terça-feira, 6 de dezembro de 2011

LABIRINTO DO AMOR


imagem google

Gilse amava Zezinho, que amava Elaine. Doidinhas as duas. A primeira de amor; já a segunda de tanto levar socos do pai que odiava Zezinho, que namorava as duas. Escondia a Gilse da Elaine e escondia a Elaine do pai. A primeira via todo dia; já a segunda só na furtiva ou pelas cartas escorrendo amor pela tinta. E quem escrevia era o Paulo*, o poeta que inventava o amor de papel para o amigo. Gilse deixou o amor de lado e casou com outro rapaz. Elaine perdeu a guerra com o pai e largou o amor de Zezinho, que perdeu o jeito de amar, casou-se com outra moça e foi para Carajás. 


* O poeta (Paulo Adão) citado é meu irmão que perdi faz hoje 6 meses e a quem homenageio com carinho e saudade.

32 comentários:

Berzé disse...

Acordar primeiro faz beber mais límpidas essas palavras tão bem encadeadas( ou seriam ëmlibertadas?).
Abração, Cacá!
Legal homenagear seu irmão.
Berzé

Misturação - Ana Karla disse...

O amor, as vezes confunde e permite muitas coisas.

Também achei bacana homenagear seu irmão, Cacá.

Bom dia
Xeros

Rô... disse...

oi Cacá,

só o amor permite esse emaranhado de caminhos e possibilidades,
e quase sempre esses caminhos acabam por não se cruzarem...
linda homenagem a seu irmão,
meu querido,
saudades sim,
tristeza não...

beijinhos

Flor da Vida disse...

Os três pensavam amar quando na verdade só que sabia o verdadeiro significado do amor era Paulo...

Texto belo... Homenagem linda!!!

Amigo, carinhos meus pra ti e para os teus.
Beijos de Luz e Paz

Maria Cristina Gama disse...

Olá, vim aqui conhecer o seu blog e lhe seguir, mas não encontrei a janela para fazer isso, que pena...

Bela homenagem... A dor da separação é a dor mais sentida, saber que nunca mais encontraremos quem amamos é um vazio no peito.

Passei em todos os seu blogues, gostei muito de tudo que li.

Beijos

Chris

Celina disse...

CACÁ BOM DIA TUDO DE BOM PARA VC. OBRIGADO PELA VISITA E AS PALAVRAS GENTÍS. HOMENAGEM MUITO BONITA, AINDA MAIS COM CASOS QUE ACONTECEM NO NOSSO DIA A DIA, UM ABRAÇO CARINHOSO CELINA.

Vivian disse...

Olá,Cacá!

Um amor que traz muita confusão!!Nunca dá certo...
O poema bem espirituoso!
Bela homenagem Cacá, a perda nunca é fácil,sinto muito.
Beijos pra ti!!
Muito obrigada pelo carinho de sempre!
*Ontem não consegui comentar nos blogs, só fiz umas poucas visitas e travou tudo, troquei de navegador e deu certo.

Tunin disse...

É tão real, não é Cacá, este famoso caso e amor tão bem sintetizado por teu saudoso irmão poeta! Gostei demais do poema. Abraços.

´Flor* disse...

Gostei desta prosa Cláudio..é muito bom você divulgá-lo pois nem todos tiveram o prazer de conhecê-lo.E com certeza,creia ele já está no paraíso do Eden,compondo com os profetas..
Sinto o perfume das flores,Sempre Sucesso.Bjus\Flor*

Aleatoriamente disse...

Nossa Cacá como correu o tempo.
Mas a saudade essa fica sempre né amado?
Seu irmão escrevia muito bem e animadamente. Gostei desse estilo.
Que onde estiver esteja feliz com sua lembrança.

Com carinho.
Fernanda

Marli Borges disse...

Oiiii, Cacá!

Eita amor tumultuado!!
Adorei esse tumulto, perfeito! Dá gosto ler!
Uma homenagem e tanto.
bjsssssss

Valéria disse...

Oi Cacá!
Texto bem tramado.rsss
O amor prega estas peças!
Bela lembrança na forma de homenagem!
Abraço!

MARILENE disse...

Certamente, nenhum amou com verdade. E acabaram seguindo seus caminhos.
Essa homenagem que fez nasce do coração e peço a Deus que lhe dê o conforto indispensável nessa convivência com a saudade.

Grande beijo!

Anne Lieri disse...

Cacá,o amor é mesmo uma roda viva!Vai girando e nunca se sabe onde vamos parar!...rss...a vida tem caminhos misteriosos!Adorei seu texto e merecida homenagem a seu irmão!Imagino a saudade e me confraternizo com vc,querido amigo!Bjs,

Edna Lima disse...

Bela homenagem à lembrança saudosa do seu irmão.
Obrigada pela visita. e pelo pensamento de Guimarães Rosa.
Assisti ao vivo quando nossa conterrânea a Presidente Dilma o citou em seu discurso de posse.
Uma bela noite.Edna Campos.

pensandoemfamilia disse...

O mundo gira e com eles todos nós. Bela homenagem ao seu querido irmão.
bjs

AFRICA EM POESIA disse...

UM BEIJO e partilho da Homenagem
e para ti um beijo Grande

nestes momentos doridos...

AFRICA EM POESIA disse...

UM BEIJO e partilho da Homenagem
e para ti um beijo Grande

nestes momentos doridos...

Vera Lúcia disse...

Olá Cacá,
AH!, o amor! Sempre aprontando nos corações desavisados!

Sinto por mais esta perda. Não sabia.
Que a saudade fique doce em seu coração.
Carinhosa homenagem!

Gostou do jogo? CLARO, NÉ?

Grande abraço.

Cecília Romeu disse...

Nossa, Cacá!
Bela homenagem..., lindo poema parece uma corrente, e saber que teu irmão foi citado é muito bonito, me emocionou, de verdade!

Grande abraço :)

Nice Bacchini disse...

Cacá bela homenagem. Os irmãos que partem sempre deixam muita saudade.
Se o zezinho tivesse decidido, talvez ainda estivesse com seu amor..
Abraços

Bixudipé disse...

Essa é a vida real. Essa é nossa juventude!
Me remeteu ao poema "A Quadrilha", de Drummond. Adorei!

Abração,

Rodrigo Davel

Néia Lambert disse...

Lembrar uma pessoa querida é sempre bom, com poesia, melhor ainda.

Um abraço.

Luma Rosa disse...

Bela homenagem ao poeta do amor de papel! Vale o amor reciclável ou revisado, Porém que pena a falta de sincronia!! Seria tão mais fácil amar.
Boa semana!! Beijus,

Aleatoriamente disse...

Boa noite querido.
Amei teu comentário rsrsrs.
Sempre aparece desses Cacá, mas nunca acostumo rsrs...

Beijo querido.

Denise disse...

Cacá que ama Paulo, ambos apaixonados por escrever. Paulo, que lindamente falou sobre o quiproquó do amor, escreveu com Cacá outra história - ambas de amor.

Linda tua homenagem.
Beijos, meu amigo.

LUCONI disse...

Um conto delicioso e intrigante, no fim eu acredito que quem realmente amava era o Paulo, muito bom, poste mais coisas dele, assim temos oportunidade de ler e relembrar sua obra, beijos Luconi

Eva disse...

Que linda homenagem ao seu irmão, Cacá, lembro como se fosse ontem, da tua dor, como passou rápido, e fazes bem em preencher esse vazio com as doces lembranças e talentos dele, esse foi seu legado, plantar amor no coração de um homem forte que teve por irmão e que propagará a sua arte porque a assimilou na convivência, as pessoas que amamos ficam gravadas em nós, não importa a distância física, as repetimos nos pequenos gestos. bjos. Ótimo final de semana, amigo.

Adh2bs disse...

Prezado;
A veia poética é de família. Tenho certeza que seu irmão, junto com seu pai, estão a sorrir da sua facilidade em traduzir a vida com poucas mas exatas palavras.
Um grande e afetuoso abraço.
Adhemar

Toninhobira disse...

Até Drummond veio aplaudir amigo,gostei do belo jogo.Bela lembrança do Paulo,que esta a aplaudir suas investidas por cá.
Bela viagem por aqui amigo.
Um abraço de paz e luz nesta bela semana voce e familia.

Web Statistics