domingo, 17 de junho de 2012

ELAS NÃO VIRÃO PARA O NATAL


Eu não sei o que será da cadeia alimentar daqui a uns anos. Suspeito que se tornará um caso de cadeia, sem trocadilhos, por favor. Ficar sem um bichinho de estimação hoje em dia está virando coisa de desalmado. Quem não gosta de cães e gatos está dando um jeitinho e se apegando a hamsters, coelhos, cobras e lagartos. E até porquinhos estão entrando na lista dos animais domésticos, desde que os desacostumemos de chafurdar na lama, afinal não dá para entrar dentro de casa respingando aquele sujeirada toda. Isso não é tanto problema nas cidades, cuja lama asfáltica, entulhada de lixo das enchentes não é do agrado dos suínos. Se bem que para quem quiser um mas mora em apartamento terá o consolo dele estar sempre limpinho; eu já vi vários casos no Animal Planet.

Arquivo pessoal
Soube através de uma pesquisa do International Porcaria Institute que os suínos são até cinco vezes mais inteligentes do que os cães. Segundo explicaram, por exemplo, você adquire um porquinho,  batiza-o e da segunda vez que lhe chama pelo nome, ele já sabe que trata-se dele mesmo. O mesmo não aconteceria com os cachorros, que demoram mais a aprender o seu nome de batismo. Eu quase pude comprovar isso outro dia. Minha sobrinha arranjou um filhote de labrador e colocou-lhe o singelo nome de James Boris. Não sei se foi por causa do nome duplo e as pessoas a cada hora o chamavam apenas por um deles ou se é mesmo a confirmação da pesquisa dos suinólogos. O fato é que o bichinho não atendia  a James nem a Boris, a não ser se o chamado viesse acompanhado de alguma coisa para ele comer.
Arquivo pessoal

No sítio as meninas foram fotografar Genoveva, a porca que meu irmão está criando para o natal e quando elas souberam disso, já avisaram que não vão de jeito nenhum. (elas gostam de carne de porco mas acredito que não sabiam que tinha-se que matar o bicho para comer , sei lá). Acho que se ela fosse menorzinha, uma delas iria querer levar para casa como bicho de estimação.

Eu sou chegado num lombo e num pernil, mas cá pra nós: não é uma gracinha?

52 comentários:

otilia cristina disse...

OI CACÁ
Essas coisas acontecem viu??
nem eu iria srsr
uma certa vez criamos uma cabritinha que a ma~e rejeitou no sitio que tinhamos no MT .. levei pra casa na cidade tinha um grande gramado e eu dava mamadeira pra ela.. ela passeava de carro ..pequeninha mas cresceu tivemos que levar para sitio de volta quando ela enxergava o carro do meu marido ..subia no carro e amassou ele todo srs srsr ele ensistia em querer fazer churarsco da cabrita mas nao deixamos mesmo virou um brigueiro eu ele a caseira do sitio .. ate que ele resolveu ..vendeu a cabrita pois nao tinha como ficar mais com ela .. sei la tadinha da bita.. DIZ QUE A PESSOA QUE COMPROU QUERIA ELA PARA CRIAR .. SE ISSO É VERDADE NAO SEI MAS QUE PEGAMOS AMOR AOS BICHOS PEGAMOS E A BITA ATENDIA AO NOSSO CHAMADO VIU? KK

ABRAÇOS CACÁ ..

pensandoemfamilia disse...

É Caca da forma como as coisas vão, daqui a pouco teremos muitas espécies de bichinhos habitando as casas.
Não sei ainda o que acontecesse, mas os prédios estão repletos de cães.
Eu gosto de anoimais, mas não consigo conviver no mesmo espaço, não sei se entende?
bjs
Bom domingo

Beth/Lilás disse...

Poxa, é mesmo uma gracinha a Genoveva!
Eu ficaria com pena demais de matar um animal assim para comer, mas quando encontramos seus pedaços cortados e refrigerados com embalagens bonitas, nem pensamos em nada disso. Ainda pretendo mudar este vicio infame de comer carne, mas considero-me ainda um ser humano muito imperfeito.
abraço carioca

lis disse...

kkkk a essa hora bom mesmo é ler algo assim , bem leve com um humor suíno ,bovino o que for rsr
Oi Cacá aqui tenho uma gata que gosta de sonambular a noite,bem silenciosa a procura sei lá e adora o olho no olho rsrs e dizem que ronrona ,sinceramente nunca ouvi rs a minha não é de rons-rons nao,mas é super querida! e fotografada, as vezes pego ela distraída ela já sabe quero poses! rs
fica brava!!aprendi a gostar de bichos também rs é moda entao!!
ótimo as fotos das meninas, elas estão certas carne de porco nem pensar!
boa noite Cacá um bom domingo

Marcio JR disse...

Cacá, meu amigo. Por via das dúvidas, prefiro não conviver por muito tempo com meu alimento. Isso dá a maior encrenca.

Lembro de algumas galinhas que minha avó criava, isso quando eu tinha lá meus seis anos de idade, e foi o maior furdunço quando a minha avó começou a girar o pescoço das bichinhas. Mas, depois de uns tapas na bunda que levei, até que a galinhada tava boa.

Nas cidades temos uma gama enorme de "bichinhos". Temos ratos, cobras, raposas... ah! esses não são animais de comer? Que pena. Poderíamos aproveitar para "devorar" os políticos... essas raposas também não? Pena também.

Rsrsrs. Adorei a crônica, Cacá. Precisava rir um pouco, e vim na hora certinha.

Abraços, meu irmão.

Marcio

✿ chica disse...

Adorei a Genoveva e acredito que elas não virão...Não conseguem imaginar comendo a bichinha linda...

Lindas fotos e crônica!abração,chica

Yasmine Lemos disse...

Genoveva não merece ! deixe a bichinha viver.rss
bjs Cacá
um domingo de paz

Kunti/Elza Ghetti Zerbatto disse...

Oi Cacá!
Adorei a crônica.
Eu adoraria ter um porco de estimação, mas se inventar moda, acabo dormindo na casinha,rsrs.
Eu vi essa reportagem também sobre os porcos e eles são inteligentes mesmo!
Eu não consigo ficar sem bicho em casa de forma alguma.
Fica muito triste e vazia.
Um ótimo domingão para ti.
abração

Eva Sabbado disse...

Oi meu amigo querido, noossa, nem a gente se dá conta, quando come, que é uma gracinha esse bichinho, não sabia que era mais inteligente que os cachorros, adorei a foto de suas sobrinhas, essa cadeia alimentar é um desastre, na verdade, tinhamos que viver de brisa, mas como não é possivel...bjos, um domingo maravilhoso pra ti e tua familia.

Anônimo disse...

Eita tio, o povo fala fala, mas no final a leitoa ta sendo cevada, ou seria sevada, no melhor do criatorio domestico tradicional, talvez se fosse uma cem porcas pro abate nos nao sofreriamos tanto, prova de que na verdade sofremos mais por nós do que pela porca, as crianças talvez tenham alguma compaixao, mas os adultos não...a não ser consigo mesmo. Pior do que comer a leitoinha é ve-la viva antes de ser servida? Thiago Pindaíba, Antropologo e comedor de bicho, lixo e planta.

Anônimo disse...

Eita tio, o povo fala fala, mas no final a leitoa ta sendo cevada, ou seria sevada, no melhor do criatorio domestico tradicional, talvez se fosse uma cem porcas pro abate nos nao sofreriamos tanto, prova de que na verdade sofremos mais por nós do que pela porca, as crianças talvez tenham alguma compaixao, mas os adultos não...a não ser consigo mesmo. Pior do que comer a leitoinha é ve-la viva antes de ser servida? Thiago Pindaíba, Antropologo e comedor de bicho, lixo e planta.

Pedrita disse...

eu acho q devemos tentar ter só bichos de estimação. adorava os patos da minha avó, mas no dia q foram pra panela foi aquele trauma. eu tive um coelho e só como coelho se não tiver escolha, em algum evento por ex. acho q é uma opção, tem quem quer. mas tb acho uma desumanidade quem tem um animal e pq vai casar larga por aí pq o companheiro não quer. bicho não se joga fora. por isso q concordo tanto com vc, quem não quer, ou quer mais ou menos, não deve ter, pq não dá pra desistir de ter. li q muita gente pega um cachorro em março, nas férias devolve, e depois pega outro qd volta, fico pensando o q estão ensinando pras crianças, q tudo é descartável, inclusive a vida. beijos, pedrita

Rita Lavoyer disse...

Uma pururuca com aroz é tudo de bom!
Enfim... a lei de proteção aos animais é severa, ela funciona de verdade. Os porcos e outros animais que pela graça Divina são comestíveis talvez encontrem dentro da lei um parágrafo, artigo, sei lá , qualquer coisa desse tipo que os defenda.
Lei que funciona é assim, acho que não demora, os animais estarão assando gente para comemorarem suas festas.
Um dia é da caça, outro do caçador.

Joicy Sorcière disse...

O problema da convivência com sua comida(por menor que seja) é que acabamos nos apegando à ela...

Bom, eu sou carnívora confessa... mas, não façam piadinhas sobre "churrasquinho de gatos". Não conseguiria imaginar meu gato Mequetrefe rodando num espeto. Se fosse ele a ser servido no natal, certamente eu tbem não iria! rsrsrs

Excelente tarde de domingo!

bjks JoicySorciere => CLIQUE => Blog Umas e outras...

Adh2bs disse...

Mestre!
Que bela crônica, e o ângulo inusitado, apresentado pelas meninas que se apegaram ao animalzinho... Estou no seu time: sou chegado a pernil, presunto, linguiça... Mas não teria coragem de matar pra comer! Se a gente tiver intimidade com a criatura, depois não tem jeito...
Minha mãe não comeu carne desde a infância até uma certa fase da vida adulta porque mataram o bezerrinho que era dela, no sítio do meu avô, para um churrasco. Quando ela soube, passou mal e ficou anos a fio sem comer carne bovina.
Grande abraço,
Adh

Valéria disse...

Oi Cacá!
Vamos fazer uma manifestação em prol da Genoveva! Coitada, tão inocente de seu destino! Acho um horror criar um animal para comer, os que encontramos nos supermercados já embalados não nos apegamos, não vimos crescer com a carinha inocente e dócil à nossa presença, é já é cruel comê-los mesmo assim imagina vendo-os todos os dias. Estou com as meninas, não como! Assim já o fiz na casa de meu cunhado com peru e galinha.rss
Abração e uma ótima semana!

Leninha disse...

Oi amigo Cacá!
Boa tarde!

Tenho que dar razão às meninas,a Genoveva tem uma carinha ótima!Já tive uma galinha de estimação e não admitia que se falasse em matá-la...mas na fazenda,tínhamos criação de porcos e não me causava sofrimento comê-los...afinal eram muitos,não se tinha "intimidade"com nenhum.
Na minha infância não me deixavam chegar perto,quando minha avó ia matar alguma galinha...por causa da pena que eu sentia,a galinha não morria de maneira alguma.

Um final de domingo muito feliz e uma semana repleta de alegrias.
Bjssssss,
Leninha


Também gostei muito de ler o Eduardo Galeano na minha juventude...creio que era uma espécie de Bíblia para nós,o Veias Abertas da América Latina.Meu filho guarda o meu exemplar até hoje.

Maria Rodrigues disse...

Meu amigo Cacá eu tenho um coelhinho de animal de estimação, não queria nenhum bichinho pois não tenho tempo, mas os meus filhos compraram e habituamo-nos tanto a ele que agora faz parte da familia. Desde que o temos nunca mais comemos como refeição coelho, enfim não dá mesmo...
Tenha um bom restinho de domingo e uma excelente semana.
Beijinhos
Maria

Célia Rangel disse...

Sentimentos gastronômicos quando se confundem aos emocionais dá indigestão...
[]s Célia.

Renata Diniz disse...

Oi Cacá! Genoveva teve sorte de encontrar, em tempo, defesa. Forte abraço!

Toninhobira disse...

Do jeito que as coisas andam, o torresmo perderá o status e eu como fico sem meu couve,angu e torresmo de barriga?
De minha parte os suinos continuarão sendo um desejo de consumo no Natal com uma maçã na boca,rsrs.
Mas do jeito que s coisas andam, eles terão um destaque numa coleira em playgrounds.
Uma boa semana amigo.
Meu abraço.

Georgia disse...

Cacá meus pais criavam porcos e uma vez na semana meu pai lavava o chiqueiro, rs.

Eu sempre achei o andar do porco uma elegancia só.

Adorava quando meu pai fazia torresmo, nao tinha nenhum problema com isso nao. Pra mim e meus irmaos estava claro que cada macaco é no seu galho, rs.

Boa semana e qdo o jogo chegar me avisa.

Abracos

RUTE disse...

Oi José Claudio,
obrigada pela resposta lá na 5ªfase da BCAP.

Se estiver a fim de postar para o Questionamento no Amor, ainda pode. Estamos recebendo participações atrasadas, sem problema.

Mas não se sinta obrigado, hein!
Grata pela atenção.
Beijo no seu coração.
Rute

Vivian disse...

Bom dia,Cacá!!!

Bah!Quando pequena meus avós compraram pintinhos(lindos!!!)para cada uma de nós(erámos 4,eu,minha irmã e minhas duas primas),nós cuidávamos deles e era uma festa,até que...eles cresceram e minha vó resolveu fazer sopa com eles!!!Foi traumatizante,nos escondemos no quarto chorando e nem pensar que chegamos perto da tal sopa!Coisa horrível.
Mas o ser humano é contraditório,né?! Não sou radical,mas tenho substituido(de forma lenta e gradual) a carne, por proteína de soja...não vou virar radicalista nem nada,mas coitadinho dos bichinhos...
(nem vou forçar meus filhos...certas escolhas devem ser de boa vontade)

Ah!!Bem...quanto aos porquinhos,por aqui eles estão salvos!rsrs Não comemos carne de porco!rsrsr

Beijos e ótima semana pra ti!
Até segunda!

Néia Lambert disse...

Cacá, esse costume de ter um animal de estimação tem se tornado mesmo quase uma obrigação. Já tive um e quando morreu, quase morri também, agora não me atrevo a viver novamente tamanho sofrimento, rsrs. E quanto a Genoveva, ela é um encanto, não merece ir para a panela não!
Parabéns pela crônica, como sempre muito bem elaborada.

Um abraço.

ValériaC disse...

É meu amigo, quando nos lembramos que para ter carne em nossas mesas, muitos animais morrem, dá vontade de virar de fato vegetariano.
Adoro animais e tenho certeza que se criasse os mais diversos tipos, não iria querer que fossem sacrificados. Não sirvo pra ser pecuarista amigo rsrsr... e se fosse seria só pra produzir leite e ovos...rsrsrs
Beijos e boa semana,
Valéria

Vera Lúcia disse...

Oi Cacá,

Adorei esta sua crônica, temperada com uma leve pitada de humor.
Depois que se apega a qualquer tipo de animal não é possível imaginá-lo sendo morto ou devorado numa festa natalina, como a Genoveva.
Vai ser difícil passar este Natal com a Genoveva na mesa (rsrsrsrs).
Tão fofinha!

Obrigada pelas doces e motivadores palavras de carinho que deixou em meu recanto.

Uma ótima segunda-feira para você!

Abraço.

Celêdian Assis disse...

É, Cacá, coisa complicada esta, viu? Uma porcaria essa dúvida, de ter ou não ter um bicho de estimação...rsrs. O prazer que eles nos dão com suas companhias, às vezes se transforma em grande tristeza, se temos que nos separar. Melhor, nesse sentido, é criar uma tartaruga, que pode viver até mais que 150 anos. No caso dos porquinhos, são realmente lindos quando limpinhos, mas como disse o Márcio, não dá para conviver assim afetivamente com um bichinho que cedo ou tarde, vai virar nossa comida.

Sobre as meninas, não duvido que elas não apareçam no natal, pois tenho um exemplo aqui pertinho. Um irmão, hoje um quarentão, que tinha um porquinho quando criança e quando o bicho cresceu e foi para a panela, ele ficou tão traumatizado que tornou-se vegetariano para sempre.
Amei o texto, aliás, nenhuma novidade em admirar os seus escritos, sabe que sou sua fã de carteirinha.
Um grande abraço, meu querido.
Celêdian

Lígia Clarine Adão disse...

Eu já sabia disso! Por isso não como carne de porco. Os porcos são ótimas pessoas... digo animais! E acho que não se deve matar para comer bichos que foram batizados, que traição! bjos!

Patricia Pinto disse...

Quando eu era bem pequena tive um porquinho em casa, o nome dele era Chuim!! Brincamos muito e um dia ele sumiu...
Não me lembro de ter perguntado nem de ninguém ter dito alguma coisa, mas lembro que era divertido brincar com ele!!
Teria outro!! hehehe!!
Beijos!!

Rô... disse...

oi Cacá,

e será que existe um mineirinho,
que não aprecie uma costelinha de porco,
ou um pernilzinho bem assadinho?
difícil acreditar que essa carne saborosa,venha de animais tão lindinhos,
já não como carne vermelha,
daqui a pouco mais nada...
adorei a crônica,
mas acredito que depois de ver a Genoveva,
elas não vem...

beijinhos

Helena Frenzel disse...

Oi Cacá, ótima crônica, como sempre, aliás. Como dizia um ex-chegado: "quem não come será comido" e quanto ao lombinho: "desce dois, desce mais; garçon, mais uma porção de batata-frita..." e por aí vai! Um abraço fraterno, inté!

Cores da Vida... disse...

O importante é amar o animal que se possui... Quanto a criar e alimentar um porco para depois matá-lo, eu não faria. Crio amor. Nem mesmo com uma galinha, eu agiria assim. Mas..., contudo..., cada cabeça uma sentença...!!
Abraços,

Calu disse...

È mesmo um dilema,Cacá.
Ainda maior se o bichinho escolhido for um destes que vai à mesa acompanhado de pecadinhos da gula.
Êta contradição braba, sô!

Já tive um monte de bichos de estimação, mas nenhum virou ceia(srsrs).
Tô com as meninas: a Genoveva é nossa!
Bjos,
Calu

Marcelo Pirajá Sguassábia disse...

Porquinhos de estimação... Ótima essa, Cacá. Parabéns pelo texto pra lá de divertido.

Smareis disse...

Oi Cacá,
Acredito que são poucas as familias que ainda não possui alguns animalzinho em casa. Minha mana tem 5 cães na casa dela, e no sitio tem 17.
Ela é apaixonada por animais.
Eu tenho um que ja parte da minha familia, dorme e come e viaja sempre juntinho com a gente.
Conheço uma mulher que cria uma porquinha linda em casa, ela coloca lacinho, roupinha que nem um cadelinha.
Tenho muita pena desses animais,que estão engordando pra depois morrer,mas fazer o que né? Essa é a lei da natureza. Quando vou ao sitio e sei que vão matar porco pra churrasco fico apreensiva e muito triste.
Os animais se torna grandes amigos quando a gente lhe dá carinho, acho que falta muito isso no ser humano, fidelidade, e isso os animais carrega de sobra entre si.

Adorei a postagem!

Grande abraço!

Misturação - Ana Karla disse...

Ô Cacá, tadinha da Genoveva, espero que ela passe por muitas e muitas festas de Natal.
A maioria não tem a noção real de onde vem a carninha consumida diariamente.
Bom dia
xeros

André disse...

Realmente, meu caro amigo, o modismo de animal de estimação faz girar todo um comércio. Desde alimentos para cada um deles, até salões de toalete, cabeleireiros, massagens, lojas de produtos de beleza, psicólogos, advogados, veterinários e por aí vai.

Moda importada dos USA, pra variar, mas que faz adeptos no mundo inteiro. Adotar um hamster é mais fácil que adotar uma criança órfã, isso é certo. Menos problemático também. E deixa muita gente com a consciência tranquila.

Afinal, nesse mundo cada vez mais isolador em que vivemos, as carências afetivas se fazem mais presentes e mais pesadas. E um cão em casa faz companhia. Fala-se com ele. Discute-se com ele. É tão fofinho um gato. Uma jibóia. Ou um porquinho. Tê-los em casa é estar na moda.

Belo texto, meu amigo José Cláudio, de uma ironia finíssima mas também de uma lucidez de 800 watts.

Um forte abraço, felicidades!

Anne Lieri disse...

Cacá,eu tb vi essa pesquisa de que os porcos são animais muito inteligentes e morri de rir com a história do Boris!....rsss...tb não teria coragem de comer vendo o animalzinho ali, com nome e tudo,amigo da gente!...rss...tô fora!Excelente seu texto sempre!bjs e boa semana!

Jacques disse...

Boa noite, Cacá.
É realmente bem preocupante a substituição de pessoas por animais de estimação que vem ocorrendo nos últimos anos em diversas partes do mundo.
Pior ainda ocorre no Japão onde, por comodidade (eu acho), as pessoas trocam animais de verdade por suas versões robóticas.
Acho que animais de estimação são importantes sim, mas não a ponto de substituírem alguém.
E, certamente, o convívio com eles só faz bem a qualquer criança.
braço, Cacá.

Cecília Romeu disse...

Cacá, tudo bem?
Nossa! Recém adotei uma gatinha, até coloquei lá no blog, que recebia maus tratos e ficava numa gaiola já ha uns 3 meses...
Quanto aos porcos, imagino que sejam inteligentes, sim, e olha, mais inteligente que muita gente por aí rsrs, na comparação com os cachorros, para mim foi novidade mesmo.
Mas James Boris? pobre! Meio difícil pobre bichinho identificar, não era mais fácil Rex? Brincadeirinha..., mas ele deve ter ficado confuso mesmo.

Abração e ótimos dias!

M.Cecilia Flor. disse...

Lindo Dia Cacá,rsrs estou rindo aqui com o James Boris,mas é gozado,quando criança nunca que alguém iria por nome de gente em cachorros ou criações..mas minha caçula já adulta comprou uma Ilhasa apson e colocou o nome de Matilde.
Cacá,estou contigo,gosto muito de Bacon e pernil da Sadia ou perdigão,(olha a propaganda)porque se eu vejo matar o bicho,ele fica rodando na minha cabeça e não consigo comer.Estou voltando.Bjus\Flor*Sucesso.

Aleska disse...

Bonitinho eu não diria, talvez engraçadinho rsss. Eu sempre quis ter um cachorro, mas acho que não tenho jeito com bichos rss vou entrar pro time dos sem coração. beijos!

Ivana disse...

Cacá, tudo bem? Muito bom estar aqui, que delícia de crônica, me fez rir muito! E a genoveva, heim? Não tem jeito não, vai virar leitoa pururuca no Natal!
Amigo, muito obrigado pelo seu carinho, viu? Suas palavras me incentivaram a voltar, e aqui estou!
Um forte abraço, boa noite!

Sabor de Pitanga disse...

Cacá, querido, quero-lhe agradecer o carinho e atencao... muito grata mesmo!
Comeco a enxergar uma luzinha no fundo do túnel!... Sao as peripércias da vida.

...

Seu texto está muito legal!Eu acredito que daí a pouco, teremos nao só "cobras e lagartos" como animais de estimacao mas, também, elefantes e girafas... A verdade é que o animal toma cada vez mais o "espaco do homem".

Quanto ao porquinho para o natal, eu também nao o comeria nao! Fica difícil, depois de se dedicar tanto carinho, matar e comer...

Abracao, querido.


P.S. Alegra-me saber da possibilidade de você ir morar em Aracaju ou Natal. Provavelmente é para Aracaju que iremos... mas já andamos pesquisando uma cidadezinha de 5000 habitantes também no R.G.do Norte.

Luma Rosa disse...

Gosto de bicho, mas sei separá-los entre os que é para estimar ou não. Lembro que quando era criança, no galinheiro tinha as galinhas para comer e uma que ninguém mexia com ela porque a minha mãe adotou para "estimar", isso também ocorreu com vacas e lembro de uma severa discussão por causa disso. Mas os bichos ficavam em seu habitat. Isso de levar porco para morar em apartamento, acho absurdo!
Bom fim de semana! Beijus,

Maria Rodrigues disse...

Amigo Cacá passando para deixar um beijinho e desejar um excelente domingo.
Maria

Lúcia Soares disse...

Adoro seu lado de humor. Muito bom!
Acho que não gostaria de comer um bichinho que eu visse todos os dias...
Nunca aceitei com naturalidade criar galinhas em casa e depois comê-las.
Acho que as crianças de hoje, mesmo conhecendo os animais, não associam mesmo aquele bichinho com a carne que está na mesa...rsrs
Não comeria a porquinha, não! rsrs
Abraços!

MARILENE disse...

Os animais de estimação muito contribuem para o desenvolvimento das crianças, desde que observados certos cuidados, tanto quanto à proteção deles, quanto à delas. Mas costumam, também, conhecer a dor da perda através de sua ausência.
Se vejo um porco inteiro, na mesa, não consigo comer. Sinto o mesmo com relação aos peixes (rss). Somos estranhos (heheheh). Alimentamos o hábito de saborear a carne mas não gostamos de pensar que animais foram abatidos para satisfazer nosso prazer. Bjs.

Celina disse...

OI CACÁ, AS MINHAS FÉRIAS ACABARAM JA BLOGUEI , MAIS PRECISEI VIAJAR, PARA A SEMANA ESTAREI DE VOLTA COM A GRAÇA DE DEUS, SE TIVER UM TEMPINHO PASSA LÁ NO MEU BLOG, UM GRANDE ABRAÇO. CELINA.

Tretswelt disse...

Oiiii!...e assim mesmo como vc falou:)Vc sabia que os porcos sao mais inteligentes que golfinhos?Mais que cavalos que aprendem tudo,as pessoas se asustam com com sua "sujeira"...Bicho tambem e gente ne?hihi.bju.Lu.

Web Statistics