domingo, 13 de maio de 2012

VERSINHOS FAMILIARES


I

Cantei no coral da escola,
Soltei muita pipa, carrinho era feito de ripa,
Depois das aulas jogava sempre muita bola.
Reunia a turma em prosa inocente,
Não havia medos maiores que a noite*,
Assombração era só estória, gente era gente.
Quem dava trabalho no bairro era bêbado babão,
Maioria das vezes, vindo da boite*
A gente ajudava a rebocar pra casa
pra que não caísse no chão.

Momentos de uma boa infância

P.S.:
* (se Quintana no poema Canção da Vida rimou Renoir com poluir, que é que tem eu rimar noite com boite?)

II

Crescendo a família em pencas
Meninas e meninas debatendo
Não havendo um ouro no berço
O jeito era ir vencendo
A mãe ganhando nos arranjos de avencas
Os filhos, uns estudando, outros no terço
O pai, suando na labuta  e haja renda

Lembranças de um pouco da adolescência

III

Independência foi consquistada
Cada um pro seu lado, seja solteiro seja casado
De casa levando amor , sonho e vontade
Sem isso ninguém vence a jornada
Ganhando experiência, gerando prole, eis o legado
Para o ciclo onde o tempo, senhor de tudo invade

Instantes da vida que segue.


Obs: Poeminha republicado para fazer parte da comemoração do dia mundial da família. Interação proposta pela Norma Emiliano do blog Pensando em família 



Na oportunidade, deixo aqui o meu carinhoso e fraterno abraço a todas as mães. paz e bem.

49 comentários:

lis disse...

Excelente Cacá
Passando na melhor hora ,silêncio profundo por aqui rsrs e os 'versinhos familiares' me fizeram bem.
Obrigada um bom domingo

Valéria disse...

Oi Cacá!
Aqui esperando a filhota chegar, coisas de mãe.rsss
A vida em família e seus fragmentos escritos com muito carinho e poesia. Linda participação!
Abração e um ótimo domingo em família!

pensandoemfamilia disse...

Na madrugadaaa, nada melhor do que poetar com versos familiares.
Grata pela participação , que vc tenha um ótimo domingo.
bjs

Marcio JR disse...

E eu vou me juntando ao pessoal da madrugada. Nada melhor do que o silêncio das horas, embalado pelo negro véu da noite.

Cacá, meu amigo. Muito mais do que versos, uma caminhada completa da infância até a atual instância. E quer saber? O que é que tem rimar noite com boite? Ficou ótimo.

Cacá, meu irmão. Sempre muito bom passar por aqui. Excelente domingo pra ti. Abraços.

Marcio

Inaie disse...

Acho que vamos ter uma overdose de comemoraçoes familiares. Dia das mães, dia da familia, e eu pra completar, ainda comemoro 17 anos de casamento hoje. HOJE!!

Acho que vou ganhar um presente só...humfs

Ivana disse...

Cacá
Seus versos mostram uma infância muito bonita que já não existe mais. Desejo um domingo muito feliz pra você junto da sua esposa, filhas e familiares. Um abraço, tudo de bom!

Artes e escritas disse...

Estes versos familiares me fazem sorrir, é quase da genética a mamma ensinar a cantar :)) Feliz Dia das Mães a todos. Um abraço, Yayá.

✿ chica disse...

Cacá! Vale sempre reler textos teus.Adorei! Vim agradecer o carinho por lá!! abração,tudo de bom,chica

Ivana disse...

Eu voltei para agradecer seu carinho lá no meu cantinho, obrigado!

A Flor Enigmática disse...

Lindo dia.Grata pela presença e atençaõ.Poeminhas com grande valor e estima,pois faz parte da sua história.Sucesso Cacá.Bjus\Flor*Bom te ver.

Cores da Vida... disse...

Oi Cacá,

Que delícia de se voltar ao tempo em forma de poema e dizer que nessa vida, muitos frutos renderam a você e aos seus familiares...

Feliz Dia das Mães...!!

Beijos,

Amapola disse...

Boa tarde, querido amigo Cacá.


Adorei sobre a rima do Renoir com poluir, do "Quintana".

Você voltou mais inspirado ainda, para o nosso deleite!

Muito obrigada pela sua gentileza.

FELIZ DIA DAS MÃES, PARA OS SEUS AFETOS. E VOCÊ.

BEIJOS.

Toninhobira disse...

Bela participação amigo e muito bom ver voce trilhando por aqui com suas reflexões sempre perfeitas e ao poeta cabe tudo.Que a familia seja sempre a referencia de toda a vida.
Um abração de paz e luz.

Maria Rodrigues disse...

Adorei o seu poema meu amigo.
Tenha um Santo e Feliz domingo
Beijinhos
Maria

Tunin disse...

Cacá é sempre bom a gente vir beber um pouco da tua intelectualidade.Versinhos Familiares, tocou-me profundamente.Que beleza de escrita! Como tu escreves bem, moço!
Obrigado pelo teu toque intelectual naquele edificante comentário lá em Para Você.
Abração, meu querido! Tenha uma excelente semana.

Anne Lieri disse...

Cacá,que versinhos mais lindos!Eu adorei!E a rima boite com noite....rss...ficou perfeita,é o jeitinho brasileiro!...rss...bjs e felicidades as mães de sua vida!

Samara Bassi disse...

Cacá entre nós,
me fez paralisar enquanto rolava as linhas diante dos olhos. E de lá da minha retina tudo voltou à tona, despencando meus ontens como cachoeira.

Me remeteu à fase mais gostosa da vida, mais livre, mais bonita.

das cantigas, das cirandas, das brincadeiras...

Do meu tempo em que eu era (mais) feliz.

Saudade bateu forte.

Beijo na alma, querido meu.
Sam.

Néia Lambert disse...

Muito bom ler seus inspirados versos
Cacá. Um bom finalzinho de domingo para você.

Um abraço.

Lúcia Soares disse...

A família é isso, cada um cumprindo seu papel na vida, juntos pelo destino, pelo amor de dois, pela alegria (deveria sempre ser).
Gostei dos versinhos, "boite" rimou com "noite", como não? rsrs
"A vida é luta renhida, viver é lutar". Bom quando temos a família para nos ajudar na jornada.
Boa semana!
Obrigada. Tive, sim, um feliz dia.

Celina disse...

Oi Cacá amigo, adorei os versinhos familiares, enocentes e lindos, agradeço a tua visita e o lindo comentário. Um dia das mães de muita paz para todas as mães da familia.e um abraço carinhoso para vc. Celina

Cecília Romeu disse...

Cacá, tudo bem?
Uai, menino!
Poemas lindos! Uma volta ao tempo de forma doce, inocente e muito bem articulada!
Também não vejo problema algum rimar noite com boite hahaha!

Grande abraço e uma ótima semana :)

Vera Lúcia disse...

Oi Cacá,

Uma beleza estes versinhos familiares. Uma viagem no tempo.

Espero que o domingo tenha sido de muita alegria com as mamães da família.

Eu e meus irmãos passamos o domingo em Lafaiete, com a "matriarca", por isso somente estou chegando agora para agradecer a sua atenção e carinho.

Abraço.

Rô... disse...

oi meu amigo,

a família é essa mistura de ingredientes,
que no final de tudo dá sempre certo,
ou quase certo...
você escreve deliciosamente...

beijinhos

Vivian disse...

Olá,Cacá!!!

Bem vindo de volta!!!
Lindo poema!Cheio de amor e bom humor!
Beijos!!!
Boa semana!

Marcelo Pirajá Sguassábia disse...

Oi, Cacá. Sensível e poético este seu instantâneo familiar. Meu abraço e minha admiração!

Juliêta Barbosa disse...

Cacá,

Em teus "Versinhos Familiares" eu encontrei pedaços de mim que nunca partem... São saudades esquecidas num canto qualquer do porto solidão, que afloram quando a poesia toma emprestadas as mãos da delicadeza e da sensibilidade. Hoje, foram as tuas! Obrigada!

Beth/Lilás disse...

Cacá querido,
Você, em seus versos maravilhosos, soube expressar todo o cenário familiar em que foi criado. Aliás, muito bem criado.
Achei um barato sua rima e não tem nada de mais mesmo, já que até os grandes também o fazem.
Obrigada pelo carinho com todas nós, mães blogueiras.
um grande abraço, carioca

ValériaC disse...

Muito linda a sua participação na interação da Norma, adorei seus versos, uma bela forma de também homenagear às mães.
Beijos e feliz semana amigo,
Valéria

Zilani Célia disse...

OI JOSÉ CLAUDIO!
LEGAL TUA INSPIRAÇÃO, AO RECORDAR INFÂNCIA, ADOLESCÊNCIA E A RESPONSABILIDADE DA MATURIDADE.
ABRÇS

zilanicelia.blogspot.com.br/
Click AQUI

Aleatoriamente disse...

E ler é morar um pouco nesse tesouro teu Cacá.
A saudade é muitas vezes, um abraço em nossas lembranças mais profundas e queridas.
O ser humano foi presenteado com esclarecimento, as palavras levam sempre a um estacionar. Onde podemos experimentar cada detalhe, essa firmação é muito bela.
Amei seu texto meu querido.Impossível não sentir beleza nele.

Beijão

Leninha disse...

Amigo Cacá,

Que alegria ver você de volta!Estive,por duas semanas,correndo em casa,com visitas, e, hoje tive a grata surpresa de ler vc e seu poema que me trouxe as recordações da minha infância e da minha adolescência.
Você pode rimar boite com noite à vontade,amigo...só não vale rimar amor com dor,não é mesmo?

Bjsssssss,
Leninha

Samanta Sammy disse...

Olá querido amigo virtual !!!

Estes versos me trouxeram uma deliciosa sensação de nostalgia, lembranças emocionantes de tudo que vivi e passei nesta caminhada e uma conforto ao imaginar o que ainda virá, pois sei que mesmo nas dificuldades, vamos seguindo, realizando, superando, chorando e sorrindo ! Enfim, vivendo !
Adorei !!

Um enorme abraço e que seu restinho de semana seja ótimo !! :)

Mulher na Polícia disse...

Meu dia das mãe também teve toda essa coisa de família, Cacá.

Fui lá pra minha cidade onde reunimos toda a nossa família e tivemos um típico almoço de domingo dos quais há muito tempo eu não participava...

Muito gostoso.
: )

A gente precisa resgatar essas coisas hoje.
: )

Mariazita disse...

Meu caro amigo Cacá
Seus versos são maravilhosos, duma enorme ternura.
Esses que evocam a infância, principalmente, me fizeram sentir saudades desses tempos longínquos, tão diferentes dos actuais.

Muito obrigada por suas palavras (tão lindas!) lá na minha «CASA» e por seus votos de melhoras. Que Deus te ouça!

Beijinhos

Helena Frenzel disse...

Oi Cacá, obrigada por sua lembrança e carinho pela passagem do dia das mães. Sim, foi um dia bastante especial, se bem que meu presente recebi dias antes: minha filhinha dizendo, pela primeira vez, MAMA. Foi lindo! Um abraço fraterno, tudo de bom!

Amapola disse...

Boa noite, querido amigo Cacá.

Esses tempos de criança, quando só se tinha medo de assombração...

Seria tão bom, se as novas gerações pudessem desfrutar daquela calmaria...
Além do romantismo!

Fique com Deus.

Beijos.

Joicy Sorcière disse...

Olá! Primeiramente quero agradecer por sua visita ao meu blog... tbem quero agradecer pelo comentário na entrevista que o queridíssimo Paulo Cheng fez comigo.

Estou seguindo seu espaço, pois gostei demais e, com certeza, voltarei mais vezes.

Seu primeiro texto me fez recordar de minha infância... época que traz uma saudade arretada! Só quando a gente cresce, percebe o quanto era bom demais. Pensar que a gente queria crescer... e cresceu. Com esse crescer, vieram as responsabilidades(a independência, citada no segundo texto)! E depois de crescer, a gente quer voltar a ser criança. Vai entender... srsrsrsrs

Forte abraço

Orvalho do Céu disse...

Olá, Cacá
As diversas fases da nossa vida nos dão uma pauta de que a nos vida valeu a pena!! (ou não...)
Bela descrição vc fez!!!
Abraços fraternos de paz

Daniele Rodrigues disse...

Zé!!! como costumava te chamar no recanto... que saudade dos teus textos! Adorei o poema e aproveito para deixar um abração com cheiro de nostalgia. Saudades amigo

Calu disse...

Oi Cacá,
custei mais cheguei;pra acompanhar tuas rimas( adorei a referência ao Quintana)versadas na danças das horas vividas em tua família...igual a minha, a tantas outras,que sem ouro no berço fez do amor alforje dourado, herança bendita escrita n'alma e no coração.
Agradeço tua gentil visita lá no blog e agora que sei o caminho, voltarei!!
Abraços,
Calu

RUTE disse...

Oi José Claudio,
só agora consegui vir espreitar sua participação na Roda de Interação Familia. Estive muito ocupada com a 3ªfase BC Amor aos Pedaços, que você fica desde já convidado a visitar (deixo link aqui).

Se quiser entrar na 4ªfase fique à vontade para participar. A chamada para dia 15 JUN é esta aqui.

Adorei seus versinhos familiares. Em poucas linhas você nos relata imensos episódios de vida.
Abraços além-mar.
Rute

Luma Rosa disse...

Ah, que boa memória!! Mas não faça vento na avenca! (rs*)

Me lembrei que no passado, depois de uma certa idade, principalmente o filho homem "sentia" que tinha de sair de casa. Casado ou não. Tão diferente de hoje em dia!!

As famílias mudaram e principalmente as mulheres! Bom que mulher solteira deixou de ser solteirona. Acho. Isso abriu um leque de perspectivas para as mulheres profissionalmente e principalmente a chance de constituir família quando bem lhes apetece. Ou não.

As famílias mudaram o seu formato, mas as crianças... elas não mudaram sua essência e ainda precisam de muito afeto!

Bom fim de semana!! Beijus,

Marcio JR disse...

Eita, que dá gosto passar aqui e ver todo esse povo te lendo e te aplaudindo, Cacá.

Bom domingo, meu amigo. Abraços.

Marcio

Miriam de Sales Oliveira disse...

Quer uma prova maior da qualidade dos seus escritos do que tantos e tão talentosos leitores?
Acredita quando eu digo q/ vc é um grande escritor mineiro?
Abração

Celêdian Assis disse...

Pois é, meu amigo, eu já te disse antes que te acho um grande poeta e que deveria exercitar mais, também, esse teu lado talentoso. Lembra?
Não sem razão, pois lendo seus "Versinhos familiares", vejo ai além de poesia, o que você passar de coisas boas, através dela, assim como nessa, o valor da família.
Adorei!
um grande abraço, meu querido amigo.
Celêdian

Liliane Blog Sonhar e Ser disse...

"... não havia ouro em berço, o jeito era ir vencendo!"

essa é a realidade da maior parte da família brasileira, né Cacá.
tantos e tantas que precisam ter criatividade pra contornar as dificuldades.

Eu mesma vi meu pai ralar muito para me criar e minha mãe economizando daqui e dali pra conseguir me vestir, educar, etc.

bacana sua participação

grande dia pra você.

Web Statistics