domingo, 15 de julho de 2012

LER NÃO CAUSA L.E.R.* - DIA DO HOMEM


A imprensa brasileira tem noticiado que algumas empresas têm investido em ações de marketing alusivas ao Dia do Homem, que é comemorado no país em 15 de julho. A data – internacionalmente celebrada em 19 de novembro – foi estabelecida por Mikhail Gorbachev, ex-presidente Russo, com apoio da Organização das Nações Unidas (ONU) e de grupos de defesa dos direitos masculinos da América do Norte, Europa, África e Ásia. A proposta inicial era promover a igualdade entre os gêneros e incentivar a população masculina a cuidar da saúde de forma preventiva.

Mas, posso discordar dessas sugestões de presentes? Creio que seria melhor presentear com um livro. Sim, um singelo livro! Exatamente porque os homens brasileiros precisam ler mais – é o que mostra a terceira edição da pesquisa Retratos da Leitura no Brasil, conduzida pelo Instituto Pró-Livro. Os dados revelam que apenas 43% dos leitores brasileiros são homens. As mulheres – 53% das leitoras do país – têm um papel fundamental para incentivá-los a tornar a leitura um hábito. Professoras e mães, em especial, pois são responsáveis pela indicação e incentivo à leitura: 45% e 43%, respectivamente.

Em um artigo muito interessante, o professor e escritor Mario Sérgio Cortella nos lembra da cartilha Caminho suave, de Branca Alves de Lima. Ele conta que no capítulo sobre a família, a ilustração mostrava um pai sentado em uma poltrona, lendo o jornal. Atrás dele, em pé, a mãe vestida com um avental, segurava uma bandeja com um café. A imagem era composta, ainda, de uma menina, brincando com uma boneca e um menino, com um carrinho. Não acredito que tenha sido proposital, mas a imagem passava a clara mensagem que os homens leem e as mulheres servem. Uma indução inocente, mas desagradável.
No mundo contemporâneo, por que os homens brasileiros leem menos? Antes que alguém evoque a maior sensibilidade feminina para as artes, o hipotético “tempo de sobra” ou argumentos similarmente frágeis, recorro novamente às pesquisas. Quando questionados em estudos sobre o que estão fazendo nos momentos de lazer, homens e meninos revelam: dedicam mais tempo à televisão – especialmente programas de esportes –, acessam a internet e convidam os amigos para jogar videogame.

De toda forma, a questão da leitura no Brasil é extremamente delicada. A pesquisa mostrou que a parcela de leitores caiu de 55%, em 2007, para 50% em 2011. O número de brasileiros considerados leitores – que leram uma obra nos três meses que antecederam a pesquisa – caiu de 95,6 milhões, em 2007, para 88,2 milhões em 2011. Os dados mostram que precisamos investir em uma nova cultura capaz de formar uma nova geração de homens e mulheres; uma nova geração de leitores.

Lourdes Magalhães é presidente da Primavera Editorial

L.E.R. – Lesão por Esforço Repetitivo

18 comentários:

Diogo Didier disse...

É lamentável saber disso. Ler é uma das coisas mais prazerosas que existem e mesmo assim alguns homens não conseguem enxergam tamanho deleite. Eu associo isso, além do que você muito bem expôs,a questão da educação letrada, aquela que deveria começar em casa e ter seu segmento na escola.

Somos muito carentes dessa trilha e, por isso, refletimos tão mau à pesquisas como esta. De fato, as mulheres leem mais porque, devido a muitos discursos, elas estão buscando um maior destaque na sociedade, então, nada mais justo do que ampliar a gama de conhecimento em leituras frutíferas para tal.

Mais um post excelente, querido. Desculpe a ausência, mas é que a minha vida é uma loucura.

Ah, vi que você lançou um livro. Quero um, como faço para adquirir?

Bjoxxxxxxxxx no coração!

pensandoemfamilia disse...

Muito boa análise. Penso que as mulheres são mais curiosas, estão sempre em busca, mais inquietas e a leitura nos proporciona muitas viagens. Por outro lado, há uma carência cultural no nosso país para leitura.
Bom domingo

Juliêta Barbosa disse...

Cacá,
Ler é plantar um jardim no coração. É perfumar a alma... É viajar pelo "labirinto dos pensamentos alheios" para, quem sabe, encontrar o seu próprio caminho. É ter em mãos uma arma poderosa que nos torna conscientes de que há vida fora dos nossos quintais. E, isto, com certeza, nos humaniza!
Obrigada, por levantar essa bandeira. Bjs

Pedrita disse...

bom, livro e saúde estão diretamente ligados. quem lê se informa, porque quem lê se cuida. e os homens raramente leem livros escrito por mulheres. já ouvi inclusive de um q não lia pq precisava ler muito livro importante antes. então tá. e os homens ajudam nos serviços domésticos, subentende-se q a função é delas. eles só dão uma forcinha. nada de mal se ela fica em casa com essa função e ele trabalha para o sustento. mas qd os dois dividem tudo, as tarefas são dos dois pq a casa é dos dois, não dela. ótimo texto. obrigada por compartilhá-lo. beijos, pedrita

Maria Rodrigues disse...

Excelente post meu amigo. Ler é aprender, é divagar, é crescer como ser humano.
Bom domingo
beijinhos.
Maria

Calu disse...

Para além das datas marcadas, ressalta a importância que cerca o foco homenageado, trazendo à baila as questões que buscam melhores possibilidades sobre os envolvidos, no caso, a promoção da leitura que vc muito bem levantou.
Bjos,
Calu

Celina disse...

CACÁ AMIGO BOA NOITE, DEPOIS QUE APRENDÍ A ALER NUNCA MAIS ME SEPAREI DOS LIVROS, CADA QUAL TEVE O SEU MOMENTO, , OS MEUS LIVROS ESCOLARES LIA NUMA NOITE, LÍ LIVROS DE CORDEL, A COLEÇÃO DE M. DELLY, OS POLICIAS DE ARSENE LUPIM A CHERLOK HOLMES E POR AÍ CONTINUEI SEMPRE ARRANJAVA UM TEMPINHO PARA LER. FIZ UMA PEQUENA PAUSA AGORA EM RESPEITO AO TRATAMENTO DA MINHA VISTA, MAIS NÃO PAREI NÃO, ESTOU SEMPRE, LENDO ALGO PARA MIM É COMO SE FOSSE UM VICIO.UM ABRAÇO QUERIDO AMIGÃO. CELINA

Kunti/Elza Ghetti Zerbatto disse...

Oi Cacá!
Adorei o assunto e sua abordagem.
Infelizmente é a mais pura realidade mesmo.
Ler é além de um grande hábito saudável, um imenso prazer.
Um ótimo fim de semana para ti.
abração com carinho

Luma Rosa disse...

Recentemente li sobre uma pesquisa que dizia que as pessoas compram livros para não ler e na maioria homens. Será que os homens fazem isso para impressionar as mulheres?
Sobre esse resultado de pesquisa que citou, não acho que seja somente no Brasil e sim no mundo todo.
Não entendi os propósitos do dia do homem...rs.
Boa semana!! Beijus,

Néia Lambert disse...

Cacá, tenho feito a minha parte dando exemplo e incentivando a leitura para o filho e marido, sabe que tem dado resultado!

Um abraço.

Vivian disse...

Olá,Cacá!

Que coisa,né?!
Não consigo explicar como se pode não gostar de ler!Ou só ler,às vezes!Bah!
Pra mim é diferente.Ler é algo que faz parte de quem eu sou.Não vivo sem os livros.Minha média é 3 por mês.(Só mudou nos dias de aula...a média caiu drasticamente para 1 por mês...).Mas me alimento de conhecimento.Amo o cheiro do papel,o contato com os personagens...é uma viagem maravilhosa,sempre!

Pensando na pesquisa...bem,meu filho prefere o videogame, e não é por falta de exemplo ou incentivo.(guardo a esperança de que ele ainda não leu o livro certo,um dia, espero, será fisgado!rs).Já minha filha adora folhear os livros.

Beijos!Ótima semana!

Marcio JR disse...

E olha, Cacá. Afirmo. A pesquisa mostra dados irreais.

O índice de brasileiros que lêem é muito menor. Muitos entrevistados se sentem envergonhados, e afirmam que leram algo, quando, na realidade, a única coisa que leram foi o canhoto do ingresso para o jogo de futebol ou o contra-cheque.

Pior ainda é o índice de analfabetos. Bom... no Brasil existe o meio (semi) analfabeto. Penso ser aquele que só sabe ler até a letra M, que é +ou- o meio do analfabeto, digo, alfabeto. Fato é que aqui, quem assina o nome, desenhado ou não, é alfabetizado. E ASSIM, VAMOS TAPANDO O SOL COM A PENEIRA.

Lamento fazer um comentário desses, Cacá, mas é a triste realidade. Tanto homens quanto mulheres, no Brasil, estão abaixo da média na leitura. Por que? Essa é outra questão, a qual tenho certeza que você explorará em outra crônica.

Dia do Homem? Isso é igual ao dia das Mães. É todo dia. Acordamos e saímos pro trabalho, sem chance de escolha. rsrs.

Cacá, meu amigo de guerra. To de blog novo. ...de prosa pro vento. Tem um link lá no Abismo. Te espero lá.

Abraços, meu irmão.

Marcio

LUCONI disse...

Querido amigo, desculpe-me a demora para chegar, ando não conseguindo coordenar meu tempo aqui na net muito bem, me enrolo com tudo, parece que depois do ocorrido meu cérebro anda devagar, aliás perto de antes quase parando rsrsrsrs.......
Menino eu adorei esta postagem, sabe torna-se necessário fazer uma campanha de incentivo atacando de todos os lados. Eu também acredito, pelo menos tem sido o meu caso há algum tempo, que o orçamento apertado,faz com que nos obriguemos a dar prioridade para o básico de sobrevivência, eu não tenho vergonha de falar,mas muita gente devido ao orgulho tem, viver com dificuldades não é vergonha pra ninguém, vergonha é roubar, trapacear, mentir ou iludir para ganhar vantagem.
Por isto eu acho que buraco é mais embaixo, temos que mudar os hábitos dos brasileiros, mas temos que lutar para condições de vida melhores para todos, senão o hábito de ler fica apenas entre os de poder aquisitivo um bocadinho melhor, beijos Luconi

Jacques disse...

Olá, Cacá.
Creio que esse preocupante dado seja fruto da era digital atual, onde cada pessoa pode fazer parte de trocentas redes sociais e desfrutar de dezenas de canais nas tvs a cabo, o que limita em demasia o tempo para leitura.
Isso e mais a preguiça mental de muitos (já que ler dá trabalho) e a falta de renda de muitos resulta em baixas taxas de adultos e/ou jovens leitores.
Ainda bem que não é todo mundo que troca um bom livro por tv e internet.
Abraço, Cacá.

Sueli Gallacci disse...

Cacá, interessante teu texto!

Concordo com o Marcio JR, penso que a maioria das pessoas não revelam a pouca (ou nenhuma) frequência com que leem. No fundo conhecem os benefícios da leitura, mas não adquirem esse hábito saudável, não experimentam para adquirir o gosto pela ‘coisa’.

Acho que falta incentivo, e esse incentivo começa em casa, com os pais lendo e mostrando ilustrações para os bebês.

Interessante isso da cartilha Caminho Suave, lembro-me bem da cena, foi nela que aprendi o beabá, sou antiga rsrs. É verdade, a lembrança mais remota que tenho do meu pai,é ele lendo um jornal e minha mãe lhe servindo um cafezinho rsrs.

Mulheres leem mais não por que lhes sobram mais tempo, mas porque estão mais abertas ao novo, andar por mundos desconhecidos sempre atraiu mais as mulheres, creio eu. Tanto que é ficção o que elas mais leem.

Parabéns pelos seus textos, Cacá! Além de informativos, uma delícia!!!

Bjo grande.

Sylvio Mário Bazote disse...

A leitura é uma conversa com direito a paradas na hora que se precisa ou quer, com tempo para refletir calmamente sobre as novas ideias ou emoções que se apresentam.
Através da leitura podemos mostrar sugestões ou exemplos para pessoas que gostamos e que não nos dão abertura por conta de defesa ou falta de intimidade para certos temas.
Um livro é um amigo que espera! Pena que esta amizade tem sido cada vez menos correspondida...

Web Statistics