, o incentivo toma as rédeas.

(Adorei o seu comentário).

Tenha uma linda semana de paz e alegrias.

Beijos.

Cynthia (Astroterapia Junguiana) disse...

Esse assunto de peso é complicado, estamos sendo bombardeados pela mídia o tempo todo. Eu tb fiquei triste com o fim da série House, obrigada pela visita. Cynthia

Yasmine Lemos disse...

kkkkkkkkkk eu também culpo os espelhos,sempre muito "cheios" .Ótima crônica!!!
bjs

Celina disse...

Oi cacá bom dia amigo , aquela postagem com as letras miúdas foi feta pela minha filha, por ser longa ela usou aquela letra.Dentro de um mes o especialista vai ver o resultado da bem-dita injeção esta é mais forte que as outras, para completar os óculos de perto, não estáo bons, ele quis inovar e não deu certo os de longe estão legais, E vc como está, espero que estejas bem, o bom humor é um santo remedio, tanto para quem o faz como para os outros.E um prazer conversar com vc, um abraço fraterno, Celina

M.Cecilia Flor. disse...

Lindo Dia Cacá-Mas esta vida é gozada mesmo,quem tá magro quer engordar,quem está cheinho quer afinar.Para mim o que importa é saúde,cada um estar bem com seus exames.rrsrsr.Sucesso.Bjus\Flor*Grata pelo carinho em Vassourinha de Capim.

Anne Lieri disse...

Ai Cacá,genial a sua cronica!É bom poder tratar com bom humor aqueles pesinhos a mais que temos e que tanto nos incomodam!Ri muito com vc agora!bjs e boa semana!

Leninha disse...

Amigo Cacá,

Vim agradecer a visita e concordar com seu ponto de vista,a favor da natureza e contra os destruidores de nossa flora e fauna.Uma revolução se faz necessária afim de preservarmos o que nos resta,para que nossos filhos e netos usufruam desta beleza que para nós,sempre foi natural.A exploração abusiva tem que ser coibida,os interesses capitalistas tem que ser contidos.

Bjsssss,amigo,e uma bela noite para você,
leninha

Calu disse...

Ai minha nossa,vou parar de olhar-me muito de perto, vai que eu descubro o que anda não reconheci,rsrsrsrsss...
Minha consciência está leve(+/-), espero que com o pilates e as caminhadas "ela" se iguale para todo o corpo.Seria legal, né Cacá?
Adorei a crônica-confessional.
Bjos,
Calu

Vera Lúcia disse...

Olá Cacá,

Esta medida me parece um tanto preconceituosa e descabida.
É claro que chamar uma pessoa de gorda é quase um xingamento e mexe com a auto-estima dela, mas gordo é gordo e ele sabe disso. Usar o termo gordo, embora indelicado, serve como motivação para os "encorpados com recheio mole" se cuidarem melhor.

Achei sua crônica hilária. Creio que você está exagerando. Digamos que você está apenas um pouquinho fora do peso. Os espelhos é que não estão sendo justos com você (rsrsrs).

Grande abraço.

pensandoemfamilia disse...

Caca, fazer piada de si mesmo é saudável, mas a questão do pesinho a mais é o cilindro da barriga, disto vc não falou, rs,rs,
bjs

Toninhobira disse...

Muito boa esta cronica presa ao politicamente correto.assim as pessoas acometidas de excesso de fofuras não ficam chateadas.O humor está em alta assim como a luta pela redução do peso.Mas o espelho é amigo dileto Zé. Sua teoria é perfeita sobre o calçar as meias.
Um abração.

MARILENE disse...

kkkkkkkkkkkkkkkk Só rindo, e muito!
Mas não se preocupe com o guarda-chuva porque ainda não encontrei um que protegesse, realmente. E sou magra. Esses espelhos são por demais maldosos. Mostram qualquer gordurinha. E delas também não escapo, infelizmente.

Bjs.

Adh2bs disse...

Prezado amigo,
Estou vestindo meia com a perna na horizontal... Simplesmente deliciosa a sua crônica, ainda bem que não é comestível!
Grande abraço,
Adh

Renata Diniz disse...

Oi Cacá! Ainda bem que você voltou. Pois, suas crônicas não podem faltar por aqui. E voltou com o mesmo humor perspicaz. Genial. Sabe que contra a gordura localizada está em alta um tratamento eficiente tanto quanto dolorido. Eu encarei o desafio. Chama-se endermoterapia vibratória. Estou na 5 sessão de 10. E ainda hoje saio de lá como quem foi atropelada por um caminhão. Abraço!

Cecília Romeu disse...

Uai, Cacá!
hahaha!!!!
Menino...
MUITO BOA TUA CRÔNICA!
Aliás, sensacional, e cheia de recheio! :)
Adorei, porque você pegou coisas do cotidiano e "encorporou" ao texto, o que deu mais, "massa" digamos, assim, e o tornou mais "doce"! rsrs

Abração, Cacá, sempre bom vir por aqui. Vou colocar seu blog lá no blog roll, sou um tanto distraída e te peço desculpas que ainda não tinha feito isso.

Mary disse...

Gostei do post, rsrs
Tenho tudo que disse, e ao calçar os sapatos,( acabei de passar pelo teste), minha nutróloga que não me leia, rs
Bjs

Nice Bacchini disse...

Rsrsrs...Que bom que vc voltou Cacá. obrigada pelos comentários e sua presença no meu blog.. quanto a Crônica, ficou ótima, com bom humor.. amei! Bom Feriado.. bjss

André disse...

Tem razão, meu amigo José Cláudio, à força de forçar o chamado "politicamente correto", a emenda pode sair pior que o soneto!

Na verdade, com esse tipo de proposição (algumas absurdas, às vezes), o que certos países do hemisfério norte buscam é, de algum modo, a manutenção da marca colonizadora. O dizer "fomos nós quem primeiro adotamos e depois fomos copiados". E pior é quando vendem a marca.

Outro dia, procurando o nome científico de uma conhecida aranha do Brasil (isso porque as espécies são originárias do nosso país), vi que essas portam os nomes dos "descobridores" ingleses! uma vergonha, eu acho.

Depois que a Inglaterra se desmontou como império, os políticos inglêses não tem mais o que fazer, além de tomar cerveja e falar mal do resto do mundo. Para se fazerem presentes, inventam casamentos reais (que não interessam que a eles mesmo), fenômenos de musica pop, e modismos como esse que você citou aqui nesta sua bela crônica.

Claro, é bem mais saudável para o corpo e seus movimentos, mantê-lo, digamos, mais flexível e menos pesado. Isso é comprovado. Mas nada que uma boa alimentação e atividades físicas naturais não consigam fazer. O resto é modismo. Prá inglês ver.

Obrigado pelos generosos comentários que sempre me deixa às minhas letrinhas, meu amigo.

Um forte abraço.

Vivian disse...

Ah!Cacá!!rsrs

Uma crônica maravilhosa de ler!!!
Mas meu problema é a falta de peso...com esta correria a mais no meu dia a dia(filhos,marido,casa faculdade...)emagreci bastante!Se não cuido me sumo!rsrsrsr
Beijos!!Ótima semana!

Celêdian Assis disse...

Pois é meu amigo, eu cheguei assim de mansinho e pelo título já imaginei que o assunto era prato cheio para mim...srsr... fui me surpreendendo a cada linha, como o humor bem traçado e acabei dando boas gargalhadas. Li também alguns comentários e pensei: o jeito aqui é ficar quietinha e não falar nada pesado demais, senão correria o risco de acabar frita numa panela...rsrs...melhor mesmo é encher a pança de boa leitura e desfrutar da delícia que é ler uma crônica deste gabarito e empanturrar de prazer. Adorei, Zé.
Um beijo, meu querido amigo.

Néia Lambert disse...

Sensacional! De agora em diante será difícil não observar como as pessoas calçam os sapatos, rsrs.

Um abraço.

Web Statistics