segunda-feira, 28 de maio de 2012

ELEGENDO CULPADOS


Esta crônica é para as pessoas que ainda conservam algum tipo de idealismo.

Gilberto Dantas* fez uma ótima avaliação do estado de coisas no presente, de uma forma que é inevitável não termos angústias e inquietações com o comportamento humano numa civilização que, se fosse pra valer mesmo, a gente nunca seria saudosista. Então ele resolveu inverter a lógica e já pensar naquilo que sempre desejou, chamando isso de saudades do futuro. É como se você dormisse, tivesse um sonho maravilhoso com coisas muito boas que iam lhe acontecer ainda e, de repente acordasse. Nervoso,  ficaria então pedindo para voltar para aquele lugar distante e ainda não visitado, ou seja, o longínquo “futuro”.

 Já o Adhemar**, outro grande cronista e poeta  fez um artigo para falar de projetos de vida, uma provocação aos amigos numa mesa de discussão acerca das perspectivas de consciência , de desejos e de respostas para o estado de coisas nada agradáveis que aí estão e de nossas ações diante delas. Por exemplo, ele cita o fato de usarmos o álcool combustível, muito mais interessados no preço que é menor do que o da gasolina, do que com o efeito estufa que causa o consumo de petróleo e nem aí para a devastação assombrosa que a produção de álcool da cana  provoca na natureza. Tudo é uma questão de facilitação da vida da gente e dane-se o resto. Ou seja vivemos em busca de recompensas. Se não materiais (na maioria esmagadora das vezes) pelo menos de reconhecimento através do grupo social em que estamos inseridos irremediavelmente. No fundo, no fundo, é isso mesmo.

Então eu venho aqui sugerir a ambos que fundemos uma agremiação. Não, não demos o nome de partido, por favor, pois além de não conseguirmos adeptos muito bem intencionados (e a agremiação não vai ter lugar para oportunistas) em quem poremos as culpas? Eu quero eleger um culpado! Ou transferir as minhas culpas. Não temos mais condição de fazer o que vivemos fazendo: individualizamos problemas que são coletivos, coletivizamos as misérias e as desgraças humanas e socializamos apenas sorrisos e murmúrios raivosos.

Ouvi uma frase certa vez que todo pessimista é burro ou rico. Acho que ela foi elaborada por um pessimista. Eu me enquadro no meio. Não da riqueza ou da burrice, mas entre o pessimismo e o otimismo.



* Texto do G Dantas aqui
**Texto do Adhemar aqui

34 comentários:

Toninhobira disse...

A duas primeiras analises estão perfeitamente enquadradas nesta vida que levamos,onde por deslize acabamos sempre por olhar o proprio umbigo,voluntario ou não.É como se fossemos levados roldão.Mas sua ideia está perfeita amigo sobre a agremiação e posso ver os olhos dos oportunistas por sobre o muro, olhando a socialização geral.Bela analise dos amigos para sua conclusão critica.
Uma bela semana de paz e luz a voce.
Meu abraço.

✿ chica disse...

Muito legal ver tua síntese sobre esses dois caminhos. Há realmente a sensação de saudades do futuro, bem expressa, quando acordamos com a vontade de continuar no que estava pra acontecer tão bom...


E eu procuro ser sempre otimista, mas nunca deixando de ter os pés bem firmes no chão.Até nos sonhos, procuro os do tamanho de minhas "asas",rs abração e adorei a história da canjiquinha,rsrs Linda semana,tuuuuuuuuudo de bom,chica

Célia Rangel disse...

Recompensas! Realmente, em nosso autismo social... cuido de mim o resto passa a ser resto mesmo! Otimista somos sempre com nossos sucessos e envergaduras... se não derem certo sempre foi por culpa de "alguém": - assim é no emprego, na relação amorosa, na educação e criação de filhos, na qualidade de vida como um todo! O "eu" é sempre impermeável. Nada o atinge. Quanta falsidade em nome do levar vantagem em tudo! Excelente reflexão! Abraço, Célia.

Cores da Vida... disse...

Dentro de uma sociedade, procuramos nos ajustar como podemos e nunca seremos exemplos de tudo, ainda...
Beijos e boa semana,

ValériaC disse...

Analises para se pensar mesmo amigo... infelizmente em grande parte das vezes, vemos que o ser humano defende o que lhe cai bem, lhe traz vantagens e não por uma consciência de fato.
Mas ainda assim sou teimosamente otimista.
Boa semana,amigo, beijos,
Valéria

Cynthia (Astroterapia Junguiana) disse...

Sobre o efeito estufa, teve um professor que foi no Jô (Marcelo Augusto)com tom sarcástico, falando que efeito estufa não existe. Meu Deus, eu fiquei arrasada, pq existe sim o problema de muitas empresas estarem se beneficiando com isso, mas a Terra realmente está aquecendo, é o pior ouvi um monte de gente que assistiu essa merda dessa entrevista e agora acha que não devemos nos preocupar. Vou ser um pouco egocêntrica José, graças a Deus não vou colocar mais um ser um humano nesse planeta Terra. Foi ótimo seu texto, fiquei pensativa. Cynthia

Luciene disse...

Difilcilmente elegeremos um inocente. Começo a crer que eaquela piadinha-pensamento é correta: Nem todos os políticos são corruptos. Só os que são eleitos". Excelente crônica.

Abraços.

Denise disse...

O pior é que nossa capacidade adaptativa, neste caso, não é a melhor saída.
O equilíbrio, razoável tentativa que podemos ter, depende da lucidez, do fato e do momento...

Vida é esse viver dotados de olhos mais otimistas, de renovadas atitudes, novas escolhas...só assim os resultados mudam...

Boa semana, Cacá, um abraço com carinho!

Beth/Lilás disse...

Ah, caro amigo, acho que quero fazer parte desta agremiação também! Tô cheia de reclamar somente e sei que não estou fazendo muito, talvez por medo, sei lá!
Noutro dia, li num livro sobre viagens, especificamente sobre o Japão, que dizia que o povo japonês tem um comportamento muito sui generis e que agora eu quero também praticar, ou seja, quando estão num ambiente muito cheio, com diversidade de gente, barulho, etc ...
eles conseguem abster-se, abstrair-se por completo, fechando os olhos e entrando em outro universo.
Vou começar a pôr em prática por aqui, pois vejo tanta barbaridade sem jeito que o melhor talvez seja dar uma de japa. hehe
abraços cariocas

Nice Bacchini disse...

Oi, Cacá Tudo bem? Para a sociedade é mais fácil esperar pelas entidades governamentais. Quanto aos culpados? Todos nós..
Boa Semana.. bjs

Valéria disse...

Oi Cacá!
É bom acreditar em um futuro melhor, em pessoas engajadas com o coletivo, pessoas unidas por um único ideal, mas eu vejo as pessoas caminhando na contramão desses desejos que fazer a minha parte é como remar contra a maré.rsss
Mas vamos em frente que sonhar não custa nada e afinal dentro de cada um de nós ainda bate um coração.rss
Abração e uma ótima semana!

Jota Effe Esse disse...

Amigo, se você está querendo um culpado, não precisa mais procurar, sou eu! Tá bom pra você? Então demos as mãos e vamos fundar essa agremiação que sugere! Meu abraço.

Marcio JR disse...

Culpa? Culpados? Tá aí uma coisa em que passaríamos horas aqui discutindo, e não sairíamos do lugar. Existem aqueles que são especialistas em descarregar nos outros toda a responsabilidade por algo, principalmente o que é danoso, mas, no entanto, existem aqueles que assumem as culpas, como se isso lhes fosse inerente.

A sociedade hoje, aquela do mundo capitalista, é própria para ser vivida atolada em hipocrisia. Os políticos e magistrados são prova cabal disso. Já os países não capitalistas... bem, estes nem hipocrisia utilizam. Exploram o povo na cara dura mesmo, e quem é que vai dizer para eles não fazerem isso?

Este mundo só vai se acertar quando a água bater muito acima do nariz, porque enquanto a água ainda estiver batendo somente na bunda, vai ter gente aproveitando para vender máscara de mergulho e "snorkel".

Cacá, meu amigo. Te deixo meu abraço meio de longe hoje, pois estou com uma virose que, literalmente, me derrubou... rsrs.

Tudo de bom, meu irmão. Ótima semana pra tí.

Marcio

Calu disse...

Proposta interessante, Cacá.Como parte dos estatutos da agremiação eu sugiro a realização de seminários diversificados sobre as saudades do futuro presentes na ética praticada, na irmandade ecológica em todas as suas instâncias, na solidariedade vivenciada, na sociedade bem estruturada entre estado e cidadãos, cada qual cumprindo com responsabilidade suas funções.
Os encontros discorreriam sobre todas estas "realidades" já acontecidas e debateria ajustes para algumas desarmonias urgentes, e como lema teríamos: Ater-ação!

Não sei se a realidade nos paralisa e, assim acabrunhados acabamos por murmurá-la.
Sei o que não devemos.Preciso confiar que podemos.
Isto é papo pra mais de metro, amigo.
Bjos,
Calu

Zilani Célia disse...

OI CLAUDIO!
SE POSSO FAZER PARTE DA AGREMIAÇÃO, VOU PROPOR QUE FAÇAMOS UMA CPI, PARA SABERMOS QUEM REALMENTE ESTÁ PROVIDO DE MOTIVAÇÃO PARA MUDAR ALGUMA COISA.
DEIXANDO A BRINCADEIRA DE LADO, ATÉ PORQUE O ASSUNTO É SÉRIO.
SOMOS ASSIM MESMO, UMA SOCIEDADE QUE CUIDA DE SEUS INTERESSES PARTICULARES, O VIZINHO QUE SE RALE, QUE CORRA ATRÁS...
MUITO LEGAL TUA CRÔNICA.
ABRÇS

zilanicelia.blogspot.com.br/
Click AQUI

MARILENE disse...

O individualismo está tão acentuado que é difícil não passar por pessimista, quando fazemos uma análise real da sociedade e do mundo. Nunca se busca a solução, mas os culpados. E nessa fixação, tudo fica como está.
Fez uma belíssima análise. E confesso que sua sugestão merece aplausos.
Bjs.

Marcelo Pirajá Sguassábia disse...

Bota meu nome aí nessa agremiação, amigo Cacá. Aquele abraço pra ti.

Vera Lúcia disse...

Olá Cacá,

É verdade que o que predomina é o interesse individual em detrimento do coletivo, infelizmente. Creio que somos levados a isto diante de nossa impotência em mudar a situação. Todos temos nossa parcela de culpa. Já não basta que cada um faça a sua parte. É preciso mais que murmúrios raivosos. É preciso ação e reação efetiva por parte de um povo acomodado.
Procuro conservar a esperança.

Abraço.

Leninha disse...

Oi Cacá!

Vivemos em um mundo onde se cultua o individualismo e nada fazemos para mudar este estado de coisas...nos acomodamos,simplesmente.Houve um tempo em que se dizia:"pare o mundo que eu quero descer..."Este tempo ficou longe,mas não devemos voltar a pensar assim,temos é que cultivar a bondade verdadeira,buscar a harmonia e a Paz.Assim conseguiremos conquistar a vida realmente plena.

Bjssss,amigo Cacá,
Leninha

Cecília Romeu disse...

Uai, Cacá! Tudo bem contigo e a família?
Garoto, linda tua crônica. Se todas pessoas pensassem em resolver seus problemas coletivos de forma coletiva, unindo forças, se socializando, buscando seus ideias, o mundo seria bem mais avançado.
Vou te citar um exemplo, talvez eu esteja saindo um pouco do foco do texto, mas vamos lá... neste sábado fui numa associação de moradores da cidade de Novo Hamburgo, onde um grupo de senhora idosas fazem, ver por outra, o "Festival dos Sonhos" (o sonho é o doce mesmo), elas precisam vender 2000 sonhos por mês, como meta, para realizarem o grande sonho do grupo, uma viagem de cruzeiro, coisa só possível assim, unindo forças, até porque a maioria são senhoras vindas de lares muito simples. O festival, graças a Deus foi um sucesso, e só nesse dia elas venderam quase 600 sonhos. E aqui está o exemplo de que se unindo forças, as coisas andam, e os sonhos se realizam.
Grande abraço!

Celina disse...

oI AMIGÃO SÓ VC FAZ EU ESTÁ AQUI HOJE , SAÍ DE UMA PEQUENA CIRURGIA ONTEM
E APLICAÇÃO DE UMA INJEÇÃO NO OLHO, VIU QUE LUGAR ESTRANHO?ME DESPEÇO DESEJANDO TUDO DE BOM PARA VC, EU RESPONDO'NAVEGAR É PRECISO'. ABRAÇOS CELINA.

pensandoemfamilia disse...

Muito boa análise, eu me coloco no lado dos otimistas, mas não deixando de ter meus pés nõ chão. Otimismo e esperança nos reportam talvez a este lugar a que se refere de saudades futuras.
bjs

Yasmine Lemos disse...

Tá bem dificil ser otimista sem ficar meio bobo né?rss
Amigo Cacá o blogger me libertou rsss
estou de volta
abraços

Anne Lieri disse...

Cacá, suas análises são perfeitas e eu tb já estou cansada de ser responsabilizada por tudo que acontece! No final,culpam até nosso voto,mesmo que tenhamos votado em outro cara!...rss...não tem escapatória!...rss..bjs e meu carinho!

M.Cecilia disse...

Olá Cacá,e eu fico em cima do muro,esperando o que este presente ainda me dará,pois para futuro quero ir de cabeça fria.òtima crônica.Bjus\Flor*Agora com nome real...MCecilia.rsrs

lis disse...

Oi Cacá
Culpado eu? é sempre assim na vidinha que estamos presenciando.
Ninguém se responsabiliza por nada e nunca se sabe de quem a ideia.
Agora tem aquela da sacolinha né Cacá? os supermercados nao podem mais fornecer, mas vender Pode - camuflaram com uns anúncios verdes pra dizer que são menos poluentes e se voce esquece de levar a sua retornável eles te oferecem a verdinha,Uma vergonha !
e aí quem é o dono da idéia? de quem a culpa? rs
vamos tentar eleger, eu ajudo rs
Sempre muito bom seu texto,
deixo abraços

Samara Bassi disse...

Meu querido Cacá, com sua crônica fantástica, me veio tantos pensamentos e reflexões e sempre chego à conclusão de que essa sociedade é mesmo um baile à fantasias. Ou não, as vezes parece mesmo que de fantasia não tem nada e se tornou cada vez mais cara de pau, assim, na raça e na coragem... e na cara dura mesmo.

A hipocrisia se tornou alegoria mais que principal, ainda mais quando desfila por entre as arquibancadas de Brasília e nós, idiotas (talvez ingênuos por inconsciência, o que duvido um pouco também), aplaudimos e nos acostumamos sempre a ver o mesmo showzinho.

Enfim, com o pano que isso dá pra manga, por enquanto fico apenas na bainha e costuro uma hipótese de: Será que há algum jeito nisso tudo?

Beijos querido meu.

Tão feliz me faz a tua volta.
Beijo na alma,
Sam.

Liliane Blog Sonhar e Ser disse...

Ah meu querido amigo.
que reflexão bacana.
Elegendo Culpados.........
Às vezes eleger culpados facilita a vida do eleitor.
Outras, complica a vida do culpado.
acho que culpa é uma coisa chata, embora tenha aprendido que quem sente culpa tem um regulador social adequado e não faz muita besteira.

Ah........ quer saber?
Me elejo...
Sou culpada...
Pronto!

Eu queria que o mundo tivesse um futuro bonito, justo mas a culpa é de quem mesmo?
Sei não Cacá... rs

grande abraço..

André disse...

Talvez que existam dois tipos de idealismo: o que tem os pés nas nuvens, e o que tem os pés no chão.

É importante, por mais pragmático que se seja, de guardar sempre uma dose de ideal esperança em todas as nossas iniciativas. Se fincarmos muito os pés no chão, o dia fica cinza, as rugas aparecem e a vaca vai pro brejo.

Sua lúcida crônica, meu amigo José Claudio, de algum modo fala disso. Parabéns!

Aproveito para lhe agradecer o magnânimo comentário que deixou ao meu já desbotado soneto.

Um forte abraço, amigo.

Samanta Sammy disse...

Olá querido amigo virtual, como vai ?

Como sempre adorei a leitura, sua escolha de temas e abordagens são sempre muito criativas e úteis, e nos trazem reflexões muito importantes !
Nós e este nosso egocentrismo, esta mania de achar que todos tem culpa do que nos acontece, nunca assumimos as responsabilidades por nossas escolhas e atitudes, acredito que porque assim é mais fácil... se assumimos , teremos que refletir, tentar mudar e isso dá trabalho, então muitos de nós seguem assim, acomodados no egoísmo...
Confesso que sou bem pessimista, mas como tudo na vida é preciso um equilíbrio para ser saudável, então estou tentando encontrar um meio termo para mim :)

Adorei, como sempre !!
Um enorme abraço e bom restinho de semana ! :)

SIMEI disse...

Caríssimo amigo, dentro de minha humilde limitação fiz outro rabisco lá no meu cafofo, como voce é o maior insentivador ficaria mais uma vez horando com sua visita...
No meu último rabisco rabisco o marcador disse que recebi mais de 50 visitas, apenas três comentaram, incluíndo seu rico depoimento... bão dimais sô!!!

Abraços, para voce e os seus...

Adh2bs disse...

Prezado amigo;
Me apresento para integrar a agremiação, pode fundar! Agradeço a deferência de me colocar ao lado de uma idéia genial (saudades do futuro - do G. Dantas) numa crônica sua, uai! Considero a minha ideia a de um alienado mesmo; já a outra é muito entusiasmante, ver o mundo sem o miserê danado, sem desmando e maldade... E fiquei surpreso com o seu alinhamento aos pessimistas: nunca li um camarada mais pra cima e alto astral que vc, o bom humor e a filosofia que vc transmite no escreve! Enfim, amigo, bela crônica!
Grande abraço,
Adh

Web Statistics