sexta-feira, 16 de setembro de 2011

VIVER NÃO É SÓ ESTAR NO MUNDO

imagem google
CALORÃO
A sensação de calor vai aumentando pelo corpo mesmo com os termômetros marcando 25º. Não sei se já arranjaram outra denominação para o que extrapolou a estufa. Se não, o calor que faz a mais nas grandes cidades fica batizado como efeito forno ligado.

A verticalização vai tomando lugar das poucas casas e áreas verdes que ainda restavam e o ser humano vai sendo relegado cada vez mais a espaços confinados. A prioridade absoluta parece mesmo serem as construções de imóveis e a cessão das ruas e áreas livres para os carros. As construtoras colocam olheiros pela cidade observando onde há casas mais antigas ou com placas de vende-se para comprarem a qualquer preço e instalarem seus prédios enormes, verdadeiros escudos artificiais e lá embaixo, onde o calor do sol chega primeiro, para e estaciona, tem dificuldade de se dissipar. 

O albedo é a capacidade de reflexão dos raios solares e nas cidades é baixíssimo, formando verdadeiras ilhas de calor, insuportáveis quase. Para se ter uma ideia, uma mesma temperatura numa grande cidade pode causar uma sensação térmica de até 11º a mais do que numa zona rural, por causa desta dificuldade de dissipação do calor provocada por tanto asfalto, muros e prédios. Juntemos a isso a poluição (aquela do efeito estufa) que também não espalha-se com facilidade e temos uma péssima qualidade de vida. As cidades não podem continuar desconsiderando os seres humanos, despistando o verde com parquinhos e pracinhas de meia dúzia de árvores e gramados. Os negócios estão tomando a nossa dignidade no espaço de convivência humana de forma abusiva.

Enquanto isso, os donos das construtoras e os prefeitos continuam se deslocando de helicóptero, olhando lá de cima (numa suave brisa), o estrago aqui embaixo.

27 comentários:

Rô... disse...

oi Cacá,

é a mais dura verdade,
aliás quem é que se importa com os outros seres humanos?
os donos de construtoras cada vez mais ricos e poderosos,
e os nossos governantes,
bem desses é melhor nem falar nada...
e vamos por ai,
comendo poluição e morrendo de calor!

beijinhos

Ma Ferreira disse...

Caca..bacana a sua cronica.

Infelizmente a humanidade esta vivendo um momento de decadencia.
Decadencia moral inclusive.

Fico imaginando o mundo em que meus netos viverao, caso a concientizacao nao venha rapidinho.

Enquanto isso e cada um que tem essa visao mais ampmpla ir fazendo a sua parte.
Quem sabe assim este mundo ainda tem jeito.

Um bj..

Milla Pereira disse...

Aqui, nessa cidade maluca, já não tenho isso, Cacá. Em um mesmo dia, convivemos com as quatro estações do ano, como foi ontem, por ex. Como é que se pode manter o bem estar assim? Estive dodói, mas volto hj, feliz da vida. Tenha uma ótima sexta e fds de paz e bem. Beijos

Beth/Lilás disse...

Bom dia, Cacá!
Amigo, por acaso você esteve aqui nesta cidade em que moro - Niterói?
Pois saiba que aqui é exatamente isto que você conta, todas as vilas e casas lindas ou velhas estão sendo arrebanhadas pelas mega construtoras e a cada esquina tem um super prédio em obras. Eu aqui estou ilhada com 4 mega empreendimentos a minha volta.
Isto é terrível em todos os sentidos, principalmente neste que você fala - o calor absurdo no verão.
Mas existem também fatores perigosos, como a rede de esgotos destas cidades que não foram mexidos e aí, no lugar onde moravam 5 pessoas, no máximo 10, passa a ter um condomínio com centenas de pessoas. Imagine o que acontece quando chegam as chuvas de verão.
Bem, isso você e os amigos verão quando chegar o próximo neste final de ano. Eu juro que morro de medo e meu sonho é ir para o interior.
Enquanto isso, os bolsos dos donos de construtoras estão transbordando e prefeitos e políticos cada vez mais ricos com a grana que recebem deles.
Uma vergonha total!
bjs cariocas

Meire disse...

Cacá querido, concordo com a Chica, cada pensa apenas no seu umbigo e os que foram colocados nas cadeiras lá em Brasília pra pensarem em nós tbm, isso é que é o pior. E esse calor que já sufocante fica pior.
E quem sofre? Nós!!!!

bjokitas pra vc! :)

Vivian disse...

Olá,Cacá!!

Enquanto a maioria se preocupar em encher os bolsos, em vez de pensar no bem estar geral, teremos cada vez mais prédios e condomínios, e menos áreas verdes!!
É triste...
beijos pra ti!

Cynthia disse...

Oi José, e até agora não chove em SP Capital, rsrsrs. Estamos respirando um Ar terrível. Abraço CY.

Mari disse...

Boa tarde Cacá,

Vim desejar um ótimo final de semana a você!
Estou colocando a leitura em dia!
Um beijo grande

Celina disse...

OI Cacá amigo boa tarde tudo de bom para vc. hoje passei a tarde relendo o teu segundo livro, o qual me ajudou a passar a tarde rí muito em certas passagens e ví que vc é maravilhoso diz a coisas com muito humor. Sendo uma região praiana o nosso calor é pouco Recife, J. pesõa e Natal são muito ventiladas só calor mesmo de janeiro em diante cai uma chuvarada a[i refresca tudo. Cacá vais a bienal de salvador? Vai ser no final de outubro para o começo de novembro., a minha filha vai estar lá a serviço do mimisterio de educação, vou esperar se vc for eu comprarei o seu livro. se não mandarei buscar depois. Abraços Celina

MARILENE disse...

Estamos perdendo nossos espaços. Esse confinamento é real e não vejo possibilidade de mudanças.
Em um país tão grande como o nosso, até os que se dizem sem terra e sem teto buscam esse mesmo espaço, querem estar perto de tudo e não se preocupam com seu real bem estar.

Bjs.

Néia Lambert disse...

Triste realidade! uma agonia pensar que a tendência é piorar.

Um abraço.

Helena Chiarello disse...

VGerdade, Cacá...
E numa outra ponta dessa "dificuldade de dissipação do calor provocada por tanto asfalto, muros e prédios", temos a dificuldade da terra em absorver as águas pluviais, e aí, a gente sabe bem o que acontece...

Sempre excelentes as tuas crônicas!

Grande abraço!

Jardim das poesias infantis/Magia em versos disse...

Oi Cacá!
Tens toda razão.
A gente respira gás carbônico ao invés de oxigênio.
No inverno então fica pior ainda.
abração amigo e um excelente fim de semana para ti.

Valéria disse...

Oi Cacá!
É triste esta nossa realidade!
Cada um só pensa no seu bolso e o resto que sobreviva se der.
Aqui está uma especulação só, o preço do metro quadrado é caríssimo, tem bairro que chega a 5.000 mil reais. E agora tudo se explica pelo efeito Copa do mundo, pode? Só teremos aqui 3 jogos! Me engana que eu gosto!
Abraço!

Denise disse...

Pois eu estou fazendo o caminho inverso, Cacá...de apartamento, vou pra uma casa. Ainda contamos com bastante área verde e condomínios fechados são bem procurados.
Abrir a porta pra um gramado de jardim cheinho de flores é um sonho, eu amo!
Tua reflexão é a expressão da realidade da maioria de nossas grandes cidades, uma pena...
Bom fds, beijo pra vc!

Miriam de Sales Oliveira disse...

Amigo,jurei que nunca moraria num espigão destes;continuo na minha casa de bairro,ancestral,pois foi construída primeiro por meu avô materno,embora adaptada depois para mim e meu marido.É simples,sem luxos ,mas,nela desfruto momentos felizes e tempos calmos.
N/ sou obrigada a dar de cara c/ o vizinho da frente,ao acordar. bjks

Jaime Guimarães disse...

Cacá, aqui em Salvador os construtores estão detonando até o que resta da Mata Atlântica com novos empreendimentos imobiliários com espigões e tudo sob vistas grossas da prefeitura - também, o prefeito não consegue nem manter o Elevador Lacerda funcionando...tanto que querem até privatizá-lo! ( o elevador, não o prefeito)

E com isso a capital baiana, que já é quente, fica insuportável no verão de tanto calor. Aí vamos juntar verticalização + devastação das áreas verdes + frota de automóveis que não para de crescer e temos o caos.

:(

Abs!

DEVA disse...

E como sempre os que sofrem são os mais pobres. São sempre os primeiros a serem atingidos, pelo calor, pelo frio, pelas consequências do crescimento desordenado das cidades.
Falta de planejamento, de criação de áreas verdes, de preocupação com a preservação do planeta, do meio em que vivem. A ganância, essa sim vem em excesso. E os aparelhos de ar-condicionado também.

Ótimo fds Cacá!
Bjo
Deva

Vera Lúcia disse...

Olá Cacá,
Você tem toda razão. Estamos ficando sem espaço e sem área verde.
O interesse econômico se sobrepõe ao bem estar do cidadão, infelizmente.
Haja saúde!
Ótimo final de semana.
Grande abraço.

Maria disse...

Infelizmente amigo Cacá esta é uma realidade global. Cada vez mais se pensa no lucro não olhando a meios para atingir os fins.
Bom domingo
Maria

Andre Martin disse...

Junte a isto,
a capa impermeável de asfalto, concreto e pedras que cobrem o solo, tornando-o ressecado por baixo e leito de enxurradas por cima!

Inundações instantâneas e inevitáveis, raízes de árvores apodrecendo e elas caindo, reduzindo ainda mais o verde superficial e rompendo redes elétricas e telefônicas e de internet e TVs a cabo...

Ah, as chuvas tendem a virar tempestades com mais e mais raios!! Os corredores formados pelos prédios as intensificam ainda mais!

Tudo isto é o caos urbano das grandes metrópoles.


Como diz Mesdre, em
Nada fácil nem verossímel:

"Suba no mais alto edifício,
para de lá ver a cidade...
Questione: disso, qual a veracidade?
Verá que a resposta é difícil!"

Tatiana disse...

Oi Cacá!
Voce sabe que senti uma super diferença em relação ao calor morando em Cancun e agora na Florida.
Apesar dos 2 lugares serem extremamente quentes, nao tenho sofrido tanto pelo fato de nao ter tanto asfalto aqui em Boca Raton. Eu morava na cidade de Cancun, bem diferente de quem mora perto da praia, o centro é cheio de prédios e pouquíssimos parques. Como voce mesmo falou, que diferença isso faz na sensação térmica!
Bjs.

。♥ Smareis ♥。 disse...

Oi Cacá boa tarde, concordo contigo. Essa é a pura e mais triste das realidade que estamos vivendo, e não acredito em melhoras.Estamos perdendo nosso espaço a cada dia mais, cada um estão pensando em si próprio, os menos favorecido é que estão sofrendo.Desejo um belo domingo, com encantada semana. Beijo grande!
Smareis

pensandoemfamilia disse...

Está ficando dificil, o coletivo se não for priorizado, até mesmo os que hoje só olham para o "seu próprio umbigo", sofrerão as consequências.

Tais Luso disse...

E vamos nos preparando, Cacá, o negócio vai piorar, o que dirige as mentes poluídas e irresponsáveis é só uma coisa:
$$$$$$$$$$$$$$$$.
Beijos
Tais Luso

Toninhobira disse...

Pois é Zé, saudades de nossas ruas de calçadas que a chuva cai e não fluia com esta força terrivel que se vê. Nos colocaram sobre um braseiro e pediram para caminhar.Quando cheguei por aqui nos anos 80, encantava com o numero de casas e areas verdes, hoje só cimento e o pior, era proibido construção de predios com mais de quatro andares na orla, para se evitar efeito Copacabana.Hoje eles estão despontando com suas torres e logo teremos um paredão,barrando o a brisa que vem do mar.Aquelas casas proximas das Praias onde moravam os bem nascidos, foram compradas e espigadas.
Não tem solução, vamos viver no inferno mesmo.
É o que deixamos para nossos filhos.
Um abraço amigo e boa semana na paz.

Web Statistics